domingo, 29 de julho de 2018

CARTA À Dra. ANA CLARA MENDES - CARTA



CARTA À Dra. ANA CLARA MENDES


CARTA À Dra. ANA CLARA MENDES

Secretária da Agricultura do município de Esplanada – Ba, outubro de 2005

Dra. Ana, abraçastes a mais difícil área da medicina, a veterinária exige de quem a pratica muito conhecimento e bom senso, exige o dom da intuição e da arte mágica de puder entender nossos irmãos ditos “inferiores”, mesmo com o avanço do diagnóstico computadorizado, nem sempre o terás disponibilizado e, muito menos o encontrarás a miúde no campo.

Preclara, Ana Clara será que somos realmente frutos do acaso? De minha parte tenho plena certeza de que não o somos. Olhe que sou cheio de certezas e, de incertezas, me considero um ser ambíguo! Na realidade todos o somos! O poder da ambigüidade é que nos permite uma análise completa do verso e do anverso e de todos os opostos, do mais e do menos, do sim e do não, do tudo e do nada.  Os seres ambíguos têm as mentes espelhadas, isto é, conseguem ver ambos os lados de todas as proposições.

Então vamos às ilações filosóficas, são estas ilações filosóficas que mais nos diferenciam dos nossos irmãos (chamados indevidamente de) irracionais. Vamos a estas benditas ilações!
Será que somos tão somente uma interconexão neuronial? Sendo assim uma simples permuta de impulsos eletroquímicos no campo sináptico/dendrítico? Será que somos interações do nível quântico? Não consigo conceber o homem como fruto do acaso e sujeito à lei da incerteza quântica de Heisenberg! A intelecção, o entendimento, a razão, o discernimento, as emoções, sobretudo o amor na sua forma mais pura, o poder criativo da espécie humana, não pode ser fruto do acaso, a alma humana tem outra origem. É de estranhar! O homem antigo com um pouco menos de carga evolutiva, tinha um poder maior de percepção, logo no início da sua evolução enxergou Deus. Cara Ana Clara, de minha parte, sou espírito e corpo, sobre tudo espírito! Que os cientistas sejam o que bem entenderem. Será que o homem à medida que adquire ou desenvolve mais sua evolução na área tecnológica fica mais xucro? Mais bestial? O homem moderno vem dando provas disto. Onde está o tactus interior” de Cícero? Mesmo depois de conhecer a criação da maravilha da criação que sustenta toda a vida no planeta, me refiro a helicóide do DNA, estes cientistas inteligentes o bastante para decifrar o genoma humano, tem ainda a covardia de serem bastante burros para acreditar que a vida é obra do acaso?  Eles não têm é coragem o suficiente para gritarem! A vida tem um Criador! O Universo teve um Criador! Pois é impossível o acaso criar a vida tão complexa como ela o é, e criar um Universo tão lógico e tão bem ordenado. Dra. Ana, bem sei que o sabes, pois biologia é uma cadeira de tua formação acadêmica, a ciência biológica nos fornece dados esclarecedores: Veja o que nos expõe o Biólogo Roberto C.P.J. eis o que ele nos diz:

- “Uma célula viva possui cerca de vinte aminoácidos, cujas funções dependem de duas mil enzimas específicas. Pesquisadores descobriram que a probabilidade de que metade dessas enzimas, portanto mil, se agrupem de modo ordenado, conforme apresenta uma célula, é de uma chance em 10 elevado a 1.000. Este número é representado pelo algarismo 1 seguido de mil zeros... Só para termos uma pálida idéia do que isto significa, basta considerar que o tamanho do Universo observável atualmente é da ordem de 10 elevado a 28 centímetros, ou seja, um número de centímetros representado pelo algarismo 1 seguido de vinte e oito zeros. Se um dia esse número chegar a 10 elevado a 29 centímetros, significará que o Universo observável terá aumentado em dez vezes. Uma chance em 10 elevado a 1.000 para o arranjo aleatório ordenado de metade das enzimas de uma célula, equivale a dizer simplesmente que a possibilidade de a vida ter surgido por acaso é zero em termos probabilísticos“. - Roberto C.P.Junior

Ana Clara, estes dados são da biologia, e nos apresentados pelo Roberto são do conhecimento de todos. Já em se tratando de acaso no Universo, esta obviedade se repete; de maneira curiosa e assombrosa, conforme a física de partículas, Se os prótons fossem 0,2% mais pesados decairiam em nêutrons, desestabilizando os átomos. Se a força eletromagnética fosse 4% mais fraca não haveria hidrogênio nem estrelas comuns. Se a interação fraca fosse muito mais fraca, o hidrogênio não existiria; se fosse muito mais forte, as supernovas não poderiam semear o espaço com os elementos pesados. Se a constante cosmológica fosse muito maior, o Universo teria se despedaçado antes de as galáxias se formarem e por aí vai, tudo no Universo está sob medida rigorosa e perfeita. Não sei onde está o acaso no universo. Os astrofísicos são frescos ou burros, extremamente burros! (O orgulho a todos cega, até ao sábio). Após fazerem a análise espectral da luz da galáxia mais distante até hoje observada, encontraram ou deduziram que esta fonte de luz está a uma distância de 13,8 bilhões de anos-luz, do nosso SC, (Sistema Coordenado) que pode ser considerado como o SC do sistema solar ou mesmo o SC de nossa galáxia, esta medida somente nos diz que um corpo emissor de luz estava a esta distância de nós, a 13,8 bilhões de anos passados  e nada mais! Lógico que esta mensuração não está a nos fornecer o tamanho do Universo ou mesmo a sua idade; simplesmente porque; atualmente a cosmologia desconhece por completo a forma do Universo desconhecendo também a direção ou a localização do seu centro; o que equivale dizer: as coordenadas do local onde se deu o Big-Bang. Dra. Ana Clara, pelo amor de Deus! Todos estão enganando a todos, a Nasa está colorindo imagens captadas com o telescópio Hubble, (toda imagem do Universo é captada em preto e branco, pois o Universo só emite luz branca) e as está distribuindo para a imprensa já coloridas; assim consegue-se massagear o ego do contribuinte Americano. Que é quem vota na eleição do Congresso Americano, que por sua vez é o órgão financiador da Nasa. A Nasa daqui a poucos anos vai intentar uma nova empreitada, espero estar vivo para ver o fiasco de Marte. Nossa ciência ainda é insipiente, está todo mundo chutando, em toda área do conhecimento humano, só atingimos a primeira casquinha, talvez daqui a 500 anos já possamos dar umas estiradinhas. No começo do século passado a opinião de Kelvim era de que somente duas nuvens toldavam o campo da física, que bruto engano!  Cara Ana Clara, sem uma suficiente evolução espiritual, a espécie humana e a ciência não deslancham. Pelo que falta descobrir! Nada conhecemos. Conhecemos muito pouco de física quântica, de física relativista, de cosmologia e etc. O que existe é muito rótulo e muita teoria. A ciência desconhece completamente a intimidade da matéria, ninguém sabe de que são feitos os quarks, só conhecemos suas cargas elétricas, ou seja, suas massas. Seus spins, etc, e em que ordem estão presentes nos nêutrons e nos prótons. Visto que os mesmos não podem ser isolados! O Universo como um todo é completamente desconhecido, nossa astrofísica desconhece completamente a mecânica do movimento das galáxias, sei que é possível em 80 anos medir o movimento de um corpo que leva 220 milhões de anos para dar uma única volta, isto com certa imprecisão. (As galáxias só foram descobertas na década de 1920). Mas como os físicos não podem explicar como funciona a mecânica das galáxias com a física newtoniana, nem com a física einsteiniana, então tentam fazê-lo com a mágica da MOND, , MOdified Newtonian Dynamics, (Dinâmica newtoniana modificada), Prezada Ana Clara, este tema foi abordado com maior profundidade no glossário dos “Três Insights” Tudo isto é muito natural, o homem contemporâneo está embevecido e maravilhado com o alvorecer da ciência “revelada”; prevejo que daqui a alguns séculos, os tempos atuais serão relembrados e tratados como os dias do “encantamento”. Quem reencarnar com toda certeza verá.
Com toda honra, a Dra. Ana está convidada para este evento transcendental!

Estou me estendendo demais e, não devo tomar o teu precioso tempo,

O eterno aprendiz de aprendiz de rabiscador.

Edimilson Santos Silva Movér

Salvador, 08 de outubro de 2005                                                                        

0 comentários:

Postar um comentário