domingo, 29 de julho de 2018


DA SÉRIE: ENSAIOS QUE NOS LEVAM A PENSAR
Subsérie: Apreciando o que disse Nietzsche, sobre
 a burrice e o poder

A TRISTE E CURTA HISTÓRIA DOS REIS MANAIOS



1* Este singelo ensaio é dedicado ao amigo e professor Davi Lima de Araújo, ferrenho defensor da sabedoria e do livre pensar, inimigo feroz dos malsinados defensores da estultícia.

2* A história dos reis manaios será sempre triste, porque está fundamentada nos mais tristes dos males dos homens, o egoísmo, a desonestidade e a burrice, convém observar que a burrice é a “coisa” mais fácil de se disfarçar, principalmente por ser uma abstração, ser uma “coisa” virtual, estando em todo lugar, e se alojando em todos escaninhos da episteme humana.
A história dos reis manaios é curta, por que será sempre reduzida a 0 (zero) sob o crivo da história.  Abraham Lincoln disse com propriedade que: “Pode-se enganar a todos por algum tempo; Pode-se enganar alguns por todo o tempo; Mas não se pode enganar a todos todo o tempo..." Disso os reis manaios nunca se lembram.
3* É a faculdade de processar raciocínios elaborados, com lógica e profundidade, que leva ao entendimento do “porquê” do “existir” do “sapiens”, este dom ou faculdade é própria de “Seres” especialíssimos, só pequena parte da humanidade é dotada deste dom, são os construtores do desenvolvimento comportamental humano, normalmente são pessoas completamente destituídas de sentimentos espúrios e são simples e honestos ao extremo. Nunca sentem ódio, só sentem e só praticam o amor, são indiferentes às maldades dos homens, quando deles são vítimas freqüentes da insensatez, do ódio, do rancor e de outras mazelas, próprias de espíritos “não evoluídos”.

4* Todos estes “Seres” especiais possuem a certeza de Sócrates, de que nada sabem. Para meu desalento, nunca estive de frente com um único destes “Seres”. Os poucos que conheci o fiz através dos seus escritos ou de seus pensamentos. Em cada século, somente poucos destes raríssimos “Seres” passam por nosso planeta, e ao passar melhoram e aplainam profundamente os caminhos da humanidade. Eis alguns deles: Confúcio, Pietro Ubaldi, Jesus Cristo, Lao Tse, Euclides, Sri Krishna, Jiddu Krishnamurti, Ruberto Rohden, Sócrates, Faraday, Tales de Mileto, Tesla, Demócrito, Albert Einstein, Pitágoras, James Maxwell, Isaac Newton, Tomas Edison, Edwin Hublle o descobridor das galáxias e da expansão do universo, Max Planck que deu início a física quântica, impossível enumerá-los todos. Perante qualquer um destes, um rei manaio é um “nadica de nada”, um titica. Observem que os enumero pelo muito que fizeram! O efeito de suas ações melhoraram e facilitou grandemente a vida dos seres no planeta, e o desenvolvimento humano! Aqui não trato de seus comportamentos como seres humanos! Sempre falíveis que são os humanos, isto, indiscriminadamente!

5* Os outros seres a que me refiro, são os estultos, os néscios, os parvos, que pensam que tudo veem e de que tudo sabem, sendo estes a grande maioria da humanidade, estes somente copiam, imitando os raciocínios alheios, e muitas vezes os disfarçam chegando até a publicá-los como se seus o fossem! Mas não possuem o dom de criar. Neste caso refiro-me aos reis manaios da cultura. Observe que os reis manaios estão em todas as atividades exercidas pelos homens, ás vezes são mandatários, ás vezes nenhuma atividade de relevo exercem, o que não os impede de serem reis manaios.

6* Trago dentro da mente a lanterna de Diógenes sempre acesa, não em procura do espécime raríssimo que ele buscava que a cada dia se torna cada vez mais raro, aqui e agora busco e me refiro aos “Seres” (que marcam e que mudam o destino e os caminhos do mundo). E não posso saber se esta minha busca será ou terá sido em vão, “sept décennies sont passés” restando-me talvez uma ou duas décadas, o tempo se esvai, em segundos, minutos, horas, dias, anos, décadas e séculos, aí então, os milênios tornam-se rotineiros vistos da janela da eternidade, donde estaremos olhando para “todo o sempre” para a cara de pau dos já “De cujos” reis manaios!!!...
Parece-me que os reis manaios nunca ouviram falar da lenda sobre Alexandre da Macedônia, quando ordenou a um de seus Generais, para que no seu enterro deixassem suas mãos expostas e de palmas para cima, mostrando aos seus súditos que desse mundo nada se leva.

7* Nesta minha curta existência eis que de chofre encontro-me de frente com vários seres nulos, pífios, vazios de sabedoria e cheios de convencimento de que tudo “sabem” e mais cheios ainda de egoísmo. Tem horas em que eu creio que o egoísmo seja a mesma coisa que a arca de Noé, se é que posso compará-los! Pois, a arca sendo uma só, nela coube tudo, o que já estava lá dentro, lá fora e em todo lugar... O egoísmo também é uma coisa que só quer açambarcar tudo que existe e que está em todo lugar. A arca de Noé não ficou lotada somente com os animais, ela ficou completamente lotada foi de burrice humana, pois, a burrice com certeza não naufragou nem soçobrou no dilúvio. Repetindo: A burrice, ou seja, os comportamentos humanos mesquinhos e vazios de sabedoria preenchem todos os escaninhos do viver humano, os atos de burrice dos homens são como as cordas cósmicas que preenchem todo o universo material existente, inclusive o espaço sideral. A burrice embora sendo virtual possui uma força descomunal, um único ato burro de um rei manaio destrói num dia um império que perdurou por séculos.

8* Nunca confie no julgamento ou no comportamento de um indivíduo ou de uma chusma de indivíduos que pertençam a uma confraria ou de uma sociedade comandada por um rei manaio, mesmo com um olho só! Pois, também nesta sociedade todos tem um olho só, isto, por que o seu rei tem um olho só. E todos os serviçais e bajuladores gostam de imitar o seu rei. E assim, sacam de um canivete arrancam um olho, ficando com a cara do rei manaio, observe bem!!!... Que todos imitam a cara do rei manaio, Este é o rei, com r minúsculo, mas é o rei. Inevitavelmente este é o rei manaio, tomo o termo luso “manaio”, não como “vesgo” ou estrábico, cegueta, peticego, ou pitosga e sim como cego mesmo, isto é, ceguinho da silva e tal. O problema é que um rei manaio, embora já lhes faltando um olho, mesmo assim, o único que lhes resta é cego de nascença para as essências das coisas. Vixe meu Padim Ciço, que comprimento sem largura. A quem mesmo é que estou me referindo! Ah! Sim, aos reis manaios. Refiro-me também a corja que serve e que bajula o rei manaio! Estes também serão julgados pela história. Somente a estes, (ao rei manaio e a sua camarilha), cabe e se ajusta esta carapuça, de forma completa e soberba.

9* Embora tenha certeza absoluta de que um rei manaio nunca lerá este meu escrito, o publico assim mesmo, pois, muitos de seus asseclas o lerão, mas, também por terem a mesma cegueira de nascença do seu rei manaio não me compreenderão e farão de conta de que não sabem quem é o rei manaio, fazendo faro grosso sobre o que pratica o seu rei manaio, disse faro, pois não posso dizer vista grossa, cego é cego, portanto, só tem faro como cachorro.

10* No mundo existem muitos reis manaios, e cada um, prima por ser o rei manaio dos reis manaios, isto é devido à indefectível cegueira própria dos reis manaios, a principal característica de um rei manaio, e que embora ele não o reconheça, ele “próprio”, torna-se o único conselheiro de si próprio, no fim, no fim, cada rei manaio destrói a si próprio e a sua família, os exemplos recentes são muitos, mas algumas vezes o rei manaio sai ileso, auxiliado por uma chusma de correligionários e de adversários desonestos, que embora não sejam reis, são manaios também.

Um doce para quem descobrir quem é o rei manaio.

11* Uma última dica: Os reis manaios se deleitam com o passado e detestam o futuro. Talvez temendo o inevitável crivo do julgamento da história. Lembrem-se reis manaios! Deste julgamento ninguém jamais escapou...

12* “O poder emburrece”, afirmava o filósofo alemão Friedrich Nietzsche. Por quê? Quando estão no poder, as pessoas muitas vezes são induzidas a pensar que, justamente por ocuparem aquele posto, são melhores, mais capazes, mais inteligentes e mais sábias que o resto da humanidade. Além disso, estão cercadas de aduladores, seguidores e aproveitadores que reforçam o tempo todo essa ilusão. Dessa forma, quem está no governo chega a cometer as mais graves faltas com a aprovação geral


Vitória da Conquista, Ba. 20 de janeiro de 2010 
Edimilson Santos Silva Movér

Não posso por motivos óbvios, éticos e financeiros tornar público o nome do meu entronizado rei manaio, simplesmente não posso mudar-me para outro país. Se algum interessado prometer guardar sigilo absoluto, mesmo assim, não posso declinar o nome do rei manaio. No entanto, posso afirmar que o leitor não é o rei manaio. O que pode ser um consolo para o leitor perquiridor. Mesmo por que, nossa existência estará sempre cheia de reis manaios
 04 de julho de 2010. Movér


Este ensaio foi escrito a tempos, depois de recentes acontecimentos mundiais e de uma viagem que fiz ao Pará resolvi atualizá-lo e publicá-lo.
15 de dezembro de 2011. Movér

0 comentários:

Postar um comentário