sexta-feira, 26 de outubro de 2018




DA SÉRIE: ENSAIOS QUE NOS LEVAM A PENSAR
Subsérie: O isolamento humano do universo exterior.

A BRUTAL REALIDADE DO NOSSO ISOLAMENTO NO UNIVERSO

UMA INTRODUÇÃO RÍSPIDA A UM ENSAIO RÍSPIDO
O isolamento humano é um tema palpitante, mas ainda sem solução para a ciência que ora se inicia, e mal balbucia as primeiras palavras. Com relação ao tempo da existência do pensante no planeta, a ciência ainda é um bebê. Ela só tomou impulso depois da época dos descobrimentos, mas ainda não alcançou o apogeu! Já o nosso isolamento! É um tema nada palatável! E que incomoda as inteligências pensantes do planeta! Mas, temos que degusta-lo, para saborearmos a verdade contida nele, alguns humanos não veem utilidade em se preocupar com o futuro, e sim com o imediato, com os problemas do dia a dia! Dentro da longa existência do homem! Se todos pensassem assim, não teríamos saído das cavernas... E esses “alguns humanos” por serem muito burros, se vivessem naquela época, nem nas cavernas seriam aceitos, morariam nas selvas mesmo, disputando espaço para dormir nos galhos das árvores com outros animais.

A CRUEZA CONTIDA NA VERDADE
1* E a burrice contida na coragem para expressá-la. O mundo é feito de tantas dúvidas e contradições, que disto, torna-se impossível escapar! Assim! Vamos convivendo com elas, que segundo meu entendimento, são as principais matérias de que é moldado o mundo. Este ensaio se refere e analisa o “como” e o “porquê” do nosso isolamento no universo! E o faço numa abordagem crucial, como dizia Kant, a priori e necessária, pois, assim! Sem floreios, veremos a verdade direta, nua e crua saltar diante de nosso entendimento! Pois, os seres com “intelligentsia” no planeta são tão poucos! Que a grande multidão dos que não possuem esta "intelligentsia”, podemos trata-los no geral como uma manada, e olhá-los com os mesmos olhos que o polímata via os homens de seu tempo! Isto! Para melhor focar a análise na subespécie “homo sapiens sapiens”, subespécie a que Leonardo da Vinci chamava de, “enchedores de latrinas”. Que ninguém tome a carapuça para si! Pois meus ilustres leitores não se enquadram nessa categoria! Mas, para nossa tristeza, se da Vinci voltasse a viver nos dias de hoje, não veria ou teria motivo para se contradizer! Muito teremos que progredir, para desenvolver instrumentos tecnológicos que nos possibilite compreender e entender a magnitude deste universo, a que os cientistas e cosmólogos da NASA, dentro deste século XXI, utilizando da mais moderna tecnologia na pesquisa do Cosmos, continuam a chamar de (Universo visível). Se o chamam de visível, subtende-se que existe outra parte ainda não visível e ainda não detectada, ou pelo menos uma parte, (não se sabe o tamanho), deste universo que ainda permanece invisível! Mesmo com a parafernália de instrumentos modernos (telescópios terrestres e espaciais), onde se utiliza a mais moderna tecnologia para vasculhar o universo ou cosmos, como prefiro chama-lo.

VAMOS LÁ:
2* Costumo dizer que toda “história” que anteceda a surgimento da escrita, deva ser tomada, como uma invenção, nada mais, nada menos que isto, ou como uma criação ou elucubração da mente, ou mesmo, uma simples suposição, principalmente quando este fato abordado se encaixar e se classificar como um “caso abstrato”. Quando se tratar do “caso concreto” e real! A paleoantropologia tentará cuidar disso, às vezes com muito acerto, mas, às vezes sem acerto algum! Mas, mesmo assim, será tido por todos como uma verdade indiscutível! É a vida! Que fazer? Na brutalidade do modelo de existir adotado pelo pensante! Manda quem pode! E obedece quem tem juízo. Simplesmente não temos outro método de análise que substitua os métodos da paleoantropologia! Que felizmente, a ciência aperfeiçoa constantemente. É tido como certo por essa ciência, que o “homo erectus, predecessor do “homo sapiens”, há uns 300 mil anos atrás, iniciou o processo de adquirir inteligência. Na realidade, uma data, algo muito difícil de se estabelecer dentro do tempo. Ouvi algo a respeito, falando em 380 mil anos, vamos aguardar as comprovações! Aqui não pomos as deduções nem as afirmativas da paleoantropologia sob dúvidas. O que indica e marca estes acontecimentos, que deu partida no pensar, são sutis mudanças de comportamentos, como: Distanciamento de grupos semelhantes, mas não pensantes, mudanças nos hábitos alimentares, principalmente na vida em grupos com início de comportamentos sociais, que os diferenciam dos grupos animais, aperfeiçoamentos nas ferramentas e nas armas, tratamentos dados aos mortos, melhoria no uso do fogo, "domínio", naturalmente, que cada coisa dentro de seu tempo. A fala só veio a ser inventada algum tempo depois, a diferença e o progresso ficou patentemente registrado em seus nichos onde moravam, principalmente em seus fósseis posteriores a aquisição do raciocínio, estes fósseis nos indicam que mesmo um raciocínio rudimentar, mas, já o possuíam! A análise desses dados nos fósseis, foi o que permitiu a antropologia estabelecer esta data próxima dos 300 mil anos, e isto, com alguma precisão. A caixa craniana do “homo erectus nessa data era de 1600 até 1700 cm³ para o Neandertal, e de 1400 cm³ para o Cro-Magnon, nosso principal ancestral, embora tenhamos herdado quase 3% do DNA do Neandertal. Vamos agora aos “sapiens” atuais! Tem momentos em que o caminhar da carruagem do desenvolvimento me confunde! Existem três fatos recentes no decorrer do desenvolvimento da sociedade humana moderna que são incoerentes:

A) O desenvolvimento do pensamento dos povos do ocidente sofreu grande influência dos pensadores da Grécia! Hoje a Grécia vive da esmola da Comunidade Europeia! Porquê um povo tão inteligente dentro de poucos milhares de anos, passam a cometer erros de avaliação em coisas simples, como decisões econômicas! Um amigo sociólogo, me disse que: Se filosofar servisse para alguma coisa! Todo o planeta falava grego! E todo planeta era uma só Nação! A Grécia, embora eu pudesse argumentar! Preferi me calar, para estudar o caso da Grécia com mais isenção de ânimo e escrever um ensaio sobre o assunto, as variáveis são muito numerosas! “democratia praevalet adversus voluntatem populi”. Por que não prevaleceu?  Por que não deu certo?

B) A região no planeta onde o pensamento mais evoluiu no passado foi na Índia! Isto, em todos os aspectos! Existem coisas que podemos considera-las relativas a física quântica relatadas nos Upanishads, coisa incompreensível como tendo sido entendida e descoberta num passado tão remoto! Hoje a Índia é um bolsão de miséria! Porque um povo tão inteligente e religioso criou as castas? Burrice ou ganância dos seus dirigentes, ou dos brâmanes, que estavam no topo da cadeia? Não creio! E não venham me ensinar que as castas foram extintas na década de 1940, porque elas embora extintas por lei, continuam ativas na Índia e a trazer sofrimento, principalmente para as etnias ou povos das castas inferiores.

     C) O trabalho de Confúcio e de Lao Tse, tornou-se inútil frente a revolução de 1949 e a revolução cultural de 1966, o que leva um povo a se auto destruir? Foram milhões de mortos, primeiro pela fome, depois outros milhões trucidados pelo exército, chamado de guarda vermelha. 

Isto é história! Como explicar os comportamentos e os descalabros destes três povos! Para os povos evoluídos do futuro? Ou mesmo para os estudiosos de hoje! Sempre digo que! Povo é uma coisa complexa, extremamente complexa! Indo sempre ao “encontro”, indo abraçar, indo em busca, da burrice dos governantes, unicamente para sofrer os efeitos da burrice destes governantes! Nietzsche dizia que o poder emburrece! Estava certíssimo! Por que os povos não percebem isso?  Por que não se rebelam contra a burrice dos governantes? Assim, disso deduz-se que, “povo”, é um organismo indefeso, por mais que a massa vá protestar nas praças da paz da vida! Os governantes descobrem que facilmente pode-se dominá-lo. O povo é a galinha de Stalin, o pão duro. Povo é como um Leão na jaula! Por mais que urre, continua na jaula. Os mecanismos de controle do povo existe, e é eficiente! O mecanismo de controle dos governos não foi inventado ainda. Dirão! O voto! Ora, depois de votado o governante se transforma num burro, aí não tem mais jeito, Quem inventar o controle dos governantes burros! Ganha um doce... A burrice é uma grande atriz, podendo se disfarçar de muitos personagens! Daí adviria a dificuldade para expulsá-la dos palcos do poder.  

MAIS VERDADES
3* Existem verdades “eternas” contidas em afirmações deste tipo: (O homem sempre olhou para as estrelas). E verdades “efêmeras” e duvidosas, quando se tratar de suposições deste tipo: (O homem sempre viu as estrelas como as moradas dos deuses). A dúvida contida nessa última afirmação advém do fato desta afirmação ser uma suposição, uma abstração, portanto, improvável, e não “propriamente dita”, possível! Por ser impossível uma comprovação deste tipo de afirmação!

CADA ÉPOCA COM SEU PARADIGMA
       4* Para melhor entendermos o homem ao longo da sua longa história, teremos que analisar seus diversos paradigmas durante sua história escrita e supor seus paradigmas durante sua longa história antes da escrita. Este último caso podíamos até mesmo considera-lo por último, ou mesmo desconsiderá-lo, mas assim, perderíamos a oportunidade de inserir uma pitada de poesia no ensaio. Já pensaram um nosso antepassado de 180 mil anos atrás, elucubrando quem moraria nas estrelas! Ou para qual estrela ele iria mudar e morar depois de morto! Noutro ensaio eu digo que: Assuntos que se refiram ao universo sempre são interessantes, sendo para uma imensa maioria um deleite, o homem primitivo, sempre olhou com admiração para a beleza de um céu estrelado. O homem moderno não se compraz somente com a beleza dos céus, ele busca o entendimento de como se formou este céu estrelado, isto nos difere dos outros animais! Mas, no fim, no fim, eis realmente o que somos! Animais pensantes mas, animais! A única coisa a nos diferir dos animais é o ato de pensar! Coisa, que nem sempre o fazemos com acerto! O maior orgulha da nascente sociedade tecnológica, não são seus inventos, mas sim, seu “pensar”! Mas, este seu “pensar” pode se tornar perigosíssimo, se recordem do projeto “Manhattan”. Às vezes, o progresso pode nos trazer riscos insuspeitados, imaginem trazermos um bactéria mortal de um asteroide qualquer ou de uma lua de um planeta do sistema solar.  A vida por si mesma, já é um grande risco.

NA SOCIEDADE HUMANA PRIMITIVA, NA ÁREA DA PERCEPÇÃO DAS COISAS CONCRETAS E COMPLEXAS, NENHUM PROGRESSO FOI ALCANÇADO SEM PRIMEIRO TER CONSEGUIDO ENTENDER A ESSÊNCIA DAS COISAS MAIS SIMPLES!
5* A afirmação acima parece algo extremamente evidente! Mas, não o é, não passamos a raciocinar num estalo, o caminho foi longo e penoso, procurem entender que esta, é uma proposição mecanicista do assunto, “aquisição do raciocínio”. Sem observar e entender o acima afirmado, torna-se muito difícil fazer a leitura do desenvolvimento no passado do “falante” e então, “sujador de moitas”! A afirmação acima diz simplesmente que tudo começa pelo entendimento das essências, das simplicidades! Que obviamente, sob outro ângulo de observação tornam-se ou são vistas como complexidades! Melhor explicitando! Não são as coisas simples que se transformam em complexidades! É o ângulo de análise e a potência da soma de suas partes resultando na dedução das suas funções que as transformam em complexidades. A necessidade forçava o homem primitivo a agir assim! Interessante o homem moderno não age assim! Pelo contrário, ele tornou-se preguiçoso, não se preocupa com a essência das coisas e o que é pior, inclusive os pensadores! Procure um filósofo famoso, que realmente seja um filósofo! Na atualidade, não o encontrarás. O problema resume-se no seguinte: Para ser um filósofo na amplitude que o nome requer! É necessário ter humildade e desapego às coisas materiais!  E isso é negado aos vendedores de livros! Para ser um filósofo no alto da qualificação, do nome “Filósofo”! Requer extrema e natural humildade, adquirida durante toda uma existência! Ninguém já nasce filósofo! Ou Hobbes e Plauto estavam errados. Não digo ser um novo Diógenes e viver num barril! Mas, é necessário ter um mínimo de desapego e humildade, senão o “pensar” não abre, antes se fecha! Pode-se ser um grande escritor, um grande vendedor de livros! Nunca um grande filósofo. Nunca encontrarás um grande filósofo que tenha passado toda a vida correndo atrás do dinheiro! Os filósofos ricos que existiram ou existirem, foram ou serão ricos por herança, o problema é que não dá para fazer as duas coisas concomitantemente. Por mais inteligente que o “sapiens” seja!

O INÍCIO DA RACIONALIDADE
6* No princípio da aquisição do raciocínio! O homem utilizando seus olhos como suas principais ferramentas de “observação”, coisa natural no seu cotidiano, que eram e são até hoje perfeitas para esta sua finalidade, se maravilhou com o que via na terra e no alto dos céus, no princípio sem nada poder entender. “Nihilo nihil fit”, e isto,  é uma verdade eterna. Só com o passar das gerações, e o aprimoramento do raciocínio e da fala, as coisas foram surgindo, sendo criadas e entendidas com o aspecto complexo e já arrumadas para o entendimento e a percepção do “neo-sapiens”, que então, puderam questionar e guardar conhecimentos sobre o que viam na terra, diante e perto de si, e nos altos dos céus e distantes de si, estas últimas, pouco compreensíveis! E assim! Criaram explicações diferentes e desencontradas para tudo que viam! O pior é que estas explicações são cridas até hoje pela manada, quando seu entendimento se aprimorou, ele viu que realmente nada surge do nada! Então, a lógica pertinente a seus raciocínios os faziam progredir em suas deduções e explicações sobre o que viam! E assim, avançava a humanidade! Passo a passo! Análise por análise, dedução por dedução! Até alcançar o conhecimento amplo e total de hoje, embora como afirmo no princípio deste ensaio, ainda não atingimos a ápice do uso da enteléquia através do cérebro! É só observar como os Savants utilizam seus cérebros, milhares ou mesmo milhões de vezes com mais eficiência que um homem comum como eu! Me fundamento nos estudos mais avançados da neurologia nas maiores universidades do mundo, como a University of Southern California, onde o Dr. António Damásio é professor de neurociência, estes estudos nos dizem que não sabemos o que seja, nem como se processa o pensamento humano. https://www.usc.edu/.

CÉREBROS MARAVILHOSOS
7* Voltemos aos cérebros dos Savants, seus cérebros são fisiologicamente iguais aos cérebros do homem comum. Também com 100 bilhões de neurônios, fundamentado nisso é que afirmo: (Só estamos no início do uso dessa maravilhosa máquina de pensar! Para algum interessado em saber como são estas potencialidades dos cérebros Savants!  Visitem nesse blog o ensaio: SINGELO ANTITRATADO DO CÉREBRO, e verão que a subespécie “homo sapiens sapiens” está somente no princípio do aprendizado do uso de sua máquina de pensar, sabedorias e bestagens!

A ATRAÇÃO PELA CAVERNA
8* Tem momentos em que creio que o homem demorou tanto para evoluir sua enteléquia, que foi necessário vir ajuda de fora, e ter dado uma mãozinha! Não dá para entender como demoramos tanto para sair da caverna da burrice! Estava tudo a nossa disposição! Os dedos e os caroços para serem contados! A areia para ser transformada em vidro, por simples aquecimento! Lenha era que não faltava! Os barros para fazerem tijolos e serem assados ao sol! Os troncos que eventualmente boiavam nos rios! Os metais para serem derretidos! Porquê, demoramos tanto para observar que os caroços jogados ao chão nasciam? Porquê? Porquê? Esta pergunta a repito porque o “sapiens”, a que gosto de chamar de “falante”, de há 30 mil anos atrás, nos deixou registrado nas cavernas de Espanha e de França, seus desenhos maravilhosos! Comprovando que já possuíam o mais completo domínio sobre o funcionamento dos 100 bilhões de neurônios do seu córtex! Os seus desenhos demonstram que a área de broca estava sendo plenamente utilizada! Porque demoramos tanto para abandonar o nomadismo? A caverna aqui em referência é o apego ao nomadismo! Não uma caverna em si! Na realidade os homens moravam nelas esporadicamente, quando rareava a caça e a coleta tornava-se distante, o recurso era procurar locais com abundância de caça e coleta fácil.
A BURRICE LEVA O “SÁPIENS” A VIVER ÀS
TURRAS COM O “SAPIENS”
9* Sem o sedentarismo era impossível evoluir, ou mesmo criar uma casa para morar ou a escrita! No passado remoto do “sapiens” deve ter existido seus: Idi Amin Dada, comedor de bife de inglês; seus Átilas; seus Ivans, os terríveis; seus Leopolds II, o porco belga dos Congos da vida! seus Pol Pots e sua sanha assassina; Seus Adolf Hitlers com seus indefectíveis Adolf Eichmann, organizando seus holocaustos pelo mundo afora! Não posso me esquecer dele, o Josef Stalin, o pão duro, que para economizar e equilibrar as finanças do Estado, literalmente, matava seu povo de fome! Isto mesmo! Matava de fome. E hoje tão adorado por uma corja de idiotas e burros, tão insensatos que não sabem fazer a “leitura” nem um julgamento correto da história do mundo! Burros! E com os cérebros lavados e escovados, polidos e encerados. Eu descobri quando ainda jovem que a lavagem cerebral não é feita dentro de instituições nem em assembleias, nem existem consultórios da mente para isso! bastando lhes dar uma “cartilheca” já feita nessa intenção, e o resto é feito despercebidamente pelo próprio indivíduo! Mudando seu paradigma de mundo, principalmente, sua visão da realidade social do mundo! O racional seria no “sapiens”, já que ele é um “sapiens”, quando for analisar e adotar uma ideologia política, (posso dizer “nova”, porque ninguém nasce de direita ou de esquerda), sempre se adota ou escolhe uma pela primeira vez, como disse, o racional seria investigar porque uma ideologia política dá certo e a outra não dá! Como é o caso da esquerda e da direita no mundo. Se a pessoa não faz isso, é porque é um maria vai com as outras! Ou simplesmente, este suposto “sapiens” não possui a capacidade cerebral de conduzir este processo de análise! E portanto não possui as qualidades esperadas de um “sapiens”. E então simplesmente ele faz parte da manada que se agrega à esquerda e à direita!  Estas duas correntes os utiliza para fazer “número” nas praças e nas avenidas, em demonstrações de apoio e de poder!  Estes manifestantes são referidos pela polícia burra, assim! (Tal demonstração tinha tal número de manadas) a imprensa mais burra ainda, diz: (Tal demonstração tinha tal número de manadas) números que nunca se igualam, pois ambos são fruto do empirismo. Estes, nunca compreenderão nada de política, muito menos será um teórico de qualquer uma das duas ideologias em conflito. Este pobre coitado, para aparecer perante seus colegas de ideologia termina fazendo uma autolavagem cerebral, e ai, nada o demoverá dessa ideia, se certa ou errada, ele nem está ligando, pois, perdeu completamente o senso crítico. Este processo de cartilhamento existe! Em ambas as ideologias. Não sei qual foi o monstro que inventou isso. Ou se é a própria manada que adota este processo de autoconvencimento para superar a dificuldade de analisar as duas ideologias! O certo é que a análise que se faz das duas ideologias nos diz taxativamente que a direita vem dando certo no planeta, e tem mais, a esquerda vem copiando os procedimentos da direita. Vamos a uma fria análise disso! Vejamos, a mais antiga mudança ocorrida, adotando a ideologia de esquerda, foi na Rússia, com a revolução bolchevique em 1917 quando tomaram o poder dos Czares, isto é história. Chamemos, como venho fazendo, este regime ideológico de “esquerda” outras nuances não vem ao caso. No ano de 1991 no dia 26 de dezembro o Soviete Supremo promulgou o ato de número 142H dissolvendo a URSS, e instituindo o estado democrático capitalista da Rússia. Gorbachev passou o poder para Yeltsin e C’est fini! Ninguém, nem de dentro nem de fora, ninguém deu sequer uma estilingada, usou uma funda! Para acabar com o regime e o sistema socialista na URSS.  Por que seria que insistem em continuar? Pensem bem! Já no caso da China, logo após a morte do Timoneiro, se iniciou a adoção do capitalismo de mercado, a China dentro de pouco tempo vai ser a maior economia capitalista do planeta! E C’est fini!, Em Cuba o povão ou foge, ou morre de fome, as fugas nem são mais por ideologia, são por sobrevivência mesmo, os relatos estão aí aos milhares! Na Coreia é a mesma coisa, a fronteira vigiada, é para impedir a fuga do norte para o sul. Agora a famosa pergunta que não quer calar! Por que a américa latina ainda insiste na implantação da ideologia de esquerda? Seria por excesso de força, ou excesso de fraqueza?  Seria por excesso de inteligência ou por excesso de ausência disto?

 Os outros poucos países que insistem com a ideologia de esquerda, não serão citados. Dizem que os “sapiens” se desenvolveram utilizando a lógica, fazendo comparações, se comiam uma fruta com a casca e tinham dor de barriga, da próxima vez tiravam a casca, se continuasse dando dor de barriga, deixavam de comer a fruta! E assim, tão facilmente, desenvolveram a famosa lógica! Creio que no planeta tem um significativo número de espíritos ETs, mandando por aqui, e que de seu planeta de origem expulsos por serem especialistas em praticar burrice! E por também serem imunes à lógica, não conseguindo desenvolver a benéfica capacidade de comparar...   

 NOSSOS AVÔS VAGABUNDOS, CAÇADORES E COLETORES
10* O certo é que não existe explicação para o falante de 50 ou 100 mil anos atrás ter se espalhado pelo globo todo, conhecendo tantas terras férteis! E terem passado tanto tempo vagabundando pelo mundo afora, sem nunca ter conseguido inventar uma horta sequer! Nem que fosse plantando um pé de cebola! Ora! Toda a humanidade do planeta sendo originária exclusivamente do vale Turkana na mãe África, foi dali que se irradiou para todas partes do globo. Assim! Não dá para entender porque, tanta indiferença com o sofrimento do povo africano!  Repetindo! Foi dali que a humanidade floresceu e partiu para todos os continentes! Quando assentou a bunda no chão do crescente fértil, entre os rios Tigres e o Eufrates, a primeira coisa que uma mulher inventou foi a lavoura, a segunda que os machos inventaram foi a guerra, disputando porcarias. E por isso que os ETs não pousam no planeta! Só temos notícias e fotos deles em seus voos! Já pensaram! Um Disco Voador pairando sobre uma estádio de futebol! Quando verem 22 malucos correndo atrás de uma bola, e um, mais maluco ainda usando um apito substituindo a fala! Vendo milhares se matando nas arquibancadas! Nunca mais voltarão aqui... Nem pagos! Nem mesmo convidados pelo Donald Trump... Talvez! Somente talvez, se o Bolsonaro os convidasse! Quem sabe...

O ESPÍRITO NOSTRADÂMICO
11* Tenho um afinado gosto pela previsão futurística! Sem a adoção do sentimento de “terraqueoismo”, nunca receberemos uma visita no terceiro grau de um ET qualquer! Ora! Não sejamos ingênuos! Deve existir outras civilizações, em nossa galáxia, e muito mais evoluídas tecnologicamente que a nossa, como disse um sábio no passado! Senão, seria um grande desperdício de espaço e de mundos! Somente na Via Láctea puseram a nossa disposição 400 (quatrocentos) bilhões de estrelas, a disposição pelo menos para tentar conta-las! Porque até hoje não conseguiram, a cosmologia nos diz que em nossa galáxia existe entre 100 (cem) e 400 (quatrocentos) bilhões de estrelas, “eita” computadorezinhos fuleiros dessa tão falada NASA! Será tão difícil estabelecer a distância média entre estas estrelas, e estabelecer o volume da nossa galáxia, a que chamamos de Via Láctea? Ai, seria fácil contar suas estrelas! Na verdade, nós estamos dentro da galáxia! E não conseguimos fazê-lo. Agora imagine o número de planetas existentes! E que não sabemos exatamente quantOs são! É de se esperar que em pelo menos alguns desses exoplanetas exista vida inteligente! Os telescópios modernos já descobriram quase quatro mil planetas. (Até 5 de setembro de 2018, existem 3823 exoplanetas em 2858 sistemas catalogados).  Sendo provável que outras civilizações, já devam ter resolvido o difícil problema que existe para se viajar entre as estrelas! Se recordem que para vencer as distâncias descomunais existentes entre as estrelas, obvio, tem-se que alcançar velocidades descomunais, e isto no momento nossa tecnologia não consegue fazer! A maior velocidade alcançada com um veículo tripulado foi de 40 mil km por hora. Ora! A estrela mais próxima da Terra é a “alfa centauri”, que está a uma distância de 4,35 anos luz. Mesmo considerando que viajaríamos a 50 mil km por hora, para vencer esta distância de 4,35 anos luz gastaríamos portanto: quase 94 mil anos! O que torna sem sentido tal empreitada! Somente para nos divertir! Vejamos como se chegou ao cálculo desta quantidade enorme de anos. Faremos isso utilizando simples aritmética, se treinarmos bem um tribal, ele o faz facilmente, como nós vamos fazer! Estou dizendo com isso, simplesmente que somos todos iguais! E que nenhum humano tem um neurônio a mais que outro. Um Tribal e um cientista da NASA, nada possuem que os diferenciem como “sapiens”.
O resto é puro conhecimento adquirido e nada mais.

A ARITMÉTICA
 12* Vamos ver quantos quilômetros possui 4,35 anos luz! Depois basta somente dividir por 50 mil km e teremos quantas horas gastaremos na viagem, ai fica tudo fácil. Bem! (365,25 dias x 4,35 anos = 1588, 8375 dias x 24 horas = 38.132,1 horas x 60 minutos = 2.287.926,00 minutos x 60 segundos = 137.275.560 segundos (cento e trinta e sete milhões e duzentos e setenta e cinco mil e quinhentos e sessenta) segundos. Agora é que a porca torce o rabo! Pois, vamos multiplicar este número de segundos pelo número de km que a luz percorre em um segundo, que é igual a 299.792.458 kms. Vamos lá, 137.275.560,00 kms x 299.792.458 kms = 4.11541813 /50.000 horas = 823.083.551 horas que agora dividimos por 24 horas = 34.295.147.963 dias, que dividimos pelos 365,25 dias de um ano e teremos o número de anos que gastaremos para ir a estrela “alfa centauri” = 93.894 (noventa e três mil e oitocentos e noventa e quatro anos. Viu como foi fácil calcular! O difícil é fazer esta viagem! Preste atenção para o fato de que gastaremos este tempo todo, somente na ida! Deu para compreender o quanto estamos isolados no universo? Mesmo aqui dentro de nossa galáxia! Porquê tamanho isolamento? Porquê?

A EXISTÊNCIA DE DEUS
13* Com minha mente escarafunchadora de tudo que vejo pela frente, e me causa dúvidas! Na realidade creio e prego aos quatro ventos que o universo é feito mais de dúvidas, que de outras coisas! (Claro, que para o “sapiens”). No dia 14 de maio de 2008 analisando o que seria a minha existência, isto é, em busca de uma razão lógica para minha existência, (eu foco em mim, meus estudos nessa área). Nesta data eu escrevi um ensaio com o título: (A EXISTÊNCIA DE DEUS), ensaio este, que também está postado nesse blog. Onde defendo ardorosamente o “princípio” de que a humanidade está somente no princípio do princípio do uso da enteléquia e da aquisição do conhecimento, e de que ela e o universo em que esta mesma humanidade habita, sejam os únicos geradores deste conhecimento. A energia e a inteligência que gerou estes dois mistérios não está pauta em foco, nesse momento, nessa apreciação. Refiro-me ao universo e à humanidade, porque a lógica me diz que a humanidade em seu isolamento aqui na Terra, pertence a um único e imenso organismo, a que chamo de “Grande Ser”. E o universo por isso, contém seu mistério que é a humanidade pensante! Ou vocês não acreditam que nós e a Terra sejamos poeira das estrelas? Na frente de todo mundo sigo eu, como o mais desinformado de todos os tolos “que somos”! Me considero o chefe dos idiotas que pensam que sabem alguma coisa! Como dizia Diderot!  “Pauvres philosophes!” Kant seu contemporâneo nos recomendava: “sapere aude!”. A frase de Diderot nos põe em nosso lugar! A de Kant nos estimula a avançar em busca do conhecimento. E assim continua a marcha da humanidade! Em busca do conhecimento e da verdade! Mas, uma “marcha feita isolada”, dentro do universo de cada um! Pois a ciência não sabe onde o universo externo termina! Quando disse que foco em mim, meus estudos sobre a existência humana! Não é por egoísmo! Antes, seria como lição, para que aprenda, e constantemente respeite as crenças e as burrices dos meus semelhantes. Faço meus estudos com foco somente no meu “Ser”! Não é por egocentrismo! Mas sim, porque eu estou disponível a todo instante, e mais perto de mim mesmo, e não tenho que acordar meus amigos para lhes interrogar nas madrugadas da vida.

Entendamos que a humanidade está inexoravelmente presa em seu belo sistema solar. Portanto, completamente isolada do imensurável universo que a envolve.

Certa vez, há muito tempo, quando ainda jovem, 35 anos, há uns 43 anos atrás, no Polo Petroquímico de Camaçari, raciocinando sobre nosso isolamento no cosmos, senti uma angústia tão grande no coração que chegou a doer! E então chorei como um menino, perdido na longa estrada do entendimento das coisas! E me perguntei, porquê fizeram isso com a humanidade? Porque?


Edimilson Santos Silva Movér
Vitória da Conquista, Bahia
06 de novembro de 2018
77-99197 9768 
moversol@yahoo.com.br





quinta-feira, 25 de outubro de 2018

O TERRAQUEOISMO - ENSAIO



DA SÉRIE: ENSAIOS QUE NOS LEVAM A PENSAR
Subsérie: Novas ideias, Sim! Diferentes, sim! Mas, que podem mudar o mundo, e para um mundo melhor para se viver!

O TERRAQUEOISMO

INTRODUÇÃO:
Saibam todos que destas singelas elucubrações tomarem conhecimento, que o “insight” das “ideias” que dão forma e conteúdo a este ensaio, foram criadas, tidas, ou imaginadas na noite do dia 22 de outubro do ano de 2018, contados a partir do ano da graça do nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo. “Ideias” estas, as quais, ofereço com carinho à todas as mulheres, pois, foi uma delas que conseguiu mudar o rumo da história do uso do planeta como abrigo do “sapiens”, e ao mesmo tempo, iniciar o desenvolvimento da sociedade humana com a invenção da lavoura! Isto, há dez ou onze mil anos atrás! Em particular dedico este mesmo ensaio à minha amiga Maria da Conceição de Andrade Santana.

1* O neologismo “terraqueoismo” foi adotado para que não o confundamos com o “terraquismo” tão falado na geopolítica! Eles se referem a mesma coisa sob dois enfoques diferentes. O “terraqueoismo”, como um sentimento de sua origem, e de seu nascimento e como um gentílico universal. Já o “terraquismo”, é uma referência analógica entre fonte de produção e fonte de consumo, na instância da geopolítica comercial global e mais algumas maluquices,  defendidas por Friedrich Ratzel, mas, todas rebatidas por Paul Vidal de La Blache (1845-1918), tenho consciência que o meu neologismo, naturalmente voltará à forma natural de “terraquismo”.  Isto, por ser uma palavra esdruxula, a força do diacronismo semântico cuidará disso.  

2* Antes que os filósofos da vida metam o bedelho, aqui, fica o aviso! Não darei tratamento etológico a este ensaio, “homo animalis differunt”, muito menos um enfoque geopolítico. Gente! Isto aqui é somente a exposição de uma ideia e nada mais! Mas, referir-me-ei ao “sapiens” sob uma visão mecanicista, como um “Ser” duo, matéria/energia.  Este marcador de leituras 2* é dirigido a meus leitores espiritualistas.

A) O que é o “terraqueoismo”?
B) Quais ideias e fatos dão sustentação a minha proposta de se adotar o “terraqueoismo”?
C) Como o homem adquiriria mais facilmente, sem traumas e mais naturalmente este conceito de “terraqueoismo” sem que isto lhes seja imposto?

3* Respondamos primeiro a estas três perquirições para depois iniciarmos o ensaio! Para princípio de conversa! As teorizações de Friedrich Ratzel (1844-1904), sobre geopolítica, perante minhas ideias são insignificantes! Minha proposta é, (como veremos), infinitamente maior e mais importante, sobretudo muito diferente do terraquismo da geopolítica de Ratzel.

4* Respondendo A). O “terraqueoismo” é uma nova iluminação na mente do homem. É o homem se ver como filho do planeta, e não mais, como filho de uma Nação qualquer! Nasça onde nascer! Nele prevalecerá o sentimento de filho do planeta! Um presidente de uma grande Nação coerentemente já dissera que no caso de uma invasão alienígena todos nós, nos sentiríamos terráqueos! Mas, há modos e maneiras de se sentir terráqueo e adquirir este novo conceito de “terraqueoismo”! E não somente quando o planeta for invadido por alienígenas! Coisa que com certeza nunca acontecerá! Qualquer civilização no universo que vencer as distâncias entre as estrelas, já estará um milhão de anos mais evoluídas que os “sapiens” Williams Stephen Walking estava errado! Nenhuma civilização que chegar até aqui, nos molestará, tal perigo não existe! Imagine daqui a 200 (duzentos) anos ou mais! Partirmos para outro sistema solar, e lá num planeta encontrarmos uma colônia de toupeiras, nós as molestaríamos? Podíamos trazer até uns espécimes para estudos! Mas, nunca molestaríamos a colônia! Não faz sentido viajarmos tão distante para molestarmos animais indefesos, Garanto! Walking estava errado!  

5* Respondendo B). Aqui, proponho as condições necessárias para que os humanos se sintam terráqueos, isto é, pertencentes ao planeta Terra, e não pertencentes a um país qualquer! Torna-se necessário, uma "certa condição”, para que as nações busquem avidamente por imigrantes! O que faria desaparecer os passaportes! Dentro de poucas gerações todos nós, nos sentiríamos terráqueos. Conseguiríamos, esta "certa condição”, adotando em todo globo o controle da natalidade. Que nos traria como consequência, uma busca por mão de obra em todas as Nações! O que provocaria o fim dos passaportes e consequentemente o fim das fronteiras políticas, embora, as fronteiras aduaneiras continuassem. (Ainda que por algum tempo). 

6* Respondendo C) Com o fim simbólico das fronteiras ideológicas e políticas, o sentimento de nacionalidade estaria sepultado. E o melhor de tudo! Logo logo, as 17 mil ogivas atômicas seriam desmontadas. Logicamente, reinaria a paz entre as nações e entre os homens, pois, a riqueza sendo distribuída! Cessariam as disputas que nos tornam tão selvagens quanto os animais o são! Existe uma diferença nestes dois tipos de selvageria! O animal o é, unicamente por sobrevivência! O homem por burrice, maldade, estupidez, ganância e mais algumas mazelas!

VAMOS REPETIR A LADAINHA
7* A primeira coisa a se fazer para todos humanos adquirirem o sentimento de terráqueo, será adotar o controle da natalidade, com as populações diminuídas, dentro de pouco tempo, as correntes migratórias serão bem-vindas e mesmo estimuladas a migrarem para as regiões mais ricas, industrializadas e promissoras. Não é necessário acabar com as nações, basta somente acabar com os passaportes! O trânsito das pessoas no planeta seria completamente livre! Todos circulariam livremente entre as nações, somente o controle alfandegário continuará a existir, num futuro distante nem isso!    

8* Para a humanidade adotar o sentimento de “terraqueoismo”, (pois o “terraqueoismo” não é uma crença ou ideologia), mas, simplesmente um novo posicionamento de cada um, com relação a seu planeta, e não com relação a qualquer parte deste mesmo planeta a que possamos chamar de “país” ou Nação. No fim, no fim! Nós nascemos foi na Terra. Embora possamos morar em qualquer parte dela. Pelo menos, no futuro vai ser assim! Se se diminuir a população em 50% estará salva a biodiversidade, já pensou o que isso significa para a humanidade? No mínimo estaria garantida a permanência da humanidade no planeta.

9* Para o falante, adotar o “terraqueoismo”, não é necessário que este lhes seja imposto, como disse acima, basta somente acabar com os passaportes! O trânsito das pessoas no planeta será completamente livre. As regiões extremamente atraentes, terão suas populações tão concentradas que chegarão a um ponto! Em que estas regiões não crescerão mais, e não serão mais atraentes, o que provocará maciças migrações para outras mais atrativas, pois como o trânsito é livre, não havendo fronteiras para os homens, mas, somente para as mercadorias, as populações procurarão se distribuir em busca de melhores condições de vida, criando um equilíbrio populacional próximo do ideal. Muita concentração, muita concorrência por tudo. Surgindo daí, a dispersão e o equilíbrio populacional! Como o controle de natalidade não permitirá a população total crescer! As populações dos diversos países paulatinamente se distribuirão pelo planeta pacificamente e em ordem em busca de educação, trabalho e paz. A distribuição das diversas etnias pelo planeta com o passar dos séculos haverá uma miscigenação de todas elas, porque, ao se falar de “RAÇA” a ciência nos diz que só existe uma raça no planeta! A raça do “homo sapiens sapiens”! O que existe são muitas etnias, muitos povos. A miscigenação cuidará de criar um biótipo ou padrão único de “sapiens” que resultará num único genótipo no planeta. O que proporcionará uma crescente queda no número de enchedores de latrinas, até a sua completa extinção.

10* Imaginem a maravilha resultante dessa tomada de posição da extinção das fronteiras, mas, não da extinção das nações, o que não será necessário, basta não haver mais passaportes, que não haverá necessidade de se extinguir as Nações. Eis o que é esperado para um mundo sem passaportes e com rígido controle de natalidade. Por questões comerciais, no início as fronteiras aduaneiras devem permanecer, num futuro não previsível no momento, elas desaparecerão naturalmente, por inúteis que se tornarão. Os computadores já estão fechando as aduanas internas nos países.

ANALISEM A LÓGICA DESTES ITENS:
COMO AS RESULTANTES DO “TERRAQUEOISMO”
A) Abundância de alimentos a custos extremamente atraentes, baixando os custos dos produtos de todos os tipos, principalmente os essenciais! Seus preços então seriam realmente regulados pela lei da economia, conhecida por todos, (do feirante ao industrial), “lei da Oferta e Procura”.

B) Oferta de energia a custos também baixos.

C) Desativação de todas Usinas atômicas, por gerarem          energia não competitiva com as energias renováveis, que
         finalmente poderiam suprir um planeta menos populoso. 

D) Baixo custo da maioria das matérias primas, ainda existentes em abundância no planeta. (A diminuição do consumo estimula a oferta), olha a lei aí de novo!

E)  A diminuição proporcional em relação a população do planeta, do número de graduados nas universidades, causará uma consequente melhoria do ensino em todo planeta. Principalmente nas regiões mais pobres.

F)  Fim da xenofobia e do racismo e de outras imperfeições tão naturais nos sapiens dos dias de hoje. A distribuição e a circulação da população livremente por todo planeta trará com o passar dos tempos, (tempo que inexoravelmente passará!), a tão falada língua única para o “homo sapiens sapiens” que finalmente poderá ser chamado de “homo sapiens sapiens”! Pois, este novo “homo sapiens sapiens” não mais se sentirá filho desta, daquela ou de uma Nação qualquer! Mas sim, descendente do povo do Vale Turkana, e filho do planeta Terra. Para isto acontecer! Reconheço! Lá se vão cinco séculos.
                            
11* Finalmente, com o sentimento do “terraqueoismo” adquirido e já inato nas gerações subsequentes, haverá a tão sonhada paz universal, esta é a primeira proposta para se estimular a adoção do “terraqueoismo”, outros pensadores inteligentes irão nos apoiar nesta empreitada. O grande problema a ser enfrentado será a burrice dos governantes do planeta, que sempre preferiram e preferirão enfrentar o abismo do CAOS, que ver seus PIBs diminuídos, embora esta diminuição seja proporcional a diminuição da população. Mas, quem pode com a burrice?  Por falar em burrice, vejam o ensaio postado nesse blog (O ELOGIO DA BURRICE). Para se inteirarem, do quanto esta peste está enraizada na atual sociedade humana.

12* Com a chegada do “terraqueoismo” a riqueza naturalmente, será uniformemente mais bem distribuída, sobrarão empregos, mesmo os subempregos serão muito mais bem remunerados.  

13* Os hospitais se esvaziarão pela metade ou mais! Por falta de pacientes, como efeito da efeito da diminuição da população, então, o número de pacientes cairá vertiginosamente! Então não mais haverá falta de leitos! A saúde será absolutamente e totalmente gratuita. Somente os remédios serão pagos.

14* A justiça verá suas salas de julgamentos esvaziadas pela distribuição da renda e pelo excesso da oferta de empregos bem remunerados. (Não sejamos hipócritas, e enfrentemos a verdade). Ora! Também não sejamos ingênuos!

VOLTEMOS A NOSSA TÃO MALTRATA MORADA
15* Os 7,6 bilhões de enchedores de latrinas, outubro de 2018, (não me culpem por esta pecha), antes descarreguem seus furores no polímata ausente Leonardo da Vinci. Dizem noutras palavras, que as ausências causam furores acompanhados de atrevimentos!    Se conseguirmos adotar o “terraqueoismo” e a adoção do controle da natalidade, conseguiremos dentro de duas gerações reduzir até 1/5 da população atual!

O PROTOCOLO DE JOINVILLE CONTRA A EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA.
16* A sua “front page” de 25 de dezembro de 2012 trás um texto onde há tantas verdades que vou transcrevê-lo aqui “ipsis litteris”. (“Eduque os pais e governos, ou não conseguirá dar água e alimentar tantas crianças, chorarás com elas, mas, com isso não as alimentarás. Ainda assim, se saciares milhões delas não saciarás bilhões delas, pois a terra é limitada (e na tentativa de saciá-las, destruiu toda a natureza), então descobrirás que apenas enganou-as por algum tempo, chegou ao limite e piorou a vida delas, pois também destruiu a esperança e o futuro. Única solução”).

17* Tomei conhecimento desse movimento na época, nunca mais ouvi falar dele, nem quais resultados foram alcançados, sei que é muito duro lutar contra a burrice, Uma página na net de um grande cidadão, me pôs a par do PROTOLOCO DE JOINVILLE. De 2012. O cidadão é o Aurelio Mayorca. Inventor, ambientalista, ensaísta e filósofo autodidata”). invencoes@gmail.com

  A DEMOGRAFIA
18* Agora me dou conta de que existe uma área do conhecimento humano que já nasceu morta, pelo menos para reclamar, não se houve suas vozes, muito menos seus gritos e lamentos a respeito da maldita explosão demográfica, que vai matar e está matando o planeta, parece que a classe vive da explosão demográfica. Nunca vi a voz de um demógrafo que seja, reclamando, veementemente nas ruas ou na mídia! (Ou será que não existe tal profissão! E a ciência da demografia onde fica?), foi criada somente para contar enchedores de latrinas? Nunca ouvi eles fazendo um movimento sequer! reclamando ou tratando desse assunto, será que não gostam de queimar pneus, devido a fumaça que sobe e polui a atmosfera? Ou não querem se parecer com a plebe ignara! Ou seria a mídia que esconde tais reclamações! Já sei! É uma classe desunida, que vive disputando empregos nos governos corruptos de todas as Nações em que os corruptos estão no comando! Posso também morar no interior e ser mal informado! Ou será que meu tico e meu teco deixaram de funcionar? Que pigorra é esta! O que Há! Com os homens da ciência demográfica? Vejam bem! Tenho alguns bons amigos demógrafos, esta brincadeira é dirigida somente a eles. Que a classe fique de fora. Liguei para um deles e disse que estava escrevendo um ensaio sobre o controle da explosão demográfica. Naturalmente via controle da natalidade. Ele me disse tire Malthus disso, e não vá escrever merda. Foi a conta, eis o resultado.

19* A longo prazo o “CONTROLE DA NATALIDADE” pode nos oferecer consequências insuspeitadas e benéficas para a humanidade...
Como está, é burrice continuar. E ponha burrice nisso!

No próximo ensaio vou tratar da nossa solidão no universo.
Deve ser a velhice! Só penso em armagedom! Ou seria minha veia nostradâmica?

Edimilson Santos Silva Movér
Vitória da Conquista, Bahia
25/10/2018
77-99197 9768











quinta-feira, 11 de outubro de 2018

O MEIO AMBIENTE - ENSAIO





DA SÉRIE: ENSAIOS QUE NOS LEVAM A PENSAR
Subsérie: Relembrando fatos, alguns, já fartamente conhecidos por todos

O SER E O EXISTIR
CAPÍTULO 08
O MEIO AMBIENTE


1* Há um bom tempo não dedico um ensaio a uma pessoa! Este ensaio por ter como um dos temas a história, será dedicado a uma pessoa especial, e extremamente inteligente, historiador, uma mente brilhante, cidadão de escol, sendo atualmente professor de Teoria da Constituição e Direito Constitucional, na UESB. Na vida profissional é um advogado de sucesso em Vitória da Conquista. O meu amigo Dr. Ruy Medeiros.


Os pensadores gregos foram os primeiros a reconhecer a necessidade da conservação do meio ambiente, tanto que tive vontade de nomear este ensaio de “O ESPANTO”, espanto este, tão falado nos fragmentos, dos filósofos pré-socráticos.


2* O problema maior do meio ambiente atualmente, é a explosão demográfica. Onde um número excessivo de: “enchedores de latrinas", foi o polímata (Leonardo di Ser Piero da Vinci, mais conhecido como: Leonardo Da Vinci), que assim os nominou. Estes, ao utilizar o meio ambiente como uma “entidade” que existe à parte, separada deles! Estes, “homens” de Da Vinci”, devido à “explosão demográfica”, e tão somente devido à ela, tornaram-se os únicos responsáveis pela destruição do meio ambiente, e consequentemente pondo em risco a continuidade da existência de si próprios. Desde quando, jamais uma espécie conseguirá sobreviver num meio ambiente tão adverso, a ponto de ser impróprio ao seu sistema biológico.


NO MEIO DO AMBIENTE

     3* Durante boa parte da história do planeta, pelo menos nestes últimos 250 mil anos, no (Meio do Ambiente), está o homem como seu principal agente conservador, transformador, e atualmente como seu principal predador. Agora podemos realmente compreender Hobbes, quando citou e popularizou a frase de Plauto.


AS DIVAGAÇÕES TÃO NATURAIS EM MEUS ENSAIOS

4* Estou ficando meio ousado, creio que a velhice faz isso com as pessoas, será que já estou divagando no início dos ensaios? O que levaria o leitor a perguntar! Qual é o motivo que leva um ensaísta a começar um trabalho já na área da defesa? Explico! Aqui, neste caso em particular, estas palavras, aparentemente iniciais, são na verdade! “Encerratórias”, ou como dizem, “conclusivas”. Elas na verdade concluem, pois, foram acrescentadas a posteriori ao texto já acabado. Elas seriam provocadas pelo medo da retaliação? Talvez seja possível que sim! Podemos observar que devido à liberdade existente e dada aos ensaios, neles, nunca deveria haver meias palavras, ou meias verdades. O modelo de texto chamado de “ensaio” nos permite liberdade total no escrever, até mesmo, divagar por dentro de sonhos e elucubrações nada comuns! Por exemplo: Como em todo bom texto, nos ensaios não são permitidos ataques à honra, e aos princípios e crenças das pessoas! Olha o exemplo! No momento me bateu uma saudade de uma certa linhagem de meus antepassados! Aí resolvi! Vou tergiversar um pouco e tratar do assunto da minha saudade, depois, chegaremos naturalmente ao assunto do meio ambiente. O meio ambiente é eterno, isto, até o dia de seu desaparecimento. Segundo o princípio de que nada é eterno, à exceção da Energia Criadora, que chamamos de: Yhavhé. Allah, Bramam, Deus, Eu Sou, Amon-Rá, Krishna, Tupâ, Mazda, e etc.. As saudades ao contrário, que nós chamamos de eternas, estas só nos vem de vez em quando! Tem saudades que aparecem, somem e nunca mais retornam. Antes devemos nos lembrar que estas elucubrações ou proposições, e também, o que será proposto sob outros enfoques, não são acusações! Mas sim! Constatações, às vezes doces, outras vezes amargas. Intento eu, como ensaísta que penso que sou! Fazer com que; nas alfombras macias, que aplainam o iniciar, e instiga a leitura deste singelo e despretensioso ensaio, onde minha intenção, nem de forma adjuntiva, foi ou seria de atacar ou agredir quaisquer criaturas humanas, presentes ou ausentes! Esta petição não é dirigida aos que denigrem ou denigriram! E sim, a estes outros que dela tomar conhecimento! Se presentes aqui na terra, nesses breves instantes de suas efêmeras existências! Vivam ativamente, o seu viver! Respirem, durmam e sonhem sob a sombra iluminada pela lua de seus existires, sempre sob o frescor da sombra da amada Serra do Piripiri. Mas, se ausentes! Principalmente, se “nirvanistas” isto é, já estabelecidos no Nirvana há tempos, portanto, moradores antigos, já consolados pelo Frei Albérico! E já tornados "de cujus"! A cada um em particular, peço, digo, imploro! Que avise ou diga ao exequente, o famoso João Gonçalves da Costa, sendo ele a causa desta pugna, que a Serra da Tromba está bem e inteira, a Serra do Piripiri, também está bem, com alguns arranhões, mas, vista de longe, ainda está bonita, bela e altaneira, e também me façam o favor de avisá-lo de que seus descendentes, enquanto vivos, não o esquecem, recomende, para que ele, dê um abraço em Vó Josefa, e que deixe de rusga e dê um abraço em Vô Matias, pode ser de cara amarrada mesmo, não tem problema nenhum. E diga-lhes que as saudades são muitas, há! Em tempo! Que ele dê um abraço em sua bisneta e minha trisavó Joaninha, esposa de meu trisavô Vital Correia, e outro na minha saudosa tetravó Maria Joaquina do Amor Divino, que lindo nome! Esposa de meu tetravô João de Oliveira Freitas! E também na minha pentavó Faustina, das filhas de Josefa é a mais famosa e formosa, morena de cabedal. 

      5*Neste Blog há um poema em forma de prosa poética, com o nome de "A Serra e o Aguão", é onde canto o conto da paixão que existiu ente estes dois “entes”, a Serra do Piripiri, e o grande açude da baixada de minha amada terra, refiro-me a eles, um pouco antes do grande açude, conhecido como, Aguão, ter sua barragem destruída por motivos de saneamento.

6* Quanto aos colegas de Tucídides, destes trataremos agora! E que os que se sentirem ofendidos se sintam antes, louvadosadmirados e até mesmos elogiados, isto, para fazer com que se ilumine minha burrice por ter conseguido sem querer, possivelmente, ter acendido suas piras de furor, mesmo assim, de piras acesas, passem a acreditar e ver a verdade de que não pensei em ofendê-los. O maior dos filósofos que viveu no sXIX, o do bigodão, disse erradamente que: o "abster-se da ofensa, da violência, e da exploração mútua" é uma negação da vida. Peço encarecidamente, que não vejam a coisa por este prisma, por que, neste conceito filosófico está embutida a visão de um mundo do passado, um mundo primitivo, da disputa, da luta e da maldade! E não uma visão de um mundo, não digo do presente! Pois esta visão todos nós a temos e sabemos de sua dura realidade. Mas sim, do mundo do futuro! Como eu espero, e que naturalmente será no futuro, o mundo do “futuro”! Um mundo do Amor, da Paz, da Compreensão, da Concórdia, da Bondade. Pois, tudo em nossa existência é uma questão de lógica e do passar do “tempo”!  Tempo este, que faz a realidade do nosso existir cotidiano. Este mundo do futuro estará fundamentado na primeira premissa do mundo do futuro, de que tudo comprovadamente evolui, e evolui para melhor! O Nietsche foi um pensador extremamente inteligente, de raciocínios iluminados, mas, extremamente complexos! O "xis" da questão destas declarações nada abonadoras da realidade humana, deve teve sido motivada por uma “ação” sofrida, ou testemunhada pelo grande pensador.


7* Finalmente! Agora eu perquiro aos homens dos furores! A humanidade está progredindo ou regredindo espiritualmente? Ou como é dito por alguns, “entelequialmente”? Na área do imediato, eu não discuto esta proposição do pensador citado! O animal ou disputa a alimentação da prole, ou sua espécie desaparece! Numa visão maior, mais alargada! Isto não deve prevalecer no presente, que antecipa um futuro, não tão distante. Este futuro só existirá! Se desde um passado remoto até o presente, a luta tiver sido, e continuar sendo para a preservação de “todas as espécies”, e não somente egoisticamente e com visão burra e antropocêntrica, da “minha espécie”! Se for a primeira opção a prevalecer! Temos, que a humanidade está evoluindo espiritualmente, se for a segunda opção, estamos indo para o fundo do poço. Conforme as últimas informações que chegaram a minha singela máquina de analisar o mundo! Pela cor da fumaça que sai da chaminé do Vaticano, há notícias auspiciosas. E o arauto das boas novas é o canadense e professor do departamento de psicologia de Harvard, Steven Pinker. É ele que nos anuncia na sua obra: “Os Anjos Bons da Nossa Natureza”, em suas 1087 páginas, as alvissaras, onde nós vemos claramente e de forma racional, lógica e minuciosa, que a sociedade humana está evoluindo. Portanto, diminuindo sua selvageria. Desconhecia esta obra até a pouco tempo, tomei conhecimento dela através de um primo e amigo também como eu, hexaneto de João Gonçalves da Costa, O ex-bancário do BNB, extremamente inteligente, com uma visão alargada do existir! E um poeta de escol, Wilson Souto Santos do Centro Empresarial Gerimum.

8* Vamos a uma prova indiscutível da ação perniciosa que o homem pratica no ambiente em que ele vive! E logo depois analisemos o porquê das ações do sertanista em apreço, e nosso hexavô João Gonçalves da Costa. Aqui serei um Dom Quixote lutando contra uns Moinhos de Vento, tomara, que também sejam imaginários. Para ser um bom Dom Quixote tenho todas as ferramentas! Sou sobrinho-neto de Ernesto Dantas,  sou poeta e sonhador! Sou sobrinho de Dino Correia! Portanto sou Correia, e doido, como o personagem de Saavedra o foi, assim! Pedras é que não irão faltar em meus bolsos para atirar nos Moinhos de Vento. Esta prova da prática perniciosa ao meio-ambiente convive com a sociedade conquistense desde o segundo quarto do século XVIII, década de 1730, quando pela primeira vez, aportou por estas bandas o Capitão-Mor João Gonçalves da Costa, acompanhante do Mestre de Campo João da Silva Guimarães, que do governador da Capitania da Bahia, Senhor Manuel da Cunha e Meneses, recebeu ordens, para executar aberturas de estradas na região do Sertão da Ressaca, mas, para isso ser feito, teria que; pacificar os índios da região, e derrubar a vegetação para abrir as estradas solicitadas pelo governador da Capitania, Manuel da Cunha e Meneses, que era por direito de lei, na época, o representante no Brasil da pessoa de João Francisco António José Bento Bernardo, que por sua vez, na época; era por direito de sangue, o Rei João V - Rei de Portugal e Algarves. Assim, deixemos de uma vez por todas de denegrir a imagem dos que já passaram pela história, não há um calça frouxa da atualidade, historiador ou não! Que tivesse a coragem de enfrentar três tribos de índios selvagens, PataxósImborés e Mongoiós, (e não me venham com esta história de que eles eram santinhos, pois, isto é exatamente o que eles não eram)! Digo ter coragem, para enfrentar com facões e “clavinotes” de carregar pela boca, digo mais, ter coragem para enfrentá-los sem sujar as calças. Ninguém teria tal coragem! Portanto, calem a boca definitivamente, sob pena de no futuro serem julgados pela mesma história, como difamadores de personagens, (indefesas por ausência). Nenhum historiador está livre da caneta da história. Ora! Sem um desbravador, competente como um (desbravador) deve ser! Para que se abrisse as estradas solicitadas, e se expulsasse os índios que atrapalhavam! Usando dos modos disponíveis na época! Como se obedeceria as ordens indiretas do Rei de Portugal e Algarves? O Rei João V. Ordens dadas pelo Governador da Capitania da Bahia! Pelos métodos de hoje é que não seria! E assim, dificilmente seria criada a Vila da Vitória? Se se fosse nos dias de hoje, se entraria com uma ação de reintegração de posse na justiça, e tudo estaria resolvido, mas, como a ocorrência se deu em outros tempos, nos idos do século XVIII, os métodos utilizados foram os disponíveis e comuns à época. Ora! Nessa época, nas leis e no consenso das Nações, quando dos descobrimentos das novas terras, tudo que existisse nessas terras, ar, solo, subsolo, vegetação, animais selvagens, as aves do céu, moradores, nativos, “índios”, tudo e etc., tornar-se-iam propriedade da nação responsável pela ação do descobrimento, e estariam sujeitas a ação da lei da Nação descobridora. Isto assente e estabelecido! Não vejo por que não questionam a ação destas Nações, e sim a ação dos seus comandados? Confesso que não compreendo a razão destes questionamentos, e deste rancor dedicado aos desbravadores. Devo ser muito burro mesmo! Não entendo esta pinoia de decisão! O verbete “furor” utilizado aqui é para não utilizar o verbete “ódio”, dizem que o ódio é uma imensa pilha de rancores. E isso os ilustres historiadores de minha terra não possuem.

9* Não precisam perder tempo e me taxar de burro, leiam antes o meu ensaio “O ELOGIO DA BURRICE”, aqui mesmo nesse Blog, e ali encontrarão a minha confissão de “próprio punho”, de que sou o “Ser” mais burro que já aportou, ou está de volta a esse planeta azul. E sob o ponto de vista, de que essa condição histórica sendo relativa ao passado, e não relativa ao presente, então, se a bendita Vila da Vitória não tivesse sido criada, com os esforços do desbravador, deduz-se que esses historiadores não estariam aqui denegrindo a história do desbravador! Salvo se pretendessem que um homem destemido como meu hexavô, João Gonçalves da Costa, fosse antes à Holanda e trouxesse de lá, três caravelas entupidas de flores para enfrentar as três tribos dos santíssimos índios, PataxósMongoiós e Imborés. Podiam até ter trazido de quebra uma caravela de tulipas que o ardor e a fúria defensiva dos dignos Pataxós; Imborés e Mongoiós não arrefeceria! Usem a razão! Não sejam infantis! Tenham dó de si mesmos! Não se deve fazer o próprio nome em detrimento da memória dos mortos. Não estou aqui, propondo um perdão muito menos uma anistia! Isto nunca seria necessário! João Gonçalves da Costa não se rebaixaria a um perdão ou a uma anistia! Nem seus pares o faria! Estou tentando dizer para suas mentes, (não sei, se pequenas, se grandes, ou se extraordinariamente grandes), que o paradigma e as condições sociais, costumes, acordos morais e condições de sobrevivência, e sobretudo, que a psicologia dos contendores daquela época eram outras. Proponho somente que deixem os mortos como mortos que já estão mortos! Não os ressuscitem para denegri-los. Se se escreverem mil livros de história, estes mil livros não mudarão uma virgula da história que já virou história. Portanto, aqui peço que se encerre esta história. Queria antes, de terminar este sacolejo na história da minha amada terra do Sertão da Ressaca,  dizer que faço este sacolejo, na intenção de vos recomendar, que ajam inteligentemente, que façam como o Professor Durval Lemos Menezes, escrevendo a história!  E não tentando mudar uma história que já virou história. Não se chafurdem na história. Ainda há tempo para se tornarem famosos, e serem novos Heródotos, Políbios, Hobsbawms, Claude Perrots, Tácitos, Sênecas, e tantos outros, já ia me esquecendo do Josefo. A história da sociedade humana, mal começou, pois só temos 7,5 mil anos de história escrita. Ora! Creiam-me, segundo a teoria copernicana do Dr. John Richard Gott, a humanidade ainda tem 7,8 milhões de anos pela frente. Lembrem-se que, o Dr. John Richard Gott é professor de astrofísica e de física gravitacional, na Universidade de Princeton, na cidade de Princeton no Estado de Nova Jersey nos Estados Unidos da América. Portanto, não me venham denegri-lo. Eis uma importante informação: Nessa cidade de Princeton, a partir de 1933 morou e foi professor até sua morte ocorrida em 1955 o gênio Albert Einstein. A importância desse cidadão, poucos podem avaliar, é muito natural, pois, o que fez é muito complexo. Em tempo: A teoria copernicana está descrita aqui no blog, no ensaio: UM FUTURO PRESUMÍVEL PARA A HUMANIDADE, podes ir direto ao 5* marcador de leitura do ensaio.


       Tratemos do efeito da descoberta do Einstein:

10* No entanto, é fácil entender sua importância, e isto, mesmo fora da física de partículas, no sentido de que aqui trataremos do que seja a gravitação e do que seja o tempo. Disto trato também em outros ensaios! Aqui e agora, trato do efeito da distorção do espaço e do tempo, a que a física einisteiniana ou relativística chama de quarta dimensão, ou (espaço/tempo). Observo-o aqui, somente com relação a descoberta das equações matemáticas que definem as funções relativísticas na física espacial, sem as quais o GPS de teu automóvel, nem do teu Smartphone funcionariam bem, simplesmente conteria um erro de alguns quilômetros, consulte um bom profissional de Geomática ou Geodésia, e verás a verdade do ora exposto. O Waze, e outros navegadores, também não funcionariam, a planta de tua cidade e da tua fazenda também não seria perfeita, A moderna aviônica não existiria! Os automóveis navios, aviões, satélites, autônomos não existiriam também. E, isso é uma infinitesimal fração do que este senhor que mostra a língua numa foto famosa, fez pela humanidade. Ora! Meus amigos historiadores! Voltemos aos 7,8 milhões de anos do Gott, isto é muito tempo para se fazer e escrever a história, portanto, mãos à obra. É bom que fique explicitado e bem explicitado, que nesse arrazoado que ora faço, não dirijo-me ou refiro-me a nenhuma pessoa em particular. Nenhuma mesmo! Estou somente usando um direito natural que o meu bom senso me mostra que tenho, que é, o de defender pessoas indefessas, nesse caso o meu hexavô João Gonçalves da Costa, ausente de Vitória da Conquista e da vida desde há 198 anos, portanto, para mim um indefeso! A benção meu Avô!


11* Meus leitores e irmãos, somente eu, possuo 64 hexavôs e 64 hexavós, para dirimir dúvidas sobre genealogia leiam nesse Blog o meu ensaio, ANTITRATADO DE GENEALOGIA, podem ir direto ao marcador de leituras nº 53*, do antitratado, e se porventura forem conferir o número de hexavôs, e de hexavós, lembrem-se da regra do n+1. Gracias.


VEJAMOS O TRATAMENTO QUE DERAM AO LONGO DOS ANOS AO RIACHO DO VERRUGA,
PRINCIPAL CAUSA DA ESCOLHA DESTE LOCAL PARA
FINCAR AQUI, A VILA DA VITÓRIA
12* Ninguém se dá conta! As águas do riacho da Serra do Piripiri que correm serra a baixo, e nunca serra a cima, com o bonito nome de Riacho do Verruga, e que corta nossa cidade de Vitória da Conquista ao meio, hoje, início do século XXI, este fato comum, não é do conhecimento da maioria da população atual, nem mesmo a sua existência, nem tão pouco sua localização! As águas límpidas e cristalinas desse humilde e esquecido riacho eram utilizadas para: lavar roupa, lavar os pratos, lavar as casas, tomar banho, dar banho nas crianças, lavar aquilo, cozinhar, fazer saborosos licores para as festas de Nossa Senhora da Vitória, e vocês não vão acreditar! Servia principalmente, para beber, na época era pura, límpida e cristalina, e a única disponível no entorno da Vila da Vitória. Hoje amados leitores, eu desafio qualquer um de vocês a cheirar suas águas (fora da área protegida do Poço Escuro), sem sentir náusea ou repulsa! A maioria da população que convive, e vive em Conquista nunca ouviu falar desse riacho, e grande parte não sabe onde ele passa, o problema é que mataram o pobre do riacho, daí, ficaram com vergonha e esconderam seu cadáver! No meu tempo de estudante, nós bebíamos suas águas, isto dentro do ambiente do Poço Escuro, e este, contíguo ao Ginásio do Padre. Toda a vida no planeta é dependente da água. Para a humanidade existem dois grandes exemplos! O primeiro, é que a humanidade foi formada em torno de um grande reservatório natural de água! No vale do Lago Turkana, no noroeste do Kênia na Mãe África. O segundo, é que a sociedade humana moderna foi formada mais ou menos, há dez mil anos atrás, na mesopotâmia, isto é, entre dois rios, os bíblicos rios Tigres e Eufrates.


               Vamos à minha arenga. Antes, peço licença ao Dr. José Mário   

               Ferraz para dar uma arengada numa arenga, um pouquinho só!

13* Minha avó, paterna, Mãe Neném, Odília dos Santos Melo, filha de Joaquim Correia de Melo e de Raquel Andrade Santos, neta de Sinhazinha Santos, portanto bisneta do Padre Andrade, quando jovem em 1895, época em que seu pai era o intendente do município, e a sua família morava na Rua Grande, ela, mais recentemente, já na década de 1960, nos contava, que na época em que era jovem, todas as famílias vitorianas, (não existia o nome Conquista ainda), utilizavam as águas límpidas, geladas e cristalinas do Riacho do Verruga. Por isso eu afirmo; o homem é o principal agente conservador, transformador, e por vezes destruidor, do meio-ambiente em que vive. Este primeiro enfoque foi dentro de casa, agora partamos para o mundo. A citação da minha origem familiar, foi para me posicionar perante meus leitores e perante o ambiente em que vivo, e principalmente perante mim mesmo. Parte desse conhecimento genealógico me foi passado pelo genealogista Paulo Márcio Fernandes há muito pouco tempo. Nós destruímos o ambiente em que vivemos, e passamos a vassoura do descaso em nossa história, então, passamos a ser arautos e falsos defensores do meio ambiente como se nós não fôssemos responsáveis por nada da imensa destruição, que a subespécie feroz chamada de “homo sapiens sapiens” faz no planeta, nunca serei como um pseudo-ambientalista, que é infenso a verdade. (Não há como ver? Que todo mal provocado ao meio ambiente tenha origem na explosão demográfica! No ano de 1900, início do século XX, a população do planeta era de 1,2 bilhões de seres, nessa época o meio ambiente estava praticamente intacto, foi a explosão demográfica que nos trouxe:
1) o uso dos combustíveis fósseis, o que tornou possível,
2) o motor a explosão, 
3) os tratores de todos os tipos,
4) as moto-serras,
5) os aviões, 
6) os navios a diesel, 
7) os tanques de guerra,
8), as duas grandes guerras, 
9) a guerra fria, que nos deixou como herança 17 mil ogivas atômicas de todos os tipos e poderes. 
10) Fora as escondidas pela burrice humana! Este ato de esconder é a mais insana atitude do "sapiens"! Pois, só provoca mais "escondeção". Isto, "Ad infinitum". e não me venham com essa, de que a subespécie "homo sapiens sapiens", porque fez a bomba, não seja burra!  

       14* Foi também, esta maldita explosão demográfica, (que não seria possível sem o uso dos combustíveis fósseis). Que no fim! Está matando o planeta com a emissão de CO2 e outros gases. O mais interessante é que não se toca no assunto controle de natalidade, como se fosse necessário matar as pessoas! Quando na realidade é necessário tão somente controlar a taxa de natalidade. A verdade é que controlando a natalidade os PIBs não cresceriam mais, como desejam e esperam os insanos governos de todos os países. Vão matar o planeta em busca de mais PIB, e nada poderemos fazer. Uso o “poderemos” mesmo, pois, nem hoje nem amanhã, os malucos dos governantes mudarão sua visão nem seu modo de pensar, muito menos farão as ações necessárias à estabilização e diminuição no número de enchedores de latrinas.


15* Independentemente do seu desenvolvimento tecnológico o homem tem a capacidade natural, (e isto é inerente ao seu “Ser”), de transformar o meio ambiente em que ele vive, assim como todos os animais possuem a capacidade de se adaptar fisiologicamente a seu nicho ecológico. Infelizmente! O homem é capaz de alterá-lo. Sendo isto de extrema importância para a vida do homem no planeta. O meio ambiente interno de nosso nicho onde sobrevivemos, é como uma capa que nos protege e nos guarda das agruras corrosivas do ambiente externo a este meio. Nós somos como frágeis botões de rosa protegidos pela imensurável estufa que é o meio ambiente geral do planeta, principalmente sua atmosfera e a camada de ozônio, que alguns pseudos cientistas malucos, dizem que não existe! Fora da proteção deste meio ambiente nunca haverá uma vida plena e saudável, a radiação cósmica mataria a vida em pouco tempo! Observem Marte! não há, nem uma pulga para ferroar o saco do primeiro astronauta a pisar lá num futuro próximo! Fora do meio ambiente fenecem todas as formas de vida, compreendendo naturalmente cada forma de vida, como adaptada ao seu próprio meio ambiente. É o que chamamos de biodiversidade. O homem faz parte do próprio meio ambiente em que vive! [Nós somos um zoológico ambulante! Segundo estudos biológicos feitos por cientistas de grandes universidades!  O número total de bactérias excretadas a cada dia pelo corpo humano vai de 100 bilhões a 100 trilhões. Cada centímetro quadrado do nosso corpo é lar de cerca 10 bilhões de micróbios. As áreas mais populosas do nosso corpo são os dentes, a garganta e o sistema digestivo], https://www.passeiweb.com - Nós somos simplesmente o meio ambiente delas! Não se pode compreender o meio ambiente como uma entidade (à parte), isolada do homem! Ele próprio é um múltiplo meio-ambiente, incluso nele o homem, ou seja ele mesmo! E isto se repete quão múltipla seja a vida. Entenda! Tão múltiplo torna-se o meio ambiente, o quão múltipla se torna a vida nesse mesmo meio ambiente. Como aqui só trataremos do meio ambiente em que está imerso o homem, o meio ambiente enfocado será, portanto, somente na sua relação com o homem. 


EXISTE UM PONTO DE EQUILÍBRIO, ONDE O MEIO AMBIENTE SE MANTEM EM PERFEITA SINTONIA COM A VIDA.

É QUANDO OS COMPONENTES DO SISTEMA ESTÃO EM HARMONIA

    16* Em todos os nichos de vida no planeta há princípios ecológicos básicos que não devem (e não podem) ser alterados, sob pena de se romper os liames que tecem a teia da vida em cada nicho. Há pré-supostos básicos em cada nicho que forçam sua inalterabilidade que afloram naturalmente, quando seus princípios básicos são rompidos dispensam-se ensaios ou análises elaboradas, quando tal ocorre, todos o presentem, das vidas mais simples às formas mais complexas.

17* O macro meio ambiente engloba todas as formas de vida existentes no planeta, cada uma adaptada ao seu próprio micro meio ambiente, a que chamamos de “nichos”. O meio ambiente em que vive o homem engloba todas as formas de vida que neste mesmo meio ambiente com o homem compartilha, portanto, o meio ambiente conquistense engloba todo meio interno e circundante, mas, próximo à nossa cidade. O macro meio ambiente contém o que é denominado pela ciência da ecologia, de princípio de harmonia biológica. Ou seja, todas as formas de vida que compartilham o mesmo meio ambiente são interdependentes e complementares e sobre tudo são todas por si mesmas, não excludentes. Isto é, não se pode afetar a parte sem afetar o todo, assim ao tratarmos do meio ambiente em que o homem ocupa a posição principal, pelo princípio da complementaridade não podemos excluir deste tratamento as outras formas de vida que também o ocupam. Sob pena de quebrarmos o equilíbrio necessário, (também ao entendimento, nesse caso), da manutenção das vidas complementares a este meio. Embora só nos atenhamos neste estudo ao homem, todas as outras formas de vida lhes são afins, e assim devem ser consideradas, tratadas e respeitadas. Movér.       


A MULTIPLICIDADE E A COMPLEXIDADE DO MEIO AMBIENTE

    18* Certos pontos de vista ou raciocínios de pessoas com visão planetária revelam sutilezas sublimares, alguém já dissera que o bater das asas de um borboleta no Caribe provoca uma tempestade no Japão. Esta frase esconde uma verdade insuspeitada, e naturalmente é oriunda de uma mente com rara visão do meio ambiente planetário como um todo. Este raciocínio está contido e foi proposto na Teoria do Caos de Edward Norton Lorentz. Tanto os pequenos, quanto os grandes acontecimentos dentro deste macro meio ambiente afetam a vida como um todo. Se o bater das asas de uma borboleta afeta uma tempestade do outro lado do globo, (entendam que este raciocínio é subjetivo, mas é uma realidade), quem percebe um pouco de física quântico e tem uma ideia do que seja o efeito EPR sabe disso. Não é fácil entender! Que um fato banal que o homem comum nem suspeita da existência! De que as correntes marinhas podem fazer desaparecer por completo a vida no planeta, em outras palavras, o desequilíbrio entre seus vários componentes é que provocam o equilíbrio do meio ambiente permitindo a existência da vida, se tudo fosse uniforme, salinidade, temperaturas, velocidades de rotação do planeta. As diferenças de temperatura dentro das diversas correntes marinhas existentes nos mares provocam as diferenças das águas superficiais dando lugar a maiores ou menores taxas de conservação da temperatura provocada pela absorção da energia solar ao longo do ano, influindo e muito na taxa de evaporação destas águas superficiais, causa principal da existência dos ventos e das chuvas, tidos como fatores principais  que permitem e dão sustentação à vida no planeta, sem as correntes marinhas, talvez até haja vida no planeta! Mas um tipo de vida completamente diferente desta que nós conhecemos. Um bom exemplo é a corrente do golfo, sem esta corrente, que aquece as águas do mar do norte, o as costas do oeste da Europa seria inabitáveis. Qualquer aprendiz de ambientalista sabe disso. As correntes marinhas são as responsáveis pelo equilíbrio e perpetuação da vida marinha em todas suas escalas. Donde viria tanta energia para manter por milhões de anos tais volumes de água em movimento? Ora! Da rotação do planeta e das diferenças de salinidades e consequentes trocas de temperatura em seus diversos mares, levando-se em conta as diferenças de velocidade nas diversas latitudes do planeta, no equador a velocidade é de 1669 km por hora, nos polos é praticamente, 0 (zero) Km por hora. Descobriu-se há pouco tempo que as correntes oceânicas, (velocidades e direções) são influenciadas grandemente pela configuração ou desenho das orlas continentais, com suas dobraduras e profundidades.

               Estou somente adiantando!  

19* Estou preparado e já esperando o ataque dos que usarem a carapuça de (historiador desocupado, burro e inculto), o máximo que podem fazer é me classificar de “burro”, isto tornou-se desnecessário porque eu mesmo já confessei que o sou! A outra pecha possível, é de que sou sem escolaridade, isto nunca escondi! E é uma verdade. Portanto, sou infenso a estes ataques. Podem dizer que não domino o vernáculo, isto eu sei que é verdade e, já criei uma forma de contornar e de como solucionar isso, não só por mim, mas, por todos que não dominarem bem, o que os gramáticos normativos chamam de “forma culta da língua). A isso eu já respondi, e expus no ensaio (CONVITE PARA O ENTERRO DOS MEUS FANTASMAS). Também, Já postado neste Blog.


NOTA: 1)
  Utilizei acima no marcador de leitura nº 4* deste ensaio, a palavra Nirvana, com o significado ocidental de “céu”, isto é, para onde vão os mortos, mas, não com o significado no budismo e em sânscrito, que significa: A perfeita imperturbabilidade da mente.



Edimilson Santos Silva Movér

Vitória da Conquista, 2007

At. 08/2018 – Camaçari-Bahia