segunda-feira, 30 de julho de 2018

O COSMOS E O SER - POESIA (88)


 

O COSMOS E O SER

 

 

Espécie e prolegômenos ao livro do universo,

ainda a ser escrito, não sei por quem!


Primeira e última instância do existir,

Densidade absoluta,

Maternergia a redambalar no ponto retroverso...

O tudo concentrando-se em niilíssima singularidade...

Compressão incompreensível nos eixos do universo...

Coordenadas esféricas x,y e z não vetoriais!

Zero absoluto!

Ausência absoluta de espaço...

Quantum negativo, negação total do movimento,

Estado estático, integral e infinito,

Morte súbita do tempo,

Ausência de matéria e antimatéria,

Incongruência do antihiperespaço,

Vórtice concêntrico dos bárions.

Sopa Cósmica em aglomeração,

Por bilionésimos de segundos

Atinge-se a singularidade.

Inconcebível inversão da gravidade,

Na brusca explosão da antimatéria!

Surge o Big-Bang!

A mente Cósmica deu a partida na criação deste universo.

Impensável expansão terrificante,

No início os quarks em conferência!

Para no futuro adquirirem consciência

Turbilhão em rotação, obedecendo a lei maior.

Um down e dois ups formaram o primeiro próton

Por oposição surgiu o nêutron

E par do próton, com dois down e um up,

Agora a descoberta do pentaquark

Ainda cinco partículas desconhecidas.

Os aceleradores não as reconheceram!

Nem na ambiguidade do antiquark

Necessidade premente!

Pois duas massas não se ajustavam

Para manter o equilíbrio nuclear.

A energia resultante da interação

Do trio próton, nêutron e pentaquark,

Unidos pelos glúons

Forma e dá energia ao lépton chamado elétron,

Trezentos e oitenta mil anos

Para criar espaço entre as partículas,

Como resultado surgiu o tempo e a luz

Simples fruto do movimento dos bárions.

E nada mais,

Criando assim, o espaço!

Formou-se o hidrogênio, átomo neutro e primevo

Base da tabela periódica dos elementos,

Estes mesmos elementos formaram Mendeleiev

Curioso! Os elementos ordenarem a si próprios!

Organização maior do poder divino.

O Cosmos expandiu-se em todas as direções

A esfera sempre a inflar

Dentro do vazio infinito universal.

Obedecendo a inércia sideral,

A quarta força,

E ainda, incompreendida gravidade,

A expansão em vetor esférico

Por contraposição surgiu em paralelo

A atração gravitacional

Equilibrando e contrapondo a expansão descomunal,

A unir os átomos em suas diversas formas

Criando os corpos no vasto universo,

Em número infinito dentro das galáxias

Gerando as protogaláxias e nebulosas,

Todas em vertiginosa expansão,

Ainda há outras massas imensas dentro das galáxias

Buracos negros, quasars e estrelas de nêutrons

Formadas pela conjugação das forças universais,

Atração e rotação em perfeita sintonia e equilíbrio

Mantendo-as para a eternidade.

Dentro das galáxias os grupos estelares,

Nos grupos estelares os planetas.

Nosso sistema solar tem 4,6 bilhões de anos

Uma simples estrela de segunda ou terceira geração,

No sistema solar o terceiro planeta

É habitado pelos seres ditos humanos

Formados de aglomerados dos elementos naturais

Habitáculos da partícula divina.

Passados 13.81 bilhões da anos

Estamos a apreciar o espetáculo da Criação

Somos a natureza tomando conhecimento de si própria!

Os seres sencientes nada mais são que a energia

Em sua forma primordial, mas, de origem divina

E de existência tão antiga tanto quanto o próprio universo

Fadados estamos à eternidade!

Qual romeiro levando a sua esclavina,

Não entendo a dificuldade de se entender fato tão singular!

Se tudo no universo é energia!

De que seríamos formados então?

A resposta mais lógica e racional seria:

Da energia primordial que formou o universo...

Na essência nada mais somos que:

Partículas da Consciência Cósmica...

 

Assim!

Somos poeira das estrelas. Carl Sagan

 

 

Divagação metafísica não mecanicista, por:

 

Edimilson Santos Silva Movér

Vitória da Conquista, Ba. - 23 de janeiro de 2007

moversol@yahoo.com.br


0 comentários:

Postar um comentário