segunda-feira, 30 de julho de 2018

INTERLOCUÇÕES - PROSA POÉTICA



INTERLOCUÇÕES                                    
Espero que tenha ficado explicitado que estes mergulhos foram feitos: ao que me pareceu, na estrutura de um único “quark”, embora eu tenha percorrido toda a complexidade da estrutura do núcleo e assim, com a minha pequenez humana, fiz uma singela incursão, inesquecível, inacreditável e indescritível aos confins do nada e ao início de tudo.

Transcrito “Ipsis Litteris” do Antelóquio de “Os Três Insights”  Itacaré-Ba, junho de 2002


Um encontro: Após uma visita inusitada ao interior de um átomo

“Eu”
- É um prazer imenso ouvir-te meu prezado amigo,
Tempos imemoriais separam nossas interlocuções,
Não sei onde habitas, assim não mais falei contigo,
Deves morar noutro universo ou ter outras razões.

O outro “Eu”
- O problema é que o meu tempo não é o teu tempo,
Vivo noutras eras, ali, mudam-se os valores temporais,
Vivendo noutra dimensão, vivo num real “não tempo”,
Entender é fácil, temos os mesmo valores universais.

“Eu”
- Eu não discuto, Eu não posso discutir estas questões,
Quero ouvir ensinamentos que agucem minha razão,
Há saber universal nas tuas mais simples considerações,
Questões maiores enchem-me o espírito sem ver solução.

O outro “Eu”
- Vimos-nos quando vivias noutro tempo e noutro espaço,
Discutimos o existir e o universo em outras confabulações,
Fique a vontade, pergunte, estas não sou eu que as faço,
Sendo meu o tempo real, o gasto até em elucubrações.

“Eu”
- Recordo que ficaram questões pendentes nestes falares!
Daí a dúvida, foram encontros sutis noutra dimensão,
Ficaram as questões das partículas sem as decifrares!
E agora me criaram outra maior a exigir uma solução.

O outro “Eu”
- Posso ler em tua mente o que te causa tanta apreensão,
O que se passa no interior do átomo, nunca terão acesso,
O pentaquark é a partícula que mais causará confusão,
As leis da física são válidas em todo nosso belo universo.

 “Eu”
- Compreendo tua postura, mas, isto me causa espanto! 
Dizes-me que no interior do núcleo não penetraremos,
Acerta a ciência? Nos aceleradores em que gasta tanto!
O que há de tão secreto nos bárions, que não sabemos!

O outro “Eu”
- Respostas há mil, infelizmente nenhuma compreenderias,
Mergulhaste no mais recôndito da matéria e já esqueceste!
Lembra-te das argolinhas girantes, e tudo se esclareceria,
Vivenciaste a maior das aventuras, vejo que a entendeste.

“Eu”
- Recordo-me, pois aquilo não me sai ou me foge à memória,
Vejo o mergulho a todo instante, assombroso e alucinante,
O descrevi nos Três Insights, não vão acreditar na história,
Foi esta a maior epopéia a acontecer com um Ser pensante.

O outro “Eu”
- O Cosmos é entidade extremamente simples, fazei a conta!
É o simplex da simplicidade, pois é feito de um só elementar!
Este elementar é um decilhão de vezes menor que o “quanta”,
Planck não dividiu a energia primordial, fez, foi a multiplicar.

“Eu”
- Eu compreendo isto tudo como um grande enigma universal,
Depois dos meus insights vi o quanto é pequeno nosso mundo,
Comparado com o universo de universos a diferença é abissal,
Confundem o macro e o micro, ora! Um do outro é oriundo!

“O outro Eu”
- Tu entendeste a lição, o micro e o macro tem sua oposição!
Os físicos chegam bem perto do fato em suas elucubrações,
O macro universo nada mais é que o micro em sua ampliação,
O micro em que tu mergulhaste foi o macro das tuas visões...

“Eu”
- Foi este o mistério, vê-lo por fora e outras vezes por dentro!
Algo me intrigou, o universo todo dentro de mim de uma vez
Noutros momentos ele era tão grande que me sentia no centro
Mistérios de Deus! Vim entender agora a minha pequenez...

“O outro Eu”
- Ver-nos-emos alhures, estou só de passagem pelo teu mundo,
A sociedade dele dá os primeiros passos e muitos tropeçarão,
A evolução é longa, o tempo que passou foi só de um segundo,
No universo tem miríades de moradas, todos as conhecerão.

 “O outro eu”
- Aguardo ansioso que este novo encontro se dê no teu mundo,

"Eu"
- Espero que sim, eu também estou só de passagem pelo meu,
No meu existir tudo é breve, a vida aqui se esvai num segundo,
Ainda convivemos com a estultícia, tendo que conviver com o ateu...

  

Vitória da Conquista, Ba. - 27 de fevereiro de 2007
Edimilson Santos Silva Movér

0 comentários:

Postar um comentário