sexta-feira, 27 de julho de 2018

SONETO DO RETRATO - SONETO

SONETO DO RETRATO
Nem mesmo nos loucos sonhos meus,  
eu sonharia perder a essência daquilo que
para minh’alma representa aquele retrato.

Há! Retrato!


Quando eu perder toda memória,
Jamais vou esquecer teu existir,
A dura existência seria inglória,
Nunca entenderia aquele partir!

Eu andaria a esmo pelas montanhas,
Sentindo despedaçado meu coração,
Silente, erraria por terras estranhas,
Tomaria por companheira! A solidão!

Morrer! Seria morrer o secreto amor,
Fere a alma o despedir sem despedida,
Viveria entristecido, e em anonimato!

Dentro d’alma, só restaria o amargor,
De joelhos ante aquela imagem querida,
Eternamente triste, fitaria o teu retrato!


Edimilson Santos Silva Movér
Camaçari-Bahia

27/07/2018

Um comentário: