domingo, 29 de julho de 2018

CARTA A DEUSDETH - ENSAIO


DA SÉRIE: ENSAIOS QUE NOS LEVAM A PENSAR
Subsérie: Como enxergar uma catástrofe...

CARTA A DEUSDETH

Ao primogênito de Jovelino, o “Precateiro”,

Prezado primo Deusdeth Ferraz da Silva

                                                       Saudações moverianas.

(UMA VISÃO APOCALÍPTICA DO FUTURO DA VIDA INTELIGENTE NO PLANETA).
(Podes ler sem susto, no final jogo um caneco de água fria na fervura).


1* O nosso existir como seres superiores na escala da evolução biológica no planeta, de maneira nenhuma nos coloca no cimo do desenvolvimento comportamental moral e espiritual das humanidades do Universo. Nós, como seres “evoluídos”, muito “deixamos” a desejar basta fazer uma pequena retrospectiva no existir humano e encontraremos verdadeiras feras “travestidas” de humanos, os seres ditos “inferiores” comparados aos humanos ditos “superiores” são (neste caso e comparação); perfeitos seres angelicais. As feras só se comportam como feras nos casos de defesa, na instintiva auto-preservação e na tentativa da perpetuação genética.

2* O que leva alguns humanos a terem este tipo bestial de comportamento? Ocorre que boa parte dos espíritos que aportam ao planeta encarna pela primeira vez, e em alguns casos não tem ainda nenhum grau de evolução espiritual, há casos em que, embora seja a primeira encarnação são “evoluidíssimos”, todos nós passamos por uma primeira encarnação. Casualmente, alguns sem evolução espiritual conseguem alcançar algum poder de mando político, aí se tornam extremamente perigosos, isto de acordo com o grau de poder adquirido (serve como exemplo; o caso de Hitler!).
No ensaio que ora te remeto, este tema (da primeira encarnação) é abordado com mais profundidade. Esta má qualidade inerente a alguns humanos tem no existir destes seres o mais diversificado grau de aplicação e pontuação.
Mesmo no homem comum com pouca evolução espiritual, e sem nenhum poder de mando encontramos comportamentos estranhos a seres ditos civilizados e quase sempre de forma pontual, isto é, “de vez em quando” se comportam como se estivessem loucos. Desde a falta de visão do sentido real do existir, o que é comum à maioria dos seres humanos até a completa insensibilidade para com a própria descendência ou progênie, o que; salvo nos casos da tentativa da perpetuação genética, nunca ocorre entre nossos irmãos inferiores chamados indevidamente de irracionais.
Onde há mais lógica e racionalidade? No ato de um casal de humanos que elimina toda sua prole, sem estarem loucos, ou no ato de um cão que defende o dono, ou sua prole, até a morte.  

3* Prezado Deusdeth, o egoísmo leva a humanidade a abandonar a trilha da evolução. Nos primórdios do nosso existir, ainda como hominídeos, só conseguimos evoluir para humanos devido ao instinto gregário da espécie. Mesmo tendo alcançado o estágio de evolução atual, o instinto gregário é extremamente necessário para a evolução espiritual e moral, principalmente para a continuidade da espécie no planeta. No entanto, paulatinamente a espécie humana está se afastando destes princípios elementares, justamente os princípios que a fez alcançar o grau de desenvolvimento atual, sem o instinto gregário estaremos fadados a retornar à barbárie. O instinto gregário nivela, aproxima, fortalece pela união e pela múltipla proteção, o que gera os sentimentos da gratidão e do amor, próprios dos seres superiores. O “Toque” agrega qualquer espécie em desenvolvimento, proporcionando e propiciando uma existência duradoura, o que é essencial para o desenvolvimento biológico, que ocorre com extrema lentidão em nossa espécie. O argumento de que a cada dia o congraçamento humano aumenta através do comércio global, do turismo e da moderna comunicação tecnológica é um brutal engano. O que fazemos na realidade é nos afastarmos dos nossos grupos familiares e sociais, principalmente dos menos agraciados com os bens materiais, isto é: a cada dia que passa o ser humano mais se afasta de seus semelhantes, pela migração para novos grupos sociais com economias diferenciadas mais fortes ou mais fracas, afastando-os dos parentes e amigos que não alcançaram ou não se encontram mais nestes patamares. (E como todos se julgam numa situação melhor ou pior que os outros deduzimos então: que todos se afastam de todos). É como o Universo em expansão de Edwin Hubble onde todos os corpos se afastam de todos os corpos.  É como se a sociedade se diluísse em ilhas, que também se diluem em ilhas menores, até chegar a um ser humano isolado e catatônico. Vai chegar num ponto em que nossos filhos serão nossos filhos, somente até chegarem à maternidade, daí em diante ficarão sob responsabilidade e guarda do Estado.  Aí então já estaremos chegando ao fim da família, que marca o início do fim. Do fim. Será que o vaticínio de Huxley estava certo?

4* O gregarismo tornou-se comum também entre as nações, fruto de terríveis experiências. Veja o exemplo das nações ricas com o seu G-7 que estranhamente tornou-se G-8 (isto devido ao poder persuasório da máquina bélica nuclear russa), há também as nações pobres com os seus grupos dos 13, dos 20, dos 40 etc. com menor expressividade. Deusdeth, existe uma proposta do Sr. Tony Blair, primeiro ministro da Inglaterra, para que o Brasil ocupe um posto no G-8, que passará a ser o G-9.  O que não nos levará para o céu. Mas lembras-te! Caro Deusdeth! Me digas com quem andas e te direi quem sois.  

5* Reservo-me o direito de não tocar no assunto “Mercosul”, hum! Tem uma “coisa” que quanto mais se mexe, mais fede.
O exemplo mais notável do gregarismo entre as nações é a UE (União Européia), daqui a cinqüenta anos, talvez antes, a integração será total. (Conforme a semiótica, e os princípios “sígnicos peirceanos” pode-se, e deve-se até admitir a unificação da fala na Europa, os filólogos isto admitirão de imediato, a discussão será “em quanto tempo”), adiante te transmito o esboço de uma teoria que é o “meu ponto de vista” sobre a diversidade das línguas no planeta. Não sei por que meus pontos de vista nem sempre ou quase nunca são concordes com os pontos de vista dos cientistas. Hum! Confesso que não sei.  Este é um exemplo espetacular dado pela “EU” (European Union), do que a decisão e a boa vontade dos povos podem fazer levando-se em conta que há sessenta anos saíram de uma guerra catastrófica e fratricida. Considerando-os todos terráqueos. A Europa será uma só nação! Quem sofre aprende! Aprende-se a ter medo e a ser sensato. Mesmo com a união das nações em blocos, as sociedades destas nações, devido ao egoísmo continuam em processo de constante desagregação. A união destas nações é motivada pelo medo de outra guerra entre estas mesmas nações. Gato escaldado com água quente tem medo até de água fria!
6* A criação do bloco europeu levou o congresso americano a aumentar drasticamente sua verba para a defesa, ou foi somente mera coincidência? É esperar para ver no que vai dar! Espero sinceramente que tenha sido coincidência.
Não devemos nos iludir, as nações se unem para não sucumbirem perante as demais nações. O mal crucial do planeta são os dirigentes das nações. O modelo político/eletivo dos governos dos povos está errado, nunca funcionou bem! Em nenhuma esfera, seja federal, estadual ou na municipal, incluindo o senado as câmaras de deputados e de vereadores. Porque não se prepara um supercomputador com os dados de todos os candidatos, o suficiente para fazer uma triagem completa destes candidatos? Urge que se mude o modelo atual. Não me pergunte qual a solução, pois não a tenho. Esta do computador é só uma brincadeira! O que se buscaria seria um computador mais “humano” que o mais humano dos humanos! Os governos só vêem as nações como números, pelo potencial industrial, potencial energético, PIB, reservas minerais, renda per capita, índice de inflação, índice disso, índice daquilo, nunca se vêem como povos, que é o que realmente são.

7* Se no futuro o parlamento europeu der certo, pode transformar-se num governo único para toda a Europa (na UE “MCE” já são 25 paises, e tem uma fila do leste europeu querendo entrar), podendo servir de modelo para o restante do planeta. O que abre o caminho para tentar, talvez, um governo mundial. Aventado por Immanuel Kant ainda no século XVIII, portanto há muito tempo!
O modelo político/econômico adotado pela maioria das nações levará o planeta para o colapso! O modelo econômico capitalista é um dragão ao avesso, ao invés de endógeno é exógeno e assim mesmo vai explodir. Ao invés de cuspir engole fogo, que é a energia das nações mais pobres. O modelo econômico mundial atual exige um crescimento constante das economias de todos os paises, quem estagnar sucumbe, as economias menores para poderem crescer fazem empréstimos nas grandes economias, o que resulta em juros que não as deixam crescer. É um circulo vicioso. A verdade é que os empréstimos é o resultado do excessivo enriquecimento das grandes nações, elas não podiam aumentar mais a produção, já faltava consumidor, e sobrava dinheiro, aí inventaram o FMI, o BIRD, o BID e outros. Tem um país austral dançando à tempos o último tango. Quando os paises ricos descobriram que sua grande produção industrial estava ficando muito cara devido aos altos salários de seus concidadãos e que estavam poluindo seus países. Exportaram suas indústrias (como presente de grego), para os países pobres, principalmente as mais poluentes, e lá vai remessa de lucro, e lá vai empréstimo, e tem outra, ainda botavam banca para emprestar, ainda faziam e fazem ** doce. É para ninguém desconfiar que é uma armada. Se eles não emprestarem aos países pobres, a quem vão emprestar? Rico não toma dinheiro, rico empresta. Deusdeth eu te pergunto! Desde que me entendo por gente, a grande nação do norte, todos os anos tem um déficit gigantesco, e nunca quebrou, será que em sua contabilidade interna eles computam os lucros de suas empresas nos outros países?
 A economia mundial está estratificada e baseada no consumo, a único produto que o mundo não pode parar de consumir é comida. O resto! A parada brusca do consumo do supérfluo em geral é que provoca o crack. Quer um exemplo! Em (Reais) a produção de cosméticos em nosso país ultrapassa a de remédios. Veja em sua volta, em sua cidade, conte as padarias, as farmácias, as livrarias, depois conte os botecos, as lojas, os bares, os magazines de eletro-domésticos, os armarinhos, em época de crise, sapato e roupa é supérfluo, até goiabada. O supérfluo ganha com folga.  

8* Se o crack de 1929 se repetir! (Não quero nem estar por perto, espero estar na fase desencarnada), mas esta já é outra estória, que merece uma abordagem mais longa e mais detalhada. (Me refiro ao crack).
Observe com atenção, que a moda do momento é todo mundo ser contra a grande nação do norte. Isto é só modismo, qualquer nação que alcançasse a hegemonia entre as nações, seria a bola da vez. O resto é pura burrice, inveja e falta de visão histórica (e mesmo falta de conhecimento da história do século XX), de como surgiram, de quanto duraram, de como e porque desapareceram os impérios hegemônicos precedentes dentro dos milênios do passar da história. Como o império incaica e o asteca, aqui nas Américas, o egípcio, ao longo do Nilo no nordeste da África, os mesopotâmicos e o persa no oriente próximo, o otomano na Ásia menor, o império romano na Europa, o império chinês e o mongol na Ásia. A verdade é que cada império tem sua história, cada caso é um caso, a única coisa que eles têm em comum é que não duraram para sempre. Estes impérios dispunham de pouca ou nenhuma tecnologia, torna-se necessário observar que a maioria destes impérios praticava uma política expansionista, ao contrário da nação americana que atualmente já está contida dentro de suas fronteiras, salvo por algumas ilhas estratégicas e várias bases militares espalhadas pelo mundo a fora. Os vaticinadores da queda do império americano devem se lembrar de que o maior poder da nação americana não é representado pelo dólar nem pelo ouro do forte Knox, nem por seu imenso poderio bélico, mas sim pelo que é capaz de produzir suas Universidades e, sobre tudo por sua alta tecnologia, única no planeta, algo difícil de ser destruído ou suplantado.  Corre a “boca pequena” que na fase da guerra nas estrelas, os americanos desenvolveram uma tecnologia capaz de transformar no espaço, a energia do Sol em micro ondas, enviá-las para a superfície do planeta onde seria transformada em energia elétrica, que em parte utilizam para separar os átomos de oxigênio dos átomos de hidrogênio da água do mar, este hidrogênio é comprimido, liquefeito, envasado ou “gasodutado” e utilizado como fonte de energia de baixo custo para uso geral. Dizem que só não abandonaram os combustíveis fósseis por motivos econômicos. Há muito capital investido no setor petrolífero. Os americanos já desenvolveram protótipos de “tudo”, movido a hidrogênio, motores estacionários, automóveis, caminhões, ônibus, locomotivas, navios, aviões, foguetes e indústrias. Parece que o mundo é cego! Ceguetão!

9* Porque desenvolveram tantos protótipos? Se a tecnologia atual e usual da produção de hidrogênio consome de duas a três vezes mais energia para produzir o equivalente a uma vez em energia de hidrogênio. É que devem conhecer uma fonte barata e inesgotável de produção de hidrogênio. Ora! Deusdeth se houver um número de estações geoestacionárias que seja suficiente para cobrir (no espaço) toda a superfície do planeta, e se é possível mandar a energia do Sol para a superfície em forma de microondas deduz-se que se pode mandar de estação para estação, então a noite não causará solução de continuidade na operacionalidade deste sistema. Funcionando todo o sistema em caráter global e 24 horas por dia. Se for verdade coitada da OPEP. Deusdeth esta estória da energia da guerra nas estrelas tem seus pontos falhos, será que estão esperando a catástrofe do caos climático acontecer, para tomarem conta de um planeta combalido e menos habitado? E se a alteração climática durar por vários séculos, digamos 30 ou 50, o tiro não terá saído pela culatra? Antes do fim da era do petróleo saberemos. Com certeza saberemos. 
E não se esqueça a hegemonia americana é completa e absoluta isto magoa muita gente, se a nação americana se esfacelar todas as outras nações se esfacelam juntas, a dependência tecnológica das demais nações, como diz Falcão, não é muita mas é 100%.
 
10* Tu te recordas dos tempos do comunismo, a moda era, quando não ser comunista pelo menos ter idéias comunistas, principalmente entre a estudantada mais intelectualizada e entre os pseudo-intelectuais de plantão. Em minha época de estudante todos liam “O capital” os exemplares eram ensebados por passarem de mão em mão, hoje poucos estudantes o lêem, só os dos estudos sócio/políticos. Depois do advento da era pós-industrial ninguém se lembra mais da “mais valia”. Depois que o comunismo autocanibalizou-se, em 26 de dezembro de 1991 com o decreto do Soviete Supremo de nº141-H, todos calaram-se, faz tempos que não ouço falar (de mais valia), (luta de classe), etc., Só teóricos empedernidos. Ouço sim, falar de Friedrich Engels e de Karl Heinrich Marx, isto sem desmerecê-los, pois foram dois homens extraordinários e grandes cidadãos, sobretudo, dois grandes filósofos. A intenção era boa, o resultado é que foi desastroso. No entanto, simplesmente a moda passou. De vez em quando algum sociólogo afonsino e acrônico, normalmente desempregado, aparece falando em lutas de classe. Deusdeth, (é interessante observar que Engels nunca cursou uma universidade, foi colaborador de Marx durante toda a vida, escrevendo junto com Marx várias obras, chegando a dominar 23 idiomas, pudera! Era um gênio, era inteligentíssimo).  
O fato de os Estados Unidos ocuparem hoje, esta posição de nação mais poderosa no planeta pode ser visto somente como mais um fato histórico que como os demais fatos históricos, este também irá passar.
Como detesto modismo, não consigo me posicionar contra a grande nação do norte. Não vejo porque ter ódio, pois nada é eterno! Só temos no máximo dez mil anos de história, como sociedade organizada, daqui a outros dez mil anos este fato será irrelevante. Se até lá a humanidade ainda estiver presente! É de se esperar então, que o planeta já será uma só nação.

11* Numa sociedade planetária como a atual, que saiu a pouco tempo de uma guerra mundial, uma nação sairia mais forte e teria que ter hegemonia sobre as demais, isto é o lógico é o esperado. Não vejo porque a “grita”. Quem provocou a criação do imensurável poderio bélico norte americano foi a extinta União Soviética com o blefe (burrice) da guerra fria. Parece que o mundo prima por atos burros. Já pensou o risco que a humanidade passou e passa com um arsenal nuclear desnecessário e que ninguém queria, ou quer! Refiro-me aos povos e não aos governos malucos que governam o mundo. Em todos os paises do mundo devia ter no mínimo uma esquina, uma rua, uma praça, uma avenida ou uma cidade por menor que fosse, com o nome do criador da “perestroika” (reestruturação), e da “glasnost”, (abertura política), e uma estátua em tamanho natural, com esta inscrição no pedestal Mickail Gorbatchov. “QUE COM SUA CORAGEM LIVROU O MUNDO DO PESADELO DA GUERRA FRIA”). Poucas pessoas no planeta podem avaliar o valor do serviço prestado por este estadista a humanidade.

12* Caro Deusdeth, embora sejamos brasileiros, em última instância, na verdade, terráqueos é o que somos, e este fato e realidade ninguém pode mudar. Convivemos com outra grande burrice criada no planeta, a “fronteira”, a linha imaginária ou natural que separa as nações, quando o homem conseguir eliminar as fronteiras a paz reinará serena e absoluta. Tem horas, em que analiso e vejo simplesmente um planeta insano e utópico! Chego a me perder e a divagar!
Eu particularmente dou graças a Deus, por ver ocupando esta posição hegemônica, os Estados Unidos. (Alguns vão me chamar de louco ou idiota). Mas, ai da humanidade se fosse, por exemplo, em outra época, a Alemanha das “SS” de Hitler! Quem nos livrou das “SS” em 1945 foi justamente a grande nação do norte. (de Hitler era fácil nos livrar, o tempo se incumbiria disso). Os russos só conseguiram fazer frente aos alemães, depois da invasão da Normandia no dia D em 6 de junho de 1944 pelos aliados, portanto um ano antes do fim da guerra, fato que provocou a divisão das forças nazistas na frente oriental enfraquecendo-as. (Esta não é a opinião dos russos!). Caro Deusdeth, Alguns proeminentes estudiosos da psiquê, ou alma humana, portanto, (“psicólogos” ou “almólogos”) proclamam e defendem que é de suma importância para a evolução do ser o “Toque”, isto é, o aperto de mão, o beijo de face, e principalmente o abraço, isto sem conotação sexual. A facilidade com que nos comunicamos pelos meios modernos nos afasta cada dia mais do “Toque” tão benéfico à esta espécie animal, às vezes nos comunicamos até dentro do lar através do celular, a comunicação auditiva e visual nunca terá o mesmo efeito do aperto de mão, do abraço, do “tête à tête”, da comunicação interpessoal ao vivo.

13* Veja o comportamento dos muçulmanos que se tornaram até “homens bomba” em defesa dos seus princípios! Refiro-me a iraquianos e palestinos. Não defendo os princípios básicos destes grupos sociais, vai aqui somente como exemplo do que o “Toque” é capaz de fazer na união dos grupos sociais humanos, e como a união faz a força! É esperar para ver. Eles são “beijadores e abraçadores” famosos e contumazes, assim poucos milhares de “beijadores e abraçadores” de um destes povos com o seu país invadido e dominado pela maior nação do planeta, resistem e põem esta nação numa situação vexatória. Vejo a guerra não declarada entre palestinos e israelitas, como a luta dos cupins versus o tamanduá, só que neste caso, os cupins resistem, e tem mordido e incomodado bastante o tamanduá. Olhe bem, não estou tomando nenhum partido, esta rixa começou há tempos na casa do patriarca Abraão, (não me meto em casos patriarcais). Temos que aprender a respeitar as diferenças que alguns criaram sozinhos, talvez se ninguém se metesse tudo já estivesse resolvido.  
Quanto ao comércio: a OMC está atulhada até o pescoço de reclamações das nações mais desfavorecidas. Quanto ao turismo: convivi por vários anos com um empreendimento turístico de porte internacional, e pude observar que todos estão isolados egoisticamente dentro dos seus grupos, embora não seja nenhum psicólogo, sou instintivamente um estudioso do “ser” humano. Pude constatar que dentro dos próprios grupos que faziam turismo juntos, havia um forte sentimento de egoísmo, quando chegavam pareciam uma só família, na hora de “consumir” instintivamente os grupos se isolavam em vários grupos pela diferenciação econômica. O problema é que só faz turismo, quem tem sucesso econômico. Ora! Sucesso econômico e egoísmo andam “par e passu”.

14* Em minha leiga análise o egoísmo é o princípio de tudo, a causa de todo mal, devido ao egoísmo as famílias se isolam dentro dos grupos familiares com a mesma economia, onde também os grupos sociais se isolam com outros grupos sociais com a mesma faixa econômica.
A concentração da riqueza nas mãos de poucos nos destruirá como sociedade organizada. Já que os governos dos paises não vão, não pretendem, ou não conseguem controlar a progressiva e ascendente curva do crescimento demográfico. Que tem reflexo no planeta como um todo.

Quando o planeta estiver superlotado e “entupigaitado” de gente, a grande maioria faminta e empobrecida fará indubitavelmente uma caçada generalizada aos gananciosos e egoístas, será uma verdadeira loucura, um verdadeiro safári, daí advirá o caos social. Basta um dar o primeiro exemplo! Abatendo a primeira caça.
Deusdeth, não sei se chegou ao teu conhecimento, hoje, dia 17-01-05 saiu ou deu (não sei se sai ou se dá! Ou os dois) no Jornal Nacional. Um grupo de sábios apresentou um estudo à ONU (em treze volumes), uma proposta para acabar com a miséria nos paises pobres ou em vias de desenvolvimento, isto no prazo de vinte anos, assim em 2025 estaria extinta a pobreza no planeta, se não extinta pelo menos minorada. O ano de 2005 começou bem. No entanto sabe a proposta que apresentaram como genial, pelo menos foi a escolhida para ser anunciada nesta edição do Jornal, dar mosquiteiros para os povos da África (faminta e aidética), para proteger as crianças africanas dos mosquitos da malária, ora! Um mosquiteiro é um bem material, e logo, logo será trocado por comida. Já te disse que burrice é como rocha e erva daninha em campo aberto, nem fogo destrói acho mais parecida com erva daninha, renasce com facilidade e incomoda pra chuchu. Entre no “site” do Jornal Nacional, tá “tudinho” lá. Deusdeth, claro que nos treze volumes tem propostas consistentes, mas esta dos mosquiteiros é uma pérola. Porque treze volumes! Bastava os 0,7% do PIB acordados, desculpe o trocadilho, porque ainda dormem os 0,7% do PIB? Naturalmente que não me refiro as cinco nações do norte da Europa.    

15* Antes do advento do fim dos combustíveis fósseis virá a grande hecatombe do caos ecológico e climático, a humanidade presenciará então a loucura climática. Virão períodos intermináveis de chuvas torrenciais que se alternarão com períodos intermináveis de secas inclementes.  
Meu preclaro primo, o egoísmo cria a grande pirâmide da miséria, na qual “habita” enclausurado em seu ápice, um pequeníssimo grupo de privilegiados egoístas. Estes puxam o cordão e servem como exemplo para o restante da humanidade.
Agora um enfoque sobre as grandes fortunas.
Um dos homens mais ricos do mundo (muito inteligente), por sinal um grande aplicador na bolsa! Externou a seguinte opinião sobre as grandes fortunas: “depois do primeiro bilhão de dólares, descobre-se que tudo na vida só se pode fazer por unidade, isto é, uma coisa de cada vez. No dia só se toma um café da manhã, almoça-se uma vez, janta-se uma vez, só se dorme em uma casa, não adianta ter muitas casas, só se utiliza um automóvel por vez, um helicóptero por vez, um avião por vez, um iate por vez, não adianta ter muitos de cada, segundo ele é burrice, só se dorme com uma mulher por vez. Se se tiver muitas mulheres, as outras com certeza irão dormir com outros homens”! Então pra que tanta ganância, tanta avidez por dinheiro?  Porque tanto egoísmo?      
Quanto ao assunto da comunicação tecnológica, adiante trato disso.

16* De forma geral a existência desta pirâmide em todas as sociedades humanas é que fará a derrocada da humanidade para o abismo do caos e da barbárie. Interessante observar, que até na nação mais pobre do planeta a pirâmide da miséria está presente. Parece feitiço! Parece macumba!
Num futuro bem próximo o número de miseráveis e desassistidos será tão grande que não haverá retorno, aí não será mais possível fazer a tão falada distribuição da riqueza, então o caos estará definitivamente instalado no planeta. Espero que depois do caos inevitável, e a humanidade passando a ter uma diminuta fração do número de indivíduos que tem atualmente, aí então se instale o bom senso para que se possa caminhar para o pleno desenvolvimento da humanidade. Espero que daí pra frente não exista mais a principal praga da sociedade, praga esta chamada “propriedade”. Se tiverdes tempo e a obra reveja o que Jean-Jacques Rousseau diz a respeito, e a meu ver, com muito acerto. Observe que não se pode tirar do homem toda “propriedade”, a queda do comunismo se deu principalmente por isto. O exemplo maior foi detectado nas fazendas coletivas da antiga URSS, onde os gerentes ao receberem como incentivo, pequenas áreas para uso próprio, conseguiam fazer com que proporcionalmente, elas produzissem 10 vezes mais que a fazenda toda.   O instinto de propriedade é inerente ao homem, experimente tomar de uma criança sua chupeta, ou um seu brinquedo e veja a reação! Refiro-me especificamente a “propriedade” da terra que produz o alimento para o sustento de toda a humanidade, ou seja, as terras agricultáveis. Tudo pode ser de propriedade de alguém, tudo mesmo, menos o ser humano, a terra que nos dá o sustento, a água que bebemos, também as subterrâneas, inclusive a mineral, o ar que respiramos a luz do Sol que nos aquece e clareia nossos passos. Não será surpresa nenhuma se um dia deste começarem a cobrar uma taxa de respiração, não se espante se implantarem em ti um chip, e no fim do mês te chegar uma cobrança da taxa da luz do Sol que consumistes. Não me refiro especificamente ao governo brasileiro, mas sim, a todos os governos do mundo.

17* Sabe Deusdeth, vou além de Rousseau e digo! Maldito o homem que cercou o primeiro pedaço de terra e disse esta terra é “minha”, e mil vezes maldito o homem que pela primeira vez aprisionou um ser humano e disse este ser humano é meu escravo.
Voltemos ao caos. Com esta minha desprezível “sapiência” (chamar burrice de sapiência é a última moda), calculo que depois do caos climático só restarão poucos seres humanos se restarem! Para dar continuidade a vida inteligente no planeta. Não há como controlar o caminhar da loucura, tudo que “fizermos” ou “tentarmos” fazer terá sempre forma e efeito subjetivo, o caminho para o abismo é incontrolável e inevitável, só nos resta esperar e rezar. O tempo urge! Temos que esperar pouco e rezar muito.
Claro que as deliberações tomadas em Kyoto em 97 foram deliberações inteligentes, e por pessoas inteligentes e sérias, estou de acordo de que: Kyoto é uma proposta melhor que nenhuma proposta, no entanto a melhor proposta é o controle rigoroso do crescimento desordenado da população do planeta. A compra de cotas de carbono em alguns casos até estimula a emissão de CO2 e de permeio há muita malandragem e desvio de verbas no corrupto terceiro mundo. Junto à proposta de Kyoto seria necessária uma proposta para que se substituísse o uso da energia fóssil, imediatamente e em termos globais, pela energia do Sol. A única completamente limpa. Senão! Adeus humanidade tranqüila. O caos climático vai acabar com o sossego da humanidade.

18* A única maneira de salvar o planeta é abandonarmos imediatamente os combustíveis fósseis! E isto eu não vejo como fazer, e se será possível.
Deusdeth, esta carta é tão somente uma constatação de fatos! E não um instrumento com o fim de apresentar soluções para estes fatos. Mesmo porque os problemas abordados são de tamanhos inauditos, caráter e dimensão planetária, sendo maiores ainda suas desconhecidas e caríssimas soluções.
Embora no momento só se ouça aos tolos, é a moda, isto pelo simples fato de os sábios se calarem perante tanta burrice. Levantem-se sábios! Porque calaram! Acordem! Ponham a boca no trombone ajudem a um planeta sofrido, combalido, terminal, e teimoso. Aqui não se acusa aqui se constata. Veja o caso dos ecologistas! Brigam e gritam pelo controle e a defesa do meio ambiente, e não conseguem enxergar que sem o controle da explosão demográfica, isto é inviável e impossível, a cobertura verde do planeta não suportará a pressão exercida por um crescimento demográfico descontrolado. Somos 6,4 bilhões de seres, quando formos o dobro produziremos o dobro do lixo, dos gases poluentes, do desmatamento, de novas áreas para agricultura, de novas áreas (horizontais ou verticais), para o crescimento das cidades, teremos que dobrar as estações de tratamento de água e esgotos, enfim produziremos o dobro de poluição. Por falar em água, onde encontraremos água para 12,8 bilhões de seres, de uma coisa eu tenho certeza, a água vai ser tão cara que banho vai ser um luxo. Francês não estará nem aí. Já pensou se tornarmos a dobrar! E chegarmos a 25,6 bilhões? Bem o canibalismo resolverá o problema!

19* Coitado do nosso adorado planetinha azul! Será que a biosfera suportará? Com o crescimento desordenado da população nada melhorará tudo piorará. O Professor Enrico Turrini, pensador e cientista italiano “disseca e analisa” este tema com profundidade e clareza, no seu livro, O Caminho do Sol, da Editora Vozes. Se quiserdes posso te emprestar esta obra, é esclarecedora, “me ligue” posso mandar junto a obra de Rousseau. Deusdeth o interessante é que tem ONG pra tudo, para proteção de mico-leão, de papagaio, de ararinha azul, de baleia, de tartaruga, no entanto não conheço nenhuma ONG dedicada efetivamente à defesa do indefeso homo sapiens sapiens, que está sob extremo e crucial risco de extinção. É bom que se esclareça, não tenho nada, “nadica de nada” contra mico-leão, papagaio, ararinha-azul, baleia, tartaruga, e etc. me pelo de medo de fanático, só pela dificuldade de se dialogar com um fanático. Considero-me um ambientalista e ecologista em grau e caráter planetário, ora, pois! Ora, pois! Toda araruta tem seu dia de mingau!

20* Deusdeth! Sabe o que me veio à mente neste momento? Sabe o que os FDPs dos governantes das nações exportadoras, ou talvez da maioria das nações mais ricas do planeta podem estar fazendo? Talvez estejam é apostando no crescimento da população do planeta. Para exportarem mais, aumentando o PIB, suas reservas cambiais etc. e para aumentar também o consumo interno. É por isto que não se fala em controle do crescimento da população! Os FDPs, estão apostando é na derrocada da humanidade e na falência do planeta, só capados! É a primeira vez, que aposto no meu engano! Desejo sinceramente que eu esteja errado.
Caro primo, vou pesquisar os resultados obtidos nos últimos Fóruns de Davos e de Porto Alegre, depois te escrevo a respeito. Adianto-te de antemão, que me parecem mais palhaçadas! O de Davos me pareceu este ano, lugar para uma artista famosa fazer marketing barato! A nossa imprensa, sempre chula deu destaque para este fato, olhe que nosso escritório assina e recebe diariamente o melhor jornal de São Paulo. Ela ofereceu do próprio bolso a quantia de US$10.000,00 e conseguiu US$1.000.000,00 para a Tanzânia um pais na África sub saariana, (pais faminto e aidético)  este pais tem uma população de 36.588.225 habitantes (2004), portanto ela conseguiu 0,0273 dólares para cada cidadão deste pais, gostou? Bom! Pelo menos valeu a intenção e o exemplo. Porque o país no qual ela fatura uma verdadeira fortuna como atriz, não permitiu de imediato a quebra das patentes dos remédios do coquetel da Aids? Tem muita hipocrisia por aí. A maioria dos paises africanos vem tendo sua população em franco declínio, a fome e a AIDS tem sido inclementes com os sofridos povos africanos. 

21* Um dos grandes empresários da informática, “ao que sei” um dos poucos que tem distribuído dinheiro grosso com as instituições filantrópicas, é o Sr. Bill Gates, e se recusaram falar com o mesmo! Dá pra entender? Olhe que só estou fazendo uma apreciação do que saiu nos jornais. A desculpa é a troca do sistema Windows pelo Linux na área governamental. Aí me calo. Fora disso não vejo porque não falar com Bill Gates, O programa Fome Zero está caindo pelas tabelas e precisando de ajuda. Dinheiro e saúde nunca fazem mal a ninguém, ou será que ele quer é fazer uma barganha? Talvez não seja!
Deusdeth, podes escrever, quanto ao Linux versus Windows. Não sou contra a mudança, acho até que já devia ter sido feito a mais tempo, No entanto aposto que vão criar o ministério do Linux, pelo menos a secretaria do Linux, pois a máquina estatal vai emperrar, ora! Todos os funcionários públicos tomaram curso para o sistema Windows, e mesmo porque o estado nunca funcionou bem na área da informática, conheço os dois sistemas, o Windows é auto-instalável, já o Linux requer conhecimentos pelo menos básicos de sistema operacional, para sua instalação, o sistema operacional doWindows é fechado, por isso fácil de instalar. O do Linux baseado no Unix é aberto, por isso mais difícil de instalar. Ele tem um prompt como o do DOS. Qualquer analfabeto em sistema operacional instala o Windows, é só seguir as instruções do CD,  para instalar o Linux, vão ter que aprender, como disse pelo menos o básico, o Linux não tem um “setup” simples como o Windows, Não trato aqui do setup da BIOS das máquinas, e sim do gerenciamento do sistema Linux. Para se fazer manutenção no sistema tem que se penetrar no gógó da ema, aí eu quero ver, Quando adotarem o Linux a máquina estatal vai parar, e a mudança terá que ser feita de uma só vez nas três esferas de administração, municipal, estadual e federal, nos cafundós do judas muitos municípios não possuem pessoal com conhecimento de sistema operacional, aí vai ser “brabo”. A mudança tem que ser feita com muita lógica, senão o freio vai ser de arrumação! Se não parar de tudo pelo menos vai dar uns bons solavancos. Se a máquina der uma travada forte, que Lula tenha cuidado com “la chaise”         

22* Parece-me que a humanidade está entrando numa fase de pré-loucura e numa de pré-burrice muito acentuada. Sem querer “querendo” ser pessimista (como já dizia Chaves), te recordas da Eco 92! Já nasceu morta! Parece-me que o Fórum econômico de Davos e o Fórum social de Porto Alegre (este agora vai se mudar), estão recebendo o mesmo tratamento que deram a Eco 92, e vão ter o mesmo destino. Tudo é só pra Inglês ver. Ora se é! Deixemos passar uns dez anos e constataremos que nada se resolveu, quer apostar? Nem o fórum econômico de Davos nem o fórum social jamais funcionarâo, O único participante de um governo no fórum social, foi vaiado e não pode fazer nada pelo planeta, embora querendo não tem como fazer, os participantes dos governos no fórum de Davos só vão lá defender seus governos. Cientistas por melhor que sejam, tendo PhD, Nobel, MS, MBA e tudo mais, infelizmente nada podem fazer, assim, tudo continuará como era d’antes no quartel de Abrantes.     
Voltemos ao assunto da burrice dos homens, de que estamos tratando em toda esta carta.
Deusdeth, o pior é que todos se julgam sábios e ninguém consegue ver o abismo para o qual a humanidade está se dirigindo. Num tempo pretérito um sábio já dissera que o homem é o lobo do homem, atualmente pode se dizer que os homens do topo da pirâmide estão criando bilhões de lobos famintos que inescapavelmente os devorarão. Então se pode dizer: o homem está a criar seus “lobos-homens”.
Caro Deusdeth, em vista disto podemos deduzir que o ato mais burro que a humanidade pratica (como um todo), seja o criatório desta imensa alcatéia/multidão de famintos “lobos-homens”, que inexoravelmente a destruirá.

23* Deusdeth! Veja a sabedoria na etimologia da palavra “lobisomem”. Quem teve esta antevisão do futuro? Quem inventou esta “alegoria”? Segundo a filologia o registro mais antigo deste verbete data de 1521, portanto a “protoprofecia” de que os “lobos-homens” devorariam a humanidade é coisa antiga.
O que provocará a mortandade de bilhões de seres humanos serão as pandemias globais, uma após a outra, advindas das mortes de milhões de seres insepultos, as nuvens cuidarão de transportar os miasmas da destruição sobre toda a superfície do planeta. Tudo isto provocado pelo caos climático.
Não há tecnologia que consiga proteger a espécie das pestes transportadas pelas nuvens. Cinco armas poderosíssimas destruirão a humanidade, o egoísmo, a usura, a ganância, o orgulho e a velha burrice. A probabilidade de uma catástrofe com este quilate acontecer é de 100%. Antes Já havia tragédias climáticas do tipo “secas prolongadas”, já pensou se houver no planeta uma seca por um período de cinco anos? A queima maluca e descontrolada dos combustíveis fósseis está jogando para a alta atmosfera um volume de CO2 que o planeta não suportará! O aquecimento do planeta pelo efeito estufa é um fato já comprovado, a catástrofe bate a nossa porta. Qual será o resultado de uma falta de chuva prolongada nos campos produtores de grãos do hemisfério norte? Onde por sinal habita em torno de 85% da humanidade. Será que existe estoque para atender um período de cinco anos? E se a seca for digamos, de dez anos? Ou por outro lado e se a seca abranger simultaneamente os dois hemisférios!

24* Observe que os povos mais evoluídos tecnologicamente são os que praticam os atos mais burros. O ato mais burro que todas as nações praticam é a guerra. O segundo ato burro é a emissão dos gases poluentes.  Um bom parâmetro para se medir o bom senso de uma nação é pelo volume de gases que ela evita lançar na atmosfera.
Porque a grande nação do norte se recusou a ratificar o protocolo de Kyoto? E até hoje não deu mostras de que pretende fazê-lo. O motivo todos nós conhecemos, Qualquer governo que assinar o protocolo de Kyoto estará obrigando suas indústrias poluidoras a comprarem proporcionalmente à sua emissão de gases, as famosas cotas de carbono, o que significa menos dólares em seus já abarrotados cofres da ganância. Traduzindo, isto não elege ou não reelege ninguém.

25* Tenha absoluta certeza, caro Deusdeth, que a última guerra não será iniciada ou provocada pelas nações mais ricas, mas sim! Pelos povos mais pobres. E os pobres não pegarão em armas, independentemente de suas vontades usarão os próprios corpos, bastam alguns milhares de corpos (mortos por inanição e insepultos), para provocar várias epidemias que matarão milhões que (insepultos) provocarão várias pandemias globais, que matarão bilhões de seres. Se um fato deste ocorrer é como uma bola de neve. Veja a dificuldade para dar sepultura a 150 mil corpos do maremoto do oceano Índico. Daqui a alguns meses veja o número final de mortos. Imagine “germes” oriundos de milhões de corpos, inevitavelmente serão espalhados pelos ventos por toda a superfície do planeta. Bem sei que corpos sadios não geram epidemias, mas será que em milhões de corpos todos estarão sadios?  Não me venham dizer que isto não é possível! Mesmo se o vento não o fizer, a fuga desesperada dos sobreviventes o fará, há poucas décadas atrás, ventos que sopraram sobre o Saara levaram suas areias sobre grandes áreas do planeta. A massa de um grão de areia é milhares de vezes maior que a massa de um “germe”, que pode estar sob um invólucro que o proteja dos raios infravermelhos e ultravioletas do Sol. Este invólucro pode ser até, mesmo as próprias nuvens. Ninguém se dá conta, ou não sabe que a opinião dos paleontólogos e arqueólogos é de que nosso planeta é um imenso cemitério de “espécies” extintas. Nenhuma espécie tem longa duração no planeta. Os primatas dos quais descendemos apareceram há 40 milhões de anos no planeta, os préhominideos desde há 15 milhões, os hominídeos em torno de 7 milhões, o homo erectus desde 2,4 milhões (Lucy) desde 3,2 milhões de anos, o “homo habilis” desde 800 mil anos, o homo sapiens desde 250 mil anos, o homo sapiens sapiens talvez desde há 125 mil anos representado pelos homens de Neanderthal e o Cro-magnon. Sendo que há vinte e oito mil anos só restou o Cro-Magnon. Tenham cuidado, pois pertencemos à “ordem” primata, portanto já estamos no planeta há 70 milhões de anos. Nosso mais antigo ancestral primata chamado pelos naturalistas L. Van Valen e R. E. Sloan de Purgatórius.  Cuidado, banho quente, chá das cinco e carinho, não faz mal a ninguém. Tenham cuidado com o planeta azul! Senão! Puff.         

26* Voltemos ao tema da diáspora moderna. O exemplo da dispersão das famílias, que anteriormente, bem mais atrás exponho está dentro da nossa própria família, o isolamento das famílias tem sempre conotações econômicas, isto não é culpa de ninguém, não há culpados, este é o comportamento natural de toda a humanidade.
Assim, todos nós somos os responsáveis pela miséria que existe e existirá no mundo, não há inocentes. Parece ser o destino da humanidade, é passar por isto, não há nada que possamos fazer.
Tratemos agora do assunto da comunicação: numa carta que fiz aos meus familiares expus um meu raciocínio: no qual explicito que a culpa dos percalços da humanidade é oriunda do fato de que o meio de comunicação de que dispomos no momento seria o responsável por tantos desencontros dos humanos. Onde o meio de comunicação, isto é, a fala e a escrita escondem o pensamento do dono, levando e permitindo um humano dizer ao outro: EU TE AMO E TE RESPEITO e ao mesmo tempo pensar: AMANHÃ MANDO TE MATAR FDP. Os meios atuais de comunicação à distância até facilita mais a prática da “falsidade” na comunicação humana, o que só vem piorar a situação! É comum ver alguém ao telefone, de dedo em riste fazendo aquele conhecido gesto digital para o interlocutor ausente e distante.

27* Caro Deusdeth porque só ajudamos a quem não necessita de ajuda?  Simplesmente abandonamos os mais necessitados! Principalmente quando parentes! O ser humano é extremamente complexo e não analisável, no ensaio abordo este tema não com muita profundidade, só superficialmente. Nós os seres humanos somos como cofres de aço, trancados e que se perdeu a chave, por mais que falemos ou escrevamos nunca conseguiremos exteriorizar realmente o que somos e pensamos!
Nós os seres humanos somos como o Universo, pleno de mistérios, assim nós dois somos somente mais dois mistérios deste nosso dito insondável Universo.
É devido ao fato de sermos como cofres (em que se perdeu a chave), que não conseguimos conhecer nem ao próximo nem a nós mesmos, todos têm alguma coisa trancada dentro de si, e é bastante difícil de se exteriorizar, mas é nossa obrigação querer e tentar fazê-lo. Lembras-te? Do “fi-lo porque qui-lo”, é isto aí.
Espero que passes o ensaio que te enviei para mais algum amigo com espírito evoluído, mente aberta e, sobre tudo interessado, pois até agora só o passei a duas pessoas com estas qualificações, estas duas pessoas foram, “Monteson e Deusdeth”, isto na nossa família.
Se dispuserdes de algum “tempo” para perder podemos a qualquer hora desta bater um ligeiro papo a respeito do ensaio dos Três “Insights”, a propósito do “tempo” vou te remeter uma pequena pesquisa que fiz dirigida a Rui, sobre o tema “tempo”.

28* Não vá pensar que sou um “Movér de Nostradamus!” O destino que está traçado para a humanidade, e que expus de maneira bastante simplificada, é o que qualquer pessoa com um mínimo de “bom senso” pode deduzir para o futuro de uma sociedade tão burra, injusta e egoísta, refiro-me neste caso a toda a humanidade.
Será que “bom senso” é a capacidade de se “enxergar” o óbvio? Ou então a capacidade de “ver” distorcendo e adaptando os fatos para um modelo particular de visão? Nem sempre o meu “bom senso” é o teu “bom senso”! Sendo o “senso” uma função que envolve três ferramentas do conhecimento, a ferramenta analítica a empírica e a dialética, assim com o uso das duas últimas não se espera “bons sensos” concludentes, concordes e “apodíticos” para duas intelecções. Ou o “bom senso” não conteria a priori, mais uma antinomia de Kant? Deusdeth, a despeito de todas as refutações do kantismo sobre a existência de um Ser Superior. (A refutação físico-teológica a ontológica e a cosmológica). Creio intuitivamente na existência de um Criador ontológico e transcendental.  Eis o fato que nublou a visão de Kant, (1724-1804). Fato este só vislumbrado quase dois séculos depois por outro filósofo. “Através dos óculos da nossa finitude humana enxergamos a Infinitude Divina, visualizando-a assim como nós somos, mas não assim como ela é”, Huberto Rohden (1894-1981).
Então, caro Deusdeth, a análise e o retrato que Kant fez do “Ser Supremo”, da “Divindade” foram a análise e o retrato dele mesmo. Ele estava na realidade era analisando filosoficamente um ser “finito” como ele próprio. Deste engano, nenhum ser humano escapa.

(Eis o prometido caneco de água fria).
29* Tudo que foi dito aqui pode acontecer e pode não acontecer, a ninguém é dado conhecer o futuro, o futuro é insondável, ou seja, “o futuro a Deus pertence”. As únicas coisas que podemos fazer com o futuro são elucubrações mentais que resultarão em previsões sem nenhum índice matemático provável de acerto. Nem os princípios bayesianos podem melhorar as previsões para o futuro traçado para a humanidade. Portando podemos deduzir que o futuro é imprevisível. Neste caso, a previsão probabilística para o “futuro”, da humanidade não tem nenhum valor axiomático. 

(Agora uma xícara de água quente).
Mas é bom que não te esqueças, caro Deusdeth o futuro que se delineia para a humanidade não é nada promissor.
Agora uma “acusaçãosinha”!
Assim, eu acuso toda a humanidade, seis bilhões e quatrocentos milhões de homo sapiens sapiens, ou enchedores da latrinas, como os chamava o Leonardo Da Vinci, de estarem indiferentes quanto ao próprio destino, e quanto ao destino da fauna e da flora do terceiro planeta, a flora esta conseguirá se salvar e se recomporá! Estropiada mas conseguirá.
Disto eu não abro mão de acusar.
PS.

30* Caro Deusdeth como seres humanos somos fatalmente falhos, assim não te avisei nas duas edições já enviadas, que esta carta é como a população do planeta, crescerá sempre. Doravante receberás novas edições sempre mais gordas, ampliadas e revisadas, colecione-as, talvez um dia venham a valer alguns níqueis. É um novo modelo de carta criado por mim. É a carta inflação. É sempre a mesma só faz inchar.
A vantagem da carta dirigida a uma pessoa específica é que só temos que prestar satisfações a esta pessoa. Concordas meu caro primo? Assim não terei o trabalho, nem a obrigação de responder a alguém que porventura vier tomar conhecimento e questionar as minhas “variadas” (com duplo sentido), ponderações.  

Do mais humilde e desprovido de conhecimentos de todos os teus amigos, parentes, conhecidos e desconhecidos.

Vitória da Conquista, 11 de fevereiro de 2005.
Cordialmente, teu primo,

Edimilson Santos Silva (Movér)
moversol@yahoo.com.br



0 comentários:

Postar um comentário