terça-feira, 24 de julho de 2018


DA SÉRIE: ENSAIOS QUE NOS LEVAM A PENSAR
Da subsérie: Ficção futurística

Este ensaio é dedicado à memória do poeta “maior” de Vitória da Conquista, MANECA GROSSO, morto de forma infame, pela pequenez de espírito de seus adversários políticos.

OS SETE SELOS DA ESPERANÇA DE UM MUNDO MELHOR.

1º) O SELO DO TRABALHO
2º) O SELO DA POLÍTICA
3º) O SELO DA SEGURANÇA
4º) O SELO DA EDUCAÇÃO
5º) O SELO DA SAÚDE
6º) O SELO DA GUERRA
7º) O SELO DA RELIGIÃO

1* Neste ensaio não será prevista nenhuma data para definir dentro do tempo e do espaço, nenhum dos eventos aqui previstos, esta sequência acima é completamente aleatória, o leitor pode mudá-la a seu bel prazer, pois, nenhuma mudança na sequência acima alterará a viabilidade e a possibilidade de tais eventos acontecerem…
2* Num futuro, não muito distante, sete grandes mudanças estão “entrincheiradas” no nosso desenvolvimento espiritual, estas mudanças serão refletidas sobretudo, em nosso desenvolvimento “tecnológico” atual, elas aguardam pacientemente para sua aparição, tais mudanças virão modificar o “modus vivendi et operandi” do “homo sapiens sapiens”, com relação a si próprio, e com relação ao planeta em que ele vive. Estas sete mudanças serão causadas, principalmente pelo “ultimatum” que Gaia dará ao homem, que se verá premido a mudar drasticamente sua relação (repito), consigo mesmo, principalmente mudando a sua relação com a sua única morada, o planeta azul. No futuro, o último selo, fruto dessa mesma tecnologia que atualmente afasta o homem de Deus, mostrará este Deus ao homem! E todo o comportamento da sociedade humana será modificado. Paulatinamente, as maiores e melhores universidades do mundo, tem trilhado por caminhos que nos levam a uma grande revelação: A revelação da existência de uma consciência que transcende nosso universo, conhecido e desconhecido, através de propostas aparentemente corriqueiras, tais quais: A teoria geral dos sistemas, a psicologia transpessoal, a teoria de que gaia é viva, a teoria da ressonância mórfica, a recente teoria do biocentrismo, os avanços nos estudos da consciência ou enteléquia humana.

3* Eis a lista dos acontecimentos futuros:
1)         Não haverá trabalho, muito menos trabalhadores. Todo trabalho humano será substituído por trabalho robótico.
2) Não haverá políticos, muito menos eleições. Com o advento do uso da energia do sol em larga escala, tudo terá custo 0 (zero), como nada terá mais valor, não haverá mais dinheiro, obviamente não haverá mais políticos nem afins. Os órgãos públicos serão geridos pelos computadores.
3) Não haverá polícia, muito menos prisões. Ora! Como nada, absolutamente nada terá mais valor, polícia e prisões (sistema prisional), não existirão mais, ou seja, tornar-se-ão obsoletos.
4) Não haverá escolas fundamentais, muito menos universidades. Os computadores substituirão estes organismos.
5) Não haverá doenças, muito menos hospitais e médicos. O desenvolvimento da biotecnologia, da nanotecnologia e da biogenética, nos farão imunes às doenças. E adeus doenças, médicos e hospitais.
6) Não haverá guerra, muito menos forças armadas. Guerras! Guerrear com quem? Seremos um só povo e uma única nação planetária, os ETs vem aí.
7) Finalmente: haverá uma única religião, portanto um único Deus. A nossa inteligência nos foi dada por este Deus, em nosso estado evolutivo atual nunca encontraremos DEUS, somente quando nossos irmãos do cosmos (ETs) nos encontrarem, e nunca nós a eles, eles nos dirão quem é Deus, e as religiões se unificarão. Desconheço completamente quem e, como será este Deus!!!...

OS FUNDAMENTOS DESTAS PROPOSIÇÕES:
4* É muito difícil saber o que vai acontecer no futuro, podemos até mesmo dizer que é impossível tais fatos acontecerem, mas, no entanto, é possível fazer uma previsão com uma boa margem de acerto, se nos fundamentarmos no que vem ocorrendo com as diversas etapas do desenvolvimento humano, sabemos que nada no universo evolui de uma só vez, a etimologia do verbo evoluir na sua acepção no Houaiss, nos diz: – Verbo Evoluir: passar por processo gradual de evolução ou transformação; evolver, evolucionar, – Ex.: todos os seres vivos evoluíram (de formas anteriores). – Portanto o termo evolução pressupõe etapas, portanto, “etapas evolutivas graduais”, se nos ativermos ou nos fundamentarmos nestas “etapas evolutivas graduais” passadas e presentes, e se as projetarmos através de uma base matemática, para um tempo futuro, teremos com toda a certeza uma previsão futurista com a probabilidade de um alto grau de acerto, embora, aqui neste ensaio, o faça de modo heurístico. O raciocínio das etapas graduais recorrentes levou o pastor presbiteriano inglês, (Thomas Bayes), já no distante ano de 1732 ao corolário da chave da moderna teoria das probabilidades, que está fundamentada no teorema de Bayes. A ideia de Bayes contém uma lógica simples, mas, extremamente eficiente, qualquer pessoa de entendimento mediano verá que o raciocínio de Bayes contém uma lógica, inquestionável. Clique no link e se esclareça melhor.
1º) SELO:
5* O FIM DO TRABALHO HUMANO NA INDÚSTRIA E NO CAMPO
No início do século passado um homem de extraordinária visão modificou para sempre o sistema de produção industrial com uma ideia bastante simples. Ele partiu de um fato conhecido por todos os planejadores industriais da época, de que na produção industrial, entre uma ação e outra do operário, havia um lapso de tempo perdido, o que diminuía o aproveitamento do uso da mão de obra, com consequências desastrosas para a produção, e para o custo final do produto acabado.
Em 1906 Henry Ford, partindo desta constatação, e para minimizar o tempo perdido entre uma atividade operária e outra, inventou e pôs em prática o que chamamos atualmente de: “linha de montagem”, o que, nada mais é do que a aplicação da mão de obra operária, de forma altamente otimizada, no entanto, não podemos considerá-la como levada ao seu “ótimo” extremo.
O resultado desta tomada de posição de Ford, é que sua linha de produção provocou uma grande redução no custo do produto acabado, popularizando o uso do seu produto, o automóvel conhecido como “Ford T”. O que se vislumbra atualmente para o futuro da indústria em geral é o fim do uso do trabalho, ou seja, da abolição da mão de obra operária no setor industrial e na agroindústria, com o advento da energia barata e abundante, podendo-se dizer inesgotável, estes setores serão completamente automatizados, tornando todo produto extremamente barato, o capitalismo será derrotado por si mesmo, o regime capitalista gerou uma riqueza tão descomunal no planeta! Que esta riqueza sendo aplicada no desenvolvimento da tecnologia, levará inescapavelmente a um custo tão ínfimo do produto industrial, que este baixo custo eliminará o comércio, o produto final da indústria simplesmente, será distribuído a cada um, conforme a sua necessidade. Nem é bom sonhar com uma nova sociedade com um número tão excessivo de falantes e de outros animais morando em Gaia, uma adequação demográfica terá que ser feita, não me perguntem qual o caminho para isto, pois, eu não saberia responder. Com todas as “coisas” sendo produzidas a custo 0”zero”; nosso sistema econômico nunca mais será o mesmo.
6* Então, teremos atingido o regime econômico da riqueza plena e absoluta, e adeus capitalismo. Então teremos com a mais absoluta certeza, a DEMOCRACIA PLENA, com a qual nem Platão ousou sonhar, na verdade o povo que inventou a democracia, nunca viveu sob um real regime democrático. Quem conhece a história do heroico povo grego, sabe disso, quem leu e entendeu o sonho de Platão na sua República sabe que ela era elitista, portanto não pode ser chamada de democracia.

7* Caro leitor não concordo com a visão do Jeremy Rifkin quanto ao futuro da sociedade do futuro, isto quanto ao “fim dos empregos”, mas, também não posso concordar com a visão dos dois “pais” da futurologia, Marshall Mc Luhan com sua descabida “Aldeia Global” e Alvin Toffler com sua “Terceira Onda”, ambos erraram, e feio, eles simplesmente previram mudanças até cabíveis, mas, não tiveram a percepção para o fato que estas mudanças só seriam factíveis de acontecer se houvesse mudanças profundas na estrutura da sociedade como um todo, a aldeia global de Mc Luhan não era tão global assim. Quanto ao Rifkin, ele se esqueceu, de um fato sabido por todos, quando uma “coisa” se torna desnecessária, não faz diferença a sua ausência, é o mesmo caso da perda da libido humana na velhice, perdeu, perdeu, ninguém sente sua falta, nunca ouvi falar de alguém que tivesse se suicidado porque terminou sua libido… O mundo simplesmente muda e pronto, nunca haverá uma greve porque o mundo mudou. Assim não concordo com o Jeremy Rifkin. O mundo ou a sociedade humana não entrará em declínio porque não irá existir mais empregos. O grande problema é a visão unificada dos três mestres acima citados, nenhum deles enxergou uma mudança na estrutura do “mundo”, tudo no planeta está fundamentado em sua estrutura “maior”, que é algo a que chamo de “valor das coisas”. Minha previsão é de que o futuro nos acena para o fim do “valor das coisas” O que dá valor as “coisas” é algo chamado energia. Seja ela de qual tipo for, quando a tecnologia do futuro conseguir energia abundante com custo 0 (zero), nada mais terá valor, e aí então a estrutura do mundo estará mudada. Simplesmente tudo mudará… A abertura deste 1º Selo mudará a estrutura do mundo, sendo sua consequência maior, a abertura dos outros seis Selos. No segundo Selo discorro mais sobre isto.


2º) SELO:
 NÃO HAVERÁ POLÍTICOS, NEM HAVERÁ ELEIÇÕES
8* A necessidade da existência dos políticos é ditada pela gerencia da coisa pública. A alternância dessa gerência cria as eleições. Tudo que é gerido no mundo, (no planeta), refiro-me a qualquer tipo de gerência, fundamenta-se numa distribuição ou numa troca de valores. Estes valores podem ser entendidos como um algo contendo “um certo número” de “energias”, na atualidade este valor é composto de vários fatores de energia, como por exemplo: x, horas de trabalho humano, x horas de trabalho de máquina, x quilogramas de matérias primas diversas, x, impostos, x, horas de transporte, e o mais importante, x, kWh de energia elétrica, a soma destes componentes é que determina o valor ou o preço final do produto acabado no mercado. Este produto acabado pode ser um corte de cabelo, um clips, um ingresso de cinema, uma consulta médica ou uma Ferrari de último modelo. Ora ao conseguirmos retirar um a um, estes componentes que fazem o custo do produto final acabado, seu preço reduzir-se-á a 0 (zero).
9* Então, como a política, os políticos e as eleições existem somente para gerir as trocas, ou o intercâmbio destes valores, se conseguirmos acabar com estes valores inseridos nos produtos, estaremos automaticamente encerrando a necessidade dos políticos e afins! Este segundo selo será aberto em um tempo difícil de ser previsto, mas, ele será aberto. A ganância e o egoísmo humano dificultarão ao máximo a abertura deste segundo selo. A abertura do 1º selo inevitavelmente causará a abertura deste 2º Selo.


3º SELO
NÃO HAVERÁ POLICIA, MUITO MENOS PRISÕES
10* Este selo será aberto por uma já desaparecida, “ordem pretensamente natural das coisas”, o humano atual quase não possui visão para enxergar a real “ordem natural das coisas”. Tem horas em que acredito que todos nós somos possuidores deste tipo de visão, mas, não sei por quê, temos a tendência natural para excluirmos esta “visão” de nossa visão. Aqui não trato do homem simples, mas sim, do homem instruído e de espírito evoluído, o homem que possuir o poder de acumular toda instrução que a episteme humana possa contiver.
Entenda porém! Que esse “possuir” não expressa a condição a priori e necessária dele abarcar toda episteme humana, algo realmente impossível para qualquer “Ser”.  Ele poderá ter somente uma visão superficial do “TUDO”, mas, não um entendimento completo do “TUDO”. E esta visão estará sob a condicionante dele possuir suficiente evolução espiritual, senão, nunca poderá enxergar a real “ordem natural das coisas”.

11* Rui Barbosa dizia que tinha hora em que ele acreditava que a burrice era uma ciência, de tanto ver gente burra mandando em pessoas inteligentes, meu amigo Luciano Ferraz, sempre espirituoso, me disse que acredita que o ser humano tem dois tipos de catarata, uma visual, outra mental, e ao que lhe parece, a catarata visual é a que menos afeta o ser humano.

12* Vou simplificar, a pedido do meu amigo Luciano Ferraz, o de Itambé! Vamos ver se conseguimos ter um vislumbre do que chamamos evolução da humanidade: Tentaremos imaginar cinco grupos humanos, com um mesmo número de seres, vivendo em épocas distintas, digamos 50 (cinquenta seres), por grupo, não podemos tentar visualizar um número muito grande de seres, pois, suas relações seriam muito complexas, já num número muito pequeno, suas interações seriam simples por demais, nos tirando o poder da lógica ao visualizá-las e analisá-las. Nestes cinco grupo observaremos somente 5 (cinco) comportamentos: 1º) como se relacionavam, 2º) como conseguiam se alimentar, 3º) como se protegiam das intempéries e dos seres entre si, inclusive das feras, 4º) como tratavam as mulheres e filhos, e 5º) como viam a natureza: dias e noites, chuvas, trovões e relâmpagos, os animais, as fontes a as flores e, sobretudo como interagiam diante deste universo. Como disse no começo estes 5 (cinco) grupos, no princípio “humanoides”, depois já a partir de 200 (duzentos mil) anos, já “humanos falantes”, e no final já como humanos tecnológicos atuais, eis os tempos em que viveram: Grupo A) 1.000.000 (um) milhão de anos atrás. Grupo B) 500.000 (quinhentos mil) anos. Grupo C) 100.000 (cem mil) anos  Grupo D) 10.000 (dez mil) anos. Grupo E) finalmente um grupo vivendo no ano 2010. Portanto, dois grupos de humanoides e três grupos de humanos. Você seria capaz de criar um quadro evolutivo comportamental destes grupos dentro destas diversas épocas? Se você montar rapidamente e mentalmente um quadro evolutivo do comportamento destes grupos, com certeza sois um “Ser” de visão diferenciada, portanto, um “Ser” que se diferencia do homem tecnológico comum. Um “Ser” somente por utilizar um computador e cursar uma universidade, nem sempre possui uma visão que abarque todo o nosso existir no planeta, muito menos uma visão cósmica da vida.

13* Se conseguirdes montar teu quadro mental da evolução comportamental destes 5 (cinco) grupos de seres dentro do tempo, tornar-se-á desnecessário explicar o por quê, da futura extinção da polícia e das prisões, o obviamente da justiça… Julgo ser desnecessário analisar o destino das profissões afetas a “polícia e prisões”. A abertura do 1º selo inevitavelmente abrirá este terceiro Selo.

4º SELO.
NÃO HAVERÁ ESCOLA FUNDAMENTAL, MUITO MENOS UNIVERSIDADES.
14* De todos os selos, este da educação tem delineado todo seu desenvolvimento ao longo de curto espaço de tempo. Como é algo pertencente e inventado pela sociedade moderna, sua retrospectiva não vai além de seis mil anos. O ensino do homem por outro homem durou pouco, e está fadado a ter um fim brusco. Os novos avanços da bioinformática através da moderna tecnologia computacional isto nos propõe, no momento o caminho possui somente uma via, a interação possuindo somente uma via, está mais perto da outra via, do que podemos supor. Nossa mente emite 6 (seis) tipos ou gamas de ondas de rádio, estas ondas cerebrais tem sido utilizadas pelos maiores laboratórios de computação para interagir com os computadores, já existem computadores capazes de interagir com a mente humana, dispensando teclados e mouses, não existe ainda computadores capazes de transmitir conhecimento diretamente para o cérebro humano, mas isto é questão de tempo, portanto, quando os computadores conseguirem introduzir o conhecimento em nossos cérebros, adeus ensino fundamental e, logicamente adeus ensino universitário, não consigo entender por que haveria de existir escolas e universidades no futuro… A abertura do 1º Selo inevitavelmente abrirá este 4º Selo


5º SELO
NÃO HAVERÁ DOENÇAS, MUITO MENOS HOSPITAIS E MÉDICOS
15* Este selo será aberto, mas, é difícil a previsão de quando se dará a sua abertura, dentro deste selo está guardado dois dos mais “desvirtuosos” e maléficos defeitos dos humanos. A ganância e falta de humanidade. A classe médica se vê as voltas com estes males, sem nada poder fazer. No mundo ocidental, ao longo do tempo criou-se a indústria da doença, no princípio era uma estrutura caseira, pode-se dizer de fundo de quintal, com o passar do tempo, e o completo domínio do capitalismo sobre a estrutura econômica do mundo, a indústria das doenças, que é o mesmo que a indústria do remédio, ou seja, a indústria farmacêutica, tornou-se tão poderosa, que nem o famoso “Food and Drug Administration (FDA)” consegue ter um completo domínio sobre a indústria farmacêutica americana, que é a maior do mundo ocidental. Esta indústria conseguiu um completo domínio sobre as doenças, os hospitais e sobre os médicos. Digo domínio econômico. Não cito a (ANVISA), por julgar desnecessário. Principalmente por sua ineficiência, coisa já natural nos órgãos públicos brasileiro, onde campeia a desonra e a corrupção. E não me venham dizer que isto não seja uma verdade. No século passado a “indústria do remédio”, fornecia amostra grátis aos médicos e vez por outra, algum presente a médicos e a hospitais, hoje a “coisa” é escancarada, a propina rola solta. O lucro deste setor é tão grande que eles possuem influência em todos os governos do mundo através de subsídios que dão para os diversos setores da pesquisa médica nas universidades de TODOS os países do planeta. Não escapa um! E mesmo por que, é usual a propina nua e crua aos altos escalões dos governos em todo o mundo. O mundo médico vive dependente da indústria farmacêutica, a “coisa” está enraizada nas faculdades e nos hospitais de todo o mundo. Um médico me disse: – Movér a medicina do mundo é refém da indústria farmacêutica mundial. – Eu digo: o mundo vive da miséria do mundo. Já dizia Hobbes o homem é o lobo do homem, (Homo homini lupus), Entendam como quiserem e puderem… Não me chamem para testemunhar nada, tenho pele, (couro mesmo), gosto de comer feijão com torresmo, e gosto de escrever poesias e alguns ensaios insossos. Claro! Ninguém é bobo! A indústria dos remédios não se interessa pela extinção das doenças, seria como matar a galinha dos ovos de ouro. No entanto, quando for extinto o “valor das coisas” ao ser aberto o 1º Selo a biotecnologia, a nanotecnologia e a biogenética, (aqui me refiro a biossíntese das células), juntas, estas três ciências extinguirão as doenças. Pode entrar até mais umas ciências de lambuja. A abertura do 1º Selo inevitavelmente abrirá este 5º Selo.


6º SELO
NÃO HAVERÁ GUERRA, MUITO MENOS FORÇAS ARMADAS
16* Depois da abertura do 1º Selo, com a extinção do “valor das coisas” e a derrocada do capitalismo. Não vejo mais nenhum motivo para existir guerras, mesmo porque todas as nações, por opção própria tornar-se-ão uma só nação! Adeus guerras e soldados. Os “canhões” serão derretidos e transformados em aviões e navios para se fazer turismo, edifícios e casas para se morar. A abertura do 1º Selo inevitavelmente abrirá este 6º Selo.


7º SELO
HAVERÁ UMA ÚNICA RELIGIÃO, PORTANTO, UM ÚNICO DEUS
17* Este sétimo Selo, pelo tema, e por si mesmo é o mais polêmico, isto o torna o mais interessante. No início do século XX, na verdade em 1932 um Ser humano de profunda visão, propôs que tudo era “uno”, isto é, que todo o universo e nós, os seres humanos éramos a mesma coisa! Acertou em cheio, ele propôs que tudo no universo era composto por sistemas, sempre um sistema maior e aberto envolvendo um ou vários sistemas menores também abertos, tornou a acertar em cheio, o nome deste Senhor merece ser citado completinho, com direito a biografia e tudo mais. Karl Ludwig Von Bertalanffy, foi um cidadão austríaco nascido em Viena em 19 de setembro de 1901 falecendo em Buffalo, Estado de Nova York, em 12 de junho de 1972, quando ainda novo, na década de vinte ele criou a teoria geral dos sistemas, Bertalanffy apresentou sua teoria primeiramente no seminário Charles Morris na Universidade de Chicago, em 1937 isto foi só o início, na realidade a teoria foi desenvolvida na Áustria, sua terra natal, a beleza da teoria de Von Bertalanffy é que ela integra o homem ao universo, derrubando de uma vez por todas a teoria mecanicista de Descartes, prevalecendo a teoria holista. A ideia de que o homem é parte integrante do universo e não uma coisa à parte modificou profundamente o pensamento filosóficos de pensadores, biólogos, físicos quânticos, teólogos, esta teoria mudou a (visão de mundo), do ocidente, pois o oriente sempre teve uma (visão de mundo) holista. O que determinará a falência do ateísmo da ciência e das religiões, pois, todas as religiões, isto é, (seus mestres) são ateus, será o aparecimento do homem novo, nos dizendo textualmente que o criador do universo existe. Este homem novo a que me refiro, nada mais que o ET. Quando o homem extra terrestre chegar ao planeta todas as religiões se unificarão, e todos adorarão um único Deus. Só um tolo crê, com pureza d`alma que este universo infinito foi feito somente para abrigar o homem, que ainda hoje, se comporta como um animal complexo e embrutecido, não sei nem se merece realmente a alcunha de “homo sapiens sapiens. A abertura do 1º Selo inevitavelmente abrirá este 7º Selo


18*As elucubrações mentais contidas neste singelo ensaio estão fundamentadas, na previsão da extinção do grande mal da era moderna, o capitalismo, embora tenha sido durante um longo espaço de tempo, um mal necessário, por absoluta ausência, ou falta de um sistema melhor. Ele sempre esteve fadado a se tornar um sistema econômico falido. O capitalismo sempre trouxe dentro de si, seu próprio carcinoma, este carcinoma sempre foi representado pela sua necessidade de crescer de forma infinita e exponencial, o que requer matéria prima e energia infinita. E nosso planeta azul não possui em sua biosfera matéria prima, nem  energia, nem nada que produza energia de forma infinita. O que dá sustentação ao sistema capitalista é justamente o alto custo da energia em todas as suas formas, energia esta, contida somente dentro da sua biosfera, para o sistema capitalista não entrar em falência, será gasto boa parte da riqueza que o capitalismo conseguiu armazenar no mundo, na busca de uma fonte de energia externa, fora da biosfera, quando a procura por esta fonte for bem sucedida, e ela será a energia solar captada no espaço, ela tornar-se-á com o tempo, abundante e gratuita, assim esta fonte de energia decretará o fim e a falência do sistema capitalista, eis aqui um dos maiores paradoxos da história do homem no planeta! O fim da energia fóssil levou o sistema capitalista a buscar sua própria falência, representada numa busca por uma energia abundante e de graça. E tudo continua como era dantes no Quartel de Abrantes. Será que o homem a que se referia Luciano, o da catarata, conseguiria compreender que tudo que existe no planeta com referência a “vida” tem sua origem no Sol? Inclusive toda sua energia, e que a única exceção é a energia de origem radioativa.

O que foi; isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que NADA HÁ DE NOVO DEBAIXO DO SOL. Ecles. 1:9

Feliz ano novo para todos os povos do planeta.

Vitória da Conquista, Bahia em 31 de dezembro de 2010
Edimilson Santos Silva Movér


0 comentários:

Postar um comentário