terça-feira, 14 de agosto de 2018

A PROPOSTA DE SE RECRIAR UMA ESPÉCIE EXTINTA - ENSAIO




Este Blog
Link daqui
A web


DA SÉRIE: ENSAIOS QUE NOS LEVAM A PENSAR
Subsérie: Comentando experiências cruciais dos humanos.

  A PROPOSTA DE SE RECRIAR UMA ESPÉCIE EXTINTA

PEQUENO COMENTÁRIO

1* Observem, bem que a data abaixo é da publicação da reportagem, e que não é a desta atualização! Sabemos que esta proposta de clonagem de um humano não é nova, e vai persistir por muito tempo. Enquanto durar a incerteza se vai dar certo ou não. Fiquem atentos, para o fato de que tais propostas de clonagem de humanos, não são fruto de necessidades imediatas da espécie, nem necessárias aos avanços pretendidos e naturais da moderna biogenética, pois, poderiam ser intentados em outros primatas geneticamente próximos da espécie humana. Nem tão pouco estas experiências são causadas por simples curiosidade de alguns médicos ateus. Simplesmente o que buscam é notoriedade, fama ou algum prêmio, talvez o Nóbel, e principalmente dinheiro, e c’est fini. Estas observações, são somente para chamar a atenção dos leitores sobre a realidade das coisas, somente isso, aqui não acuso ninguém, analiso somente tais possibilidades e nada mais. Movér

Eis a reportagem do Daily Mail:
Terra
Publicado em 21/01/2013 às 10h35

2* Cientista quer barriga de aluguel para clonar homem de Neandertal
Segundo Movér este é um dos nossos ancestrais, e um de seus avôs.
Modelo mostra como seria a espécie extinta há mais de 33 mil anos.


Foto: Reprodução/Daily Mail

3* Um dos geneticistas mais importantes do mundo está à procura de uma voluntária disposta a gerar um clone do homem de Neanderthal, ancestral do homem, extinto há mais de 33 mil de anos. George Church, professor da Escola de Medicina de Harvard, nos Estados Unidos, acredita ser possível reconstruir o DNA de um Neandertal com o auxílio da medicina moderna, mas para efetivar sua estratégia, vai precisar de uma barriga de aluguel. As informações são do jornal Daily Mail.
4* Ele disse que conseguiu captar quantidade suficiente de DNA de ossos fossilizados para reconstruir espécies humanas extintas há muito tempo. "Agora eu preciso de uma mulher aventureira", afirmou o geneticista. O plano de Church começaria com a criação, em laboratório, do DNA de Neandertal a partir do código genético encontrado nos fósseis. Esse material seria injetado em células de um embrião humano e, depois de crescer no laboratório por alguns dias, o embrião seria implantado no útero de uma mãe de aluguel.
Em entrevista à revista alemã Der Spiegel, o geneticista disse que, ao contrário do que se imagina, o homem de Neandertal era muito inteligente. "Eles poderiam até mesmo ser mais inteligentes do que nós", afirmou ao destacar que o seu modo de pensar diferenciado poderia ajudar a humanidade. Cientistas dizem que a técnica de Church é tecnicamente possível, embora esbarre em questões éticas, já que a clonagem humana é considerada crime.
A ideia do professor lembra, em parte, o filme Jurassic Park, que sugeria a recriação dos dinossauros por meio do seu material genético. Os cientistas temem que os néo-Neanderthais não teriam imunidade suficiente para sobreviver a doenças modernas e alguns acreditam que o processo poderia levar a deformidades. Há também incertezas sobre como eles se encaixariam no modo de vida moderno. Fonte: www.terra.com.br

COMENTÁRIOS DE MOVÉR:
Eu fico pasmo com os trabalhos jornalísticos de hoje, e do descaso da redação dos jornais! Logo acima na reportagem você lê! (homem de Neanderthal, ancestral do homem), segundo a ciência bio-antropológica não somos descendentes do Neanderthal, depois, vem (mas para efetivar sua estratégia), ora! A estratégia deve estar contida na experiência, isto, para efetivá-la, adiante ele cita ( espécies humanas extintas). Ao que a antropologia nos ensina, não  existe espécie humana extinta! O que está havendo com as escolas de jornalismo? ou a culpa não seria da escola, mas sim, do jornalista, que pegou a reportagem original, e ele teria utilizado uma péssima tradução do inglês da reportagem original? Qual seria o problema! E eu que defendo tanto os jornalistas! 

5* Não discordo da possibilidade de se criar um clone, humano, mesmo que seja de uma espécie extinta há aproximadamente 33 mil anos, (segundo eles).  nesse caso o enfoque é sobre um clone misto de neanderthal/humano por que o útero a ser utilizada é de um humano. Entenda porém, que a antropologia não considera os Neanderthais como humanos, pois, acredita que somos descendentes somente dos Cro-Magnons. Sei que é extremamente difícil recriar um DNA completo com base em vestígios deste mesmo DNA conservados em ossos de espécimes que desapareceram há mais de trinta e três mil anos, mas, isto é café pequeno para os computadores existentes nos dias atuais.

6* Mesmo porque, não creio que os Neanderthais tenham sido extintos pelos Cro-Magnons, como nos relatam algumas teorias. Pois, é sabido que os Neanderthais eram tipicamente braquicéfalos e de que os Cro-Magnons eram tipicamente dolicocéfalos. Noutro ensaio eu nomino os Neanderthais de miolos grandes, e os Cro-Magnons de miolos pequenos. Segundo a antropologia o homem moderno é o que restou do homem de Cro-Magnon antigo. Somos, portanto, como dito acima, descendentes do Cro-Magnon.

 7* Sobre a extinção dos Neanderthais existem muitas teorias, inclusive a da extinção destes, pelos Cro-Magnons. Coisa bastante improvável, pois, possuindo um cérebro com 1500 cm³ seria muito difícil serem extintos pelos Cro-Magnons com 1400 cm³ de cérebro. Normalmente os tribais mais inteligentes vencem as guerras, independentemente do número de seus guerreiros.  A história comprova esta assertiva. O natural seria a extinção dos Cro-Magnons pelos Neanderthais, sendo estes mais robustos, embora com estatura menor, mas, melhores caçadores e mais adaptados ao clima da Europa, diz-se que eles chegaram primeiro à Europa, por pelo menos 50 mil anos de antecedência. Talvez os Cro-Magnons tenham contribuído com o desaparecimento dos Neanderthais, até mesmo indiretamente, com a levada de um vírus de uma doença qualquer, a que os Neanderthais não fossem imunes!  Conforme a antropologia o desaparecimento dos Neanderthais se deu num período de dois a três mil anos, e a meu ver pode ter sido também por simples miscigenação, tanto é que a espécie humana atual é dolicocéfala e braquicéfala ao mesmo tempo. A braquicefalia, (cabeças chatas e maiores), dos povos do nordeste brasileiro foi herdada dos holandeses, povo tipicamente braquicéfalo, sendo alguns dos últimos vestígios dos Neanderthais. Ora! Maurício de Nassau ou Johan Maurits van Nassau-Siegen. Quando invadiu o nordeste brasileiro no terceiro quarto do século XVII, sua tropa era na maioria, ou na quase totalidade composta de soldados, (1700) o que provocou o aparecimento de tantas cabeças chatas no nordeste brasileiro. Aquela conversa de tapinhas na cabeça e o “cresce para ir para São Paulo”, é pura piada de paulista. Nessa atualização 08/2018, neste marcador de leitura 7* troquei o nome encéfalo por cérebro, embora se refiram ao mesmo órgão! Existe diferenças sutis.
Deixemos os extintos Neanderthais e nós nordestinos cabeças chatas em paz e de lado.
8* Vamos ao problema do Dr. George Church: Se a imprensa continuar fornecendo este modelo de meu provável avô Neanderthal tão bonito, apresentado acima, dificilmente encontrará uma mulher, (por mais necessitada que esteja de dinheiro), o modelo é de computador, mas vai ser bonito assim lá adiante, qual mulher estará disposta a servir de barriga de aluguel e parir um filho desta belezura! Só há uma maneira fácil e simples de se resolver este problema, é ele, o Dr. Church recorrer à sua própria família, uma parenta dele, próxima ou não, talvez se condoa e resolva este seu tão difícil problema. E o clone poderia ser chamado, (com todo direito), de:  Neanderchurch.
9* Porque não permitem logo de uma vez a tão discutida clonagem de um humano, pois assim, se resolveria o dilema da existência ou não do espírito, se o clone resultar num zumbi, então existe o espírito, pois não se conseguiu ao mesmo tempo, ou conjuntamente clonar o espírito, mas, se o clone resultar num falante racional e inteligente, realmente não existe o espírito, pois não é necessário clonar uma coisa inexistente. Ora! Deixem-no testar... E deixem-me pensar! E como fica a formação da personalidade deste ser que já vai nascer adulto! Esta clonagem serviria como um “tira dúvidas” definitivo desta tão velha querela existente entre a ciência e a religião. Se o clone ja vier com personalidade quem vai se preocupar é Thomas Hobbes, pois, então, como ficaria sua tábula rasa, como digo:  (Limpa, polida, encerada e zerada de conhecimento). Hobbes vai rolar no túmulo!
10* Se você for um bom observador terá notado um grave erro do Daily Mail, no modelo computacional (fotoshop), apresentado acima: Uma espécie que saiu da África sub-saariana! No Quênia, no vale Turkana) portanto, no meridião quente, não cortaria o cabelo do rosto nem da cabeça na Europa, portanto, no setentrião gelado. O artista que montou o modelo pecou feio. (Observe que no queixo e no topo da cabeça o cabelo é rebaixado, não se trata de carequice). Tendo em vista que a paleoantropologia nos diz que, (há 33 mil anos todos os Neanderthais existentes eram europeus. E que talvez alguns grupos tivessem migrado para a Ásia em torno dessa mesma época. Mas, na Europa não eram muito numerosos e ambos os grupos (europeu e asiático), tinham abandonado a mãe África há mais de 170 mil anos.

A meu ver, este clone vai ser o maior zumbi que por este planeta já aportou. 
Edimilson Santos Silva Movér
Vitória da Conquista, 22 de janeiro de 2013
Atualização: 14/08/2018

0 comentários:

Postar um comentário