segunda-feira, 30 de julho de 2018

MAKTUB - PROSA



               MAKTUB
                                                                                            

Variações sobre uma crença do povo árabe
”ASSIM ESTAVA ESCRITO”

Sei e bem sei que nada de novo debaixo do Sol "não há"!
Não acredito no destino que me fazem crer que vou ter,
Não vejo lógica nenhuma no (assim foi e assim o será),
Dizem-me! Tudo que é! O é porque é assim que ia ser,
O Maktub nos faz acreditar num destino que todo Ser terá,
Se tiver que ter um destino é melhor o destino não saber,
Tudo isso porque o que vai ser, vai ter que ser e ser o que será,
Não ter um destino é bem melhor que ter o destino de não ser.

Sei e bem sei que nada de novo debaixo do Sol, "não há"!
O que envolve ter e não ser, terás e não serás e ser sem o ver,
Esdrúxula condição de nada poder fazer ou alinhavar,
O destino que vou ter me fará ser o que? Não vou saber!
Se eu escolher ter todos os destinos! É melhor não reclamar
Se o destino que vou ter for o que não vou querer, então!
Este destino não é meu destino e não o vou poder usar,
Aquele que nasce sem destino! Condenado está a não ser.

Sei e bem sei que nada de novo debaixo do Sol, "não há"!
Parcas esperanças, dúbias crenças, viver no eterno não saber!
Quem não mantém controle em seu destino! Vai seu destino planejar?
Certo é que! Só temos o livre arbítrio para quase nada escolher,
Se não controlas o existir! Como o seu destino controlar?
Se controlas teu destino! Diga, quantos anos inda vais viver?
O passado, o presente e o futuro, não temos como os engendrar...
Então o destino que me dê o destino que o destino mesmo escolher.

Sei e bem sei que nada de novo debaixo do Sol, "não há"!
Após tantas contradições tente a si mesmo responder
Existe ou não existe um destino a nós todos nortear?

Revendo um velho tema.
Proposições analítico/dialéticas sobre os temas: existir e destino.
Sob a ação da ótica do: ter, ser, fazer, saber, escolher, controlar, planejar, nortear e etc.


Vitória da Conquista, Ba. - 19 de outubro de 2006
Edimilson Santos Silva Movér

0 comentários:

Postar um comentário