terça-feira, 7 de maio de 2019



DA SÉRIE: ENSAIOS QUE NOS LEVAM A PENSAR
Subsérie: Analisando as ações de uma mente prodigiosa, que com sua perspicácia salvou um povo da destruição! Esta mente é o centro de minha atenção neste ensaio.

UM BRASILEIRO QUE HONRA A TERRA
 EM QUE NASCEU


INTRODUÇÃO
Me reporto a um feito sobre-humano de um brasileiro! E que ele seja lembrado para sempre como um benfeitor da pátria! O humano a quem dedico estas poucas palavras, será o tema central desse ensaio na forma de um arrazoado, ele é uma pessoa predestinada, graças a sua inteligência, ele nos mostrou ainda em tempo, os efeitos danosos do gramscismo, cabe a nós compreender os malefícios do gramscismo e nos defender deles. Lutando tenazmente contra as ideias, que as mentes dos homens que pensam que pensam, insanamente tentaram impingir à juventude de nossa amada “Terra Brasilis”. Até os adultos que foram vítimas do gramscismo, são como os jovens! Não tendo ainda desenvolvido a capacidade de ler nas entrelinhas. Sabemos, infelizmente, que nem todos os jovens desenvolvem a capacidade de fazer uma correta leitura do mundo.

UM RECONHECIMENTO NECESSÁRIO
1* Este curto ensaio é dedicado a uma pessoa que recebeu de Deus uma missão, e assim, recebeu ao nascer, um espírito de gênio com um caráter especial. Adiante falaremos dele e dessa sua genialidade. A posteridade, isto, o reconhecerá! Sendo este ensaio, como disse, dedicado à mente mais brilhante que apareceu no planeta nos últimos séculos, senão, sem nenhuma formação acadêmica, como venceria de roldão todo o corpo filosófico atual, e de “esquerda” desta Nação! Reconheço que a ideologia e a filosofia socialista não está embasada em argumentos fortes e consistentes, portanto, a tendência natural seria ruir! A maior prova disso nos foi dada com o fracasso desse sistema implantado nos dois maiores países socialista! Na Rússia foi implantado em 1917, sistema que ruiu com o ato 142H promulgado pelo “Soviete Supremo” em 26 de dezembro de 1991. E na China, onde o socialismo foi implantado em 1949 – e logo começou a ruir com a adoção do capitalismo que se deu com a abertura econômica implantada a partir de 1976 com a morte do Timoneiro Mao Tse-Tung, foi a partir desta data que Deng Xiaoping assumiu o poder e promoveu a adoção do sistema capitalista, foi Deng, quem iniciou nesta data as novas e grandes mudanças na terra de Confúcio e de Lao-Tse, o Velho Mestre. Historicamente, na realidade quem começou as primeiras mudanças na China foi o grande estadista Sun Yat-Sem em 1911. A China no futuro será a maior nação capitalista/democrática do planeta! É esperar para ver! A recalcitrância nos pequenos países que tentam implantar o socialismo, países estes, que são tão insignificantes no concerto das Nações que simplesmente, não serão citados aqui! O que ocorre ali, é pura luta pelo poder e por dinheiro, coisas efêmeras! Burrice pura, os expurgos os pegarão adiante! Mentes pequenas, eles se esquecem dos expurgos que advirão inevitavelmente, como os ocorridos na Rússia e na China.

2* Voltemos ao nosso filósofo!  Não o conheço, não concordo com tudo que ele diz e pensa, no entanto, sei que os gênios possuem mentes pluralistas, isto é, eles veem as coisas sob muitos ângulos, daí, advém seus questionamentos sobre alguns desses ângulos! Motivo maior, de serem alguns de seus questionamentos e proposições incompreensíveis para uma mente comum e insignificante como a minha, no entanto, consegui perceber sua infinita capacidade de analisar e perceber de forma irretocável, os efeitos esperados e entrincheirados em ações intencionalmente disfarçadas de “ações outras”, ativadas em nosso país pelos teóricos do gramscismo. E veja! Que ele enxergou isso com antecedência de décadas! Ele superou soberbamente as mentes dos teóricos do socialismo/gramscismo, visto que o resultado não foi o esperado pelos teóricos, foram pegos de surpresa com os resultados danosos “para eles mesmos”. A mente dos gênios questionam sempre! Aqui farei uma análise da mente de três gênios, Albert Einstein, Isaac Newton e nosso personagem! Para que possamos entender a relação e o motivo de seu posicionamento quanto a “fatos”, que para pessoas de ciência, e também por mim, que com o uso do simples senso comum, são tidos como “fatos” sem sentido e discutíveis, como o geocentrismo, o “terraplanismo” e periferia. Não para o isentar de culpa! Mas porque vejo esta sua postura, como sendo um fato comum nos gênios, o de não aceitar ou dar atenção ao que o homem comum, no geral, aceita como um fato comum! Salvo, se ele o fizer para chatear seus desafetos! Há algumas décadas, ao analisar o comportamento estranho de muitos cientistas, entre eles Einstein e Newton, sobre fatos que a maioria das pessoas da área da ciência, (aqui não me reporto aos manadas), tomavam como coisas ou fatos comuns e verdadeiros e, que eles não o faziam!  Descobri que isto, de não aceitar fatos tidos por todos como coisa resolvida, é próprio somente da mente dos gênios, mas, não sábios nem dos homens comuns, adiante farei a distinção existente entre estes dois tipos de seres, (os sábios e os gênios).

3* Nunca as mentes dos sábios ou a dos homens comuns, agem como as mentes dos gênios. Os gênio podem questionar ao infinito, e alguns questionam até a morte o que suas mentes não aceitam completamente! Muitas vezes, fatos que eles mesmos descobrem através de raciocínios ligados a uma “aparentemente conclusão absurda”, chegando os fatos em questão, (não somente os descobertos por eles), a serem motivo da sua não aceitação, fatos estes, que se não forem aceitos completamente por suas mentes como fatos ou coisas possuidoras de uma verdade absoluta, eles não os creditam como “verdades”, e estas “coisas” passam a ser questionadas por suas próprias mentes e isto, por toda sua existência, ou as desprezam, e não lhes dão mais valor algum! Demonstrarei isso, fazendo uma análise desses três gênios conhecidos, um inglês, um alemão e um brasileiro! Nesses três gênios encontrei as mesmas qualidades. Um ainda está vivo, e sei que ele vai questionar meu posicionamento no que diz respeito a ele. Eu, como livre pensador, não dou a mínima atenção ao que ele venha a dizer ou pensar sobre o meu pensar! O problema em questão, adviria do fato dos gênios nascerem diferentes, e absolutamente independentes, vendo e percebendo tudo completamente diferente de como vemos e percebemos o mundo, eles questionam rotineiramente, até a si próprios.

O FOCO NO TEMA DO DISCURSO
4* Observem bem, que em meus ensaios, utilizo à miúde a tergiversação. Isto desvia momentaneamente a atenção do leitor do eixo do tema do ensaio, a mente analítica do leitor o faz buscar e retornar sua atenção com força redobrada à linha do tema do discurso, o que provoca uma maior absorção da essência do tema em apreço, quando ele retorna ao mesmo. Os grandes oradores utilizam desta técnica! Introduzindo pequenas variações na linha do discurso, na forma de críticas jocosas ou de piadas, para afinar a atenção do ouvinte no tema central! Não sei porque, nem como isto funciona! O que sei é que funciona! Quem se recorda dos discursos do Padre Palmeira? Que silenciavam a praça! E nos intercursos o povão e os eleitores explodiam em gargalhadas quando ele fazia observações jocosas. Quando ele voltava ao tema e retomava a linha do discurso, na praça podia-se ouvir uma mosca voando! Utilizo esta mesma “práxis” nos meus ensaios! Fiz isso agora mesmo. Não creio que o “tergiversismo” resolva nada nas relações humanas, o utilizo como um recurso para aumentar e focar a atenção do interlocutor, principalmente quando discorro sobre fatos novos e fora da visão de mundo, o paradigma tradicional.

A ÓRBITA DO PLANETA EM TORNO DO SOL,
A “MQ”, A “NÃO LOCALIDADE” E  O FAMOSO EFEITO “EPR”
5* Vamos analisar o gênio Isaac Newton, em primeiro lugar! Sendo este, um fato conhecido e relatado pela história da “Royal Society”, pois, quando se tratar ou se falar em Newton, nos relembramos da história da aposta feita por Edmund Halley com seus colegas astrônomos, sobre o fato de Newton já conhecer ou não! As leis físicas sob as quais os planetas estavam sujeitos, ao navegar nas suas órbitas em torno do Sol! A surpresa de Halley foi a resposta de Newton! Dizendo que conhecia sim, Newton sendo indagado como conhecia aquele fato! Respondeu a Halley que havia calculado as órbitas dos planetas, e que eram elípticas, e o fez com equações por ele mesmo elaboradas há algum tempo, e de que só não se lembrava onde tinha posto estes cálculos em meio a sua papelada! Sinal inequívoco de que Newton não havia dado muita importância a sua descoberta nem a seus cálculos! (Cálculo diferencial e integral). Alguma coisa no resultado dos cálculos desagradaram a Newton, sua mente inquiridora não havia ficado satisfeita com a resolução do problema, que depois se confirmou acertada, universalizando-se. À genialidade de Albert Einstein aqui analisamos em segundo lugar: É do conhecimento de todos a aversão que Einstein sentia e nutria pelos conceitos e princípios da nascente física quântica. Embora toda sua física relativista, fosse determinista nos dois casos, elas estavam fundamentadas nos preceitos derivados das equações de Maxwell, nos experimentos de Planck, nos de Michelson-Morley verificando a constância da velocidade da luz “c” no espaço, isto, em 1887, e noutros pilares da física, muito anteriores, como Galileo e Newton. A discordância sobre a física quântica, levou Einstein e mais dois físicos, Boris Podolsky e Nathan Rosen a montarem um experimento mental em que propuseram o efeito hoje conhecido como paradoxo EPR. E isto o fizeram para desacreditar a física quântica, que defendia o conceito quântico de “não localidade”, este conceito de “não localidade” discordava da física de 1905 a relativista especial, em que era proposto a constância da velocidade “c” no vácuo, claro que eles levaram em conta, e conheciam o princípio da “não localidade”, pilar atual! Da própria física quântica, e já proposto na época e demonstrado na teoria de campos, utilizando uma lagrangiana não local, então, é claro que havia algo de obscuro e não concordante entre as duas físicas! Que levava Einstein a não aceitar algo que a maioria dos físicos quânticos, principalmente o grupo de Copenhague, que a aceitava e defendia a inteireza da MQ! Os cérebros dos gênios independentemente de seu “querer”! São independentemente independentes! As mentes de Einstein, Poldosky e Rosem não aceitavam a “não localidade”, como uma coisa real, mesmo que naquela data, fosse somente no âmbito da física quântica! Permitido efeitos instantâneos nos experimentos, independendo de tempo e distâncias, os mesmo que agora são encetados dentro do campo do macro universo.

O QUESTIONAMENTO DA TERRA PLANA, O TEMPO E O GPS
6* Os gênios questionam sempre, até um completo entendimento do fato questionado. Vamos analisar a genialidade do brasileiro Olavo de Carvalho em terceiro lugar! Dessa sua genialidade advém seus questionamentos sobre o “terraplanismo, o heliocentrismo e periferia. Quando em 1996 ou 97 eu estava elaborando um programa para transformar coordenadas UTM em coordenadas geodésicas e vice versa, encontrei os parâmetros que me fornecia a verdade matemática sobre a forma da Terra, que não era a forma esférica, mas, sim a elipsóidica, onde se utilizava para efeito de cálculo do eixo z, a geometria de um geoide. Quando analisa-se a ideia de Hayford nos sistemas geodésicos, principalmente no de 1924 percebe-se que as equações só funcionam bem na geometria do planeta, se este objeto possuísse uma forma elipsóidica, que é a sua melhor aproximação com a realidade da forma “esbojada” no equador provocada pelo achatamento dos polos, forma natural em qualquer corpo celeste com seu interior não sólido e em rotação! Sendo que a descrição matemática deste objeto conteria vários eixos, e não somente um eixo, como no caso do objeto esférico, nesse caso, seus eixos não podem ser referidos ao centro da massa do objeto, e sim à vertical do lugar, com referência ao eixo de rotação do objeto, no caso, um objeto elipsóidico. Já, numa acurada análise no movimento dos planetas no nosso sistema, quando se posiciona o Sol no centro deste sistema! Nas equações utilizadas, isto torna-se patente!  Vemos a esfericidade aproximada da massa da Terra! Quando na determinação da latitude e longitude num ponto por GPS, isto também fica patente! Nota-se ser a determinação de uma absoluta precisão, chegando à casa dos milímetros quando (como disse), se determina um ponto coordenado qualquer sobre a superfície do globo terrestre, isso exige que o objeto seja de forma pelo menos aproximadamente esférica! Pois, quando for determinado um ponto coordenado através de um (sistema de posicionamento global) esférico. Observamos que! O sistema GPS, requer que se leve em conta as leis da relatividade geral de Einstein nos cálculos, sob pena de se cometer erros de quilômetros nesses procedimentos feitos pelos sistemas geo-posicionais de todos os tipos e de todas as Nações. GPS, GNSS, GALILEO, GLONASS e todos os outros. Isto nos foi chamado a atenção por William Hawking! Pois quando utilizamos os fluxogramas de cálculo, nas correções para conseguir uma absoluta acurácia final, só é possível com a introdução dos parâmetros relativísticos de Einstein, senão, simplesmente tornam-se imprestáveis, devido a forma do planeta ser elipsóidica, quase esférica, e as órbitas do sistema de satélites serem ligeiramente elípticas, e de que os satélites possuírem alturas e velocidades diferentes, e por possuírem ângulos orbitais diferentes com relação ao eixo de rotação do planeta, e o principal! A superfície do planeta possuindo velocidades diferentes em suas diversas latitudes, e etc., onde os receptores chamados de GPS, ao serem utilizados e posicionados de forma estática ou cinemática, e que mesmo assim, com estes dois modelos de uso, geram dados com absoluta precisão. Então! Sem um planeta de forma aproximadamente esférica, embora elipsóidica, adeus posicionamento global! “Devo ser mente comum mesmo”! Então! Sem a relatividade de Einstein, adeus acurácia no sistema de posicionamento geodésico, que considera a superfície do planeta como sendo uma forma elipsóidica, com raios menores na direção dos polos e maiores na direção do equador da esfera geoidal, com seus raios referidos ao eixo de rotação e não ao centro da massa do geoide. Eu possuo um primo arquiteto e ele uma filha advogada, onde na casa dos mesmos é proibido falar em terra esférica! Eu, na minha infinita burrice não entendi o questionamento sobre o tempo e o espaço absoluto, feito pelo Olavo de Carvalho, estas entidades (tempo e espaço), segundo ele, teriam que ser completamente vazias, se entidades absolutas. Considerando a existência das esferas com sete dimensões no micro espaço de Calabi-Yau na escala de 10-33 cm, onde um espaço vazio seria uma inconsistência matemática, não havendo espaço vazio no cosmos. Não existindo uma entidade que se possa chamar de espaço vazio ou algo como o antigo “éter” de Galileo e de Newton! Então, o melhor conceito de espaço que a ciência e a filosofia possam fazer dessa entidade misteriosa chamada “espaço”, torna-se inconsistente, isto, se o conceito for de espaço vazio! Já o conceito de tempo, inevitavelmente seria fundamentado no movimento das partículas ou bárions que formam toda a matéria, matéria esta, que delimita o espaço conhecido, e portanto, delimita o “tudo” ou o cosmos. Cosmos este, formado a grosso modo, por quatro por cento de matéria bariônica, vinte e três por cento de matéria escura, e setenta e três por cento de energia escura. Vale lembrar que os quatro por cento do que chamamos de matéria em sua essência quântica, ela seja na verdade algo imaterial. Vamos fazer mais umas divagaçõezinhas sobre o tempo!

AINDA OS ASSUNTOS TEMPORAIS
7* Segundo meu rude entendimento, nem Friedmann, nem seu amigo o padre Georges Lemaître, ou Hubble e George Gamow juntos, se deram conta, de que a teoria do Big-Bang inviabilizaria a existência de um universo temporal como o nosso! Portanto, com a possibilidade de ser contínuo e eterno, embora cíclico. Pois, uma singularidade no início de um universo em formação, condiciona à inexistência do tempo nesse início de universo, fase que chamam de singularidade, por falta absoluta de matéria e de espaço para permitir o movimento que seria, e é, a única fonte e origem do “ente” que nós chamamos de tempo, movimento este, que também é a única causa da permanência e constância na existência do universo material conhecido. Sem o movimento este universo não tomaria conhecimento de si próprio, na forma de um “homem/universo”. A proposição ou máxima que segue não é minha! Mas, ela contém uma lógica infinitamente universal! “O homem é o universo tomando conhecimento de si próprio”. Na ausência do “movimento”, mesmo existindo a entidade “tempo”, nem mesmo nossos instrumentos mais sensíveis detectariam este tempo. Ora! Segundo o que os próprios teóricos do Big-Bang preconizam! As primeiras partículas surgiram 380 mil anos depois do Big-Bang, na primeira renormalização, só não nos explicaram quando se deu a normalização, “existe um vácuo nisso”! E todos se calam, pois, no vácuo o som da fala dos cientistas da NASA, não se propaga. A física nos diz, que o espaço e o tempo serão sempre entidades coexistentes, portanto, interdependentes, não sendo passível de existir um sem o outro, principalmente em nossa concepção. Disso, nisso, e por isso, é que vejo e preconizo que o tempo seja filho do movimento das massas! Os dois sempre estarão presentes em nossas elucubrações, em nossas percepções eles estarão indissoluvelmente associados, o tempo e o espaço. Isto foi percebido pela genialidade de Einstein! Tente conceber o tempo sem uma relação com o movimento! Verás que isso torna-se impossível! Isto, em qualquer escala de tempo ou de espaço. Um, o “espaço”, só existe exatamente por ser algo existente entre as massas, senão não haveria espaço, o melhor conceito filosófico de espaço é exatamente ser algo contido entre algumas coisas. E para chatear os pensadores! Em qualquer escala de tempo ou de espaço. O outro, o “tempo” só existe exatamente devido ao movimento desses “algos” que contém o espaço de permeio, “algos” estes, chamados de massas, formadas por matéria, ou como dizem os físicos quânticos, por bárions! Eles existem numa densidade extrema nos buracos negros! Que continuam possuindo massa, pelo menos massa gravitacional, denunciada pelo potencial gravitacional dos “black holes”. Devo ter mesmo, “muito pouco” neurônio! Ou as sinapses, os dendritos e os axônios estão todos cansados ou emperrados pelo pouco uso! Salvo se o problema advir de minhas 900 bilhões de células gliais, e elas estiverem fazendo greve, e queimando pneus por aí a fora! Tá na moda! Quem sabe! Não consigo imaginar a existência do tempo num universo estático. E novamente para chatear os pensadores! Isto, em qualquer escala de espaço ou de tempo! E como ficamos nesse imbróglio?

ASSUNTOS FILOSÓFICOS
     8* Vamos ao assunto filosofia! Ouvi dele, do Olavo de Carvalho, num vídeo, uma explicação sobre o problema da filosofia ensinada nas universidades brasileiras! Como eu não sou, e nunca disse que seja, ou que algum dia tivesse sido mesmo que por engano, um filósofo, sendo, somente um “nada sei” e vulgar aprendiz de ensaísta! Percebi que ele é um predestinado que está sendo desde jovem cuidado e escolhido por Deus! E não me venha com xingamentos, como o Assis Chateaubriand fazia com seus amigos, e fez com Carlos Lacerda! O Olavo de Carvalho conseguiu se salvar da burrice do academicismo filosófico brasileiro. Vamos ao fato de que; no Instituto de neurociência na “The University of Southern California”, onde o Dr. António Damásio dirige uma inteligente equipe de cientista, este mestre do saber, o Dr. António Damásio, no O Livro da Consciência - 2010, nos diz que a ciência, hoje conhecida como neurociência, no momento atual, ainda desconhece como os humanos pensam, ou o que seja nossa enteléquia, esta ciência ainda não descobriu por quais caminhos pensamos! E nem mesmo o que seja nosso “pensamento”, ou o que seja nossa essência! Qualquer pessoa com um mínimo de bom senso, e que não seja um “manada”, percebe que os humanos que em torno de 30 mil anos atrás pintaram em Altamira, Lascaux e Chauvet já pensavam, e muito! Não venham me dizer que os homens aprenderam a pensar com os pré-socráticos! Desde 300 mil anos que os “Sapiens” já nascem pensando! Em qualquer etnia do planeta, os bebês já nascem pensantes, uns mais, outros menos, mas, todos nascem pensantes. Nenhum genitor necessita ensinar um bebê a pensar e a falar, ele já nasce pensante e aprende a falar ouvindo, e o faz por conta própria e com proficiência. Então seria um despropósito existir uma escola para ensinar um humano a pensar, sendo pura perda de tempo e burrice frequentar aulas que se propõem a ensinar a pensar, a “filosofar”!  (Salvo se o aluno, e somente o aluno, tiver o propósito de conseguir um canudo e através dele um emprego, e com este, um meio de vida). Coisa comum hoje em dia. Como se o ato de praticar filosofia, ou o que se chama hoje de filosofia, não estivesse ligado ao processo do exercício do “pensamento”, ou de praticar o ato de pensar! Bastaria seguir as arengas ou normas filosóficas ensinadas nas faculdades de filosofia para se tornar um grande filósofo! Se se ensinar ser filósofo fosse possível! todos os professores de filosofia seriam uns Sócrates, uns Kants, uns Hegels, uns Olavos, uns Nietzsches da vida! Pois eles, os professores são filhos dessas faculdades! (Menos o Olavo). E tal não se dá! Tal não ocorre porque seria como tentar ensinar geometria a um asno, um “equus africanus asinus”, seria pura perda de tempo, porque o asno não pensa! A dificuldade para interpretar textos por “alguns” “manadas”, portanto, somente por “alguns”, que fazem o “Enem” advém do fato da “incapacidade” de compreender, juntar, articular os simples e singelos raciocínios contidos nas provas! Interpretar um raciocínio contidos num simples texto de uma prova qualquer, seja ela do Enem ou não! Isto, lhes seja de grande dificuldade. Isto seria a muriçoca nas orelhas de alguns da rapaziada do “Enem”. Embora alguns que fazem o “Enem” não sejam capazes de raciocinar, A grande maioria o faz com competência e facilidade, não havendo limitações em seus raciocínios. O que torna a pequena parcela impossibilitada de praticar o ato do raciocinar, é algo inato. Infelizmente é assim! Eu não tenho explicação para isso, é coisa referente a evolução biológica dos “sapiens”. O que os filósofos fazem nada mais seria que utilizar todo o seu potencial de elaborar e compreender raciocínios complexos, potencial que a maioria dos humanos não possuem!  Se todos possuíssem, isto lhes proveria o poder de tecer raciocínios elaborados, “a priori e necessários”, como dizia Kant, esta compreensão dos raciocínios são comuns aos filósofos. Então se todos possuíssem esta compreensão, todos seriam filósofos! Nesse caso, o “Enem” nem seria necessário! Aqui não me refiro a manada, essa na verdade, não sabe pensar de jeito nenhum. Existem e existiram muitos filósofos que são e foram professores de filosofia, no passado e ainda hoje. Na verdade hoje no planeta somente alguns poucos professores são filósofos, mas, são filósofos porque já nasceram gênios e sábios. É impossível ensinar um ser humano a ser gênio ou a ser sábio! A diferença entre sábio e gênio é existente e indiscutível! E eu os diferencio! Podem questionar a vontade! Só um tolo não a percebe! Observem que a sabedoria é irmã gêmea da humildade. O sábio possui o poder de analisar os diversos “acontecimentos da existência humana”, e deles, somente deles, conforme a “necessidade”, tirar proveito e extrair conclusões acertadas. O gênio diferentemente dos sábios, somente utilizando o raciocínio, criam estas conclusões acertadas que afetam a existência humana em forma de benefícios como a penicilina, ou de malefícios como o projeto manhattan de 1945, isto o fazem independentemente da existência da “necessidade”, suas ações não são referentes ou ligadas a “acontecimentos da existência humana”. Observem com atenção que todos os gênios, por natureza são prepotentes, teimosos, e de que a humildade nem passa por perto deles. Novamente observem Galileo, confiante na sua amizade com o Papa. Einstein, com sua teimosia contra a física quântica, teimosia que durou até sua morte. E o Newton, com sua prepotência quando ocupou a direção da Casa da Moeda. Os sábios analisam e deduzem coisas e razões sobre os fatos, mas, não os criam, os gênios diferentemente, criam os fatos e ainda os analisam, deduzindo tudo pertinente a estes fatos! É isto que consigo enxergar no Olavo de Carvalho. Olhe o Chateau!!!...

O SUCESSO DA FILOSOFIA ATRAVÉS DO ENGODO
9* Voltemos ao ensino da filosofia. Na maioria dos casos, os professores de filosofia, passam a vida tentando ensinar filosofia a uma miríade de alunos, descobrindo e analisando fatos e coisas, na área do concreto e do abstrato, “phaenomena” e do “nooumena”, mas, disso não passam! Na realidade, no ensino da filosofia, isto, em todo o planeta, nenhum aluno se torna um filósofo notável, somente pelo que absorveu no curso, senão seria uma fábrica de filósofos sem fim, aí, a humanidade ia inescapavelmente morrer afogada em filosofia! E tal não ocorre! Pode até acontecer que apareça um “meia boca”, isto, porque já entrou na faculdade “meia boca”, e mesmo se algum aluno sair dali como um grande filósofo, este aluno já entrou na faculdade sábio ou gênio! A pessoa a quem dedico este humilde ensaio, já nasceu um gênio, um lógico natural! Claro que ele conhece o Sanders Peirce, mesmo que somente por curiosidade. Os signos acompanham os “sapiens” desde que começaram a pensar! Pois, ele não fica devendo nada ao Peirce! Este Senhor a quem dedico estes estudos, é um sábio e um gênio ao mesmo tempo, fato raríssimo! Isto, ele o tem demonstrado o tempo todo! São décadas e mais décadas de lutas filosóficas! Somente imanentemente e instintivamente atinge-se estas duas essências do existir! Esta sabedoria e genialidade lhes é inata. Reconheço que ele possui a mente mais privilegiada que já apareceu no Brasil desde sua descoberta, digo descoberta do Brasil, senão a manada vai pensar que é a descoberta da pessoa em apreço. Apoio sua maneira de se expressar, dura, pura, sem rodeios, sem travas, sincera e verdadeira. Deixe os puristas relincharem no infinito pessoal mesmo!! É impossível manter um entendimento razoável com uma chusma de asnos cantando árias e canções? Tem-se que zurrar e ser no grito mesmo, se for da classe manada, só o palavrão resolve. Esta mente privilegiada a que me reporto e que me merece todo respeito, pertence ao filósofo brasileiro Olavo de Carvalho. Independentemente do que ele venha a pensar ou dizer sobre minha pessoa no futuro, e talvez, nunca ouça falar dessa minha humilde pessoa. Eu me considero um titica diante dele! Mas, no entanto, consigo enxergar seu potencial de análise, e sobretudo compreendê-lo! Ele está certo! Os purista da língua que se piquem pra merda, nisso, ele aí é que continua estando certo. A filosofia no Brasil! virou uma frenética “corrida do ouro”, isto, porque todos aqueles que correm atrás de fama e dinheiro, jamais serão pensadores que se possa chamar de “filósofos”. Confirmando o raciocínio em epígrafe, e explanado acima! Quanto mais o pretenso filósofo vende livros, mais ele fica famoso e conhecido, indo para o primeiro lugar nas listas de mais vendidos, virou moda ser filósofo de sucesso em venda de livros! Pois assim, mais ele é convidado para fazer palestras, cobrar mais caro, e ganhar mais dinheiro e dizer bobagens, repetindo os raciocínios dos filósofos de “verdade”. Humm! Perante a manada fica mais famoso ainda! Quando, a única coisa que aprendeu na escola de filosofia, foi repetir modos e procederes do filosofar, estabelecidos pelas normas e grades das faculdades de filosofia cópias dos raciocínios e procederes mentais dos filósofos, e isto as faculdades de filosofia o faz para facilitar a vida dos professores, pois, nem todos são proficientes, então, eles nunca conseguirão ensinar filosofia a um aluno. Pois, como disse, é impossível ensinar um humano a pensar! Resulta disso,  que o aluno não possuidor do dom de pensar torna-se um arremedo de filósofo, torna-se um pretencioso, um copista, ele pode até enganar um tolo, mas, não engana um filósofo como o Olavo de Carvalho! Existe uma crise, uma falta de filósofos de “verdade” para analisar as obras dos filósofos de “faz de conta”! Isto faz com que se dispense o “saber” filosofar para que assim, se possa receber o título de filósofo, na forma de um canudo. O ato de cumprir uma grade de filosofia de uma faculdade, com oito ou dez semestres não transforma ninguém num filósofo. Este tipo de filósofo, não atinge a essência da filosofia, só atingindo o sucesso através do engodo do “marketing”, aí, vão me questionar! O que seria a essência da filosofia? Só posso responder que é um “Dom”. Sendo esta pergunta, do mesmo quilate da pergunta! O que é um gênio? A genialidade é algo indescritível e incompreensível! Não existe resposta. Eu nunca entendi como é possível ensinar a pensar, assim, os alunos são enganados e terminam desconhecendo as qualidades de um bom filosofar. (Só para chateá-los), pois, todo filosofar já é intrinsecamente bom! Os filósofos “meia boca” terminam tendo seu prestígio medido pelo número de exemplares de livros vendidos! Não vejo como possa coexistir na mesma pessoa a vetusta sabedoria e a sorrateira ganância! O único filósofo existente no Brasil no momento, é o Olavo de Carvalho, ele cita uns dois ou três outros bons filósofos existentes no Brasil, todos da velha guarda, sem sombra de dúvida existe sim, deve existir mais alguns que ele desconhece. Porém, o melhor deles é ele mesmo, este senhor está com toda razão ao questionar os que tentam usurpar os postos que deveriam estar sendo ocupados pelos verdadeiros filósofos, e não por arremedos de filósofos. Eu sou mais incisivo! A burrice se perde dentro dos meandros da burrice! Interessante! É que todos se elogiam mutuamente! Nesses meandros, todos vivem bajulando uns aos outros, vivendo todos num mundo do “faz de conta”. Os próprios filósofos nos mostraram e ensinaram desde muito tempo, que a filosofia na sua essência seja o amor pela sabedoria, só que os filólogos quando descreveram a palavra filosofia se esqueceram de acrescentar! A sabedoria é inata nalguns seres, aqui e agora, me refiro a etimologia da palavra filosofia, não à sua essência. Vemos que o que ocorre na prática, é que o filósofo que está nos primeiros lugares nas paradas de sucesso, nas listas de “mais vendidos”, é sempre o mais prestigiado, e natural que ele seja considerado como o melhor filósofo, quando na realidade, ele possui mais amor ao sucesso e ao dinheiro que amor a sabedoria! O que me obriga e me faz relembrar dos dizeres de Ecles. 1:2, Vaidade de vaidades, diz o pregador, vaidade de vaidades! Tudo é vaidade.

A CORAGEM DO PENSADOR
 10* Julgo que seria uma injustiça inominável, deixar que toda a responsabilidade de descobrir sobre o que ocorre e o que ocorreu no Brasil, no ensino e principalmente nas universidades, quanto a difusão do gramscismo, e que recaísse somente sobre os ombros de Olavo de Carvalho. Felizmente, ele chegou a tempo. Sem sombra de dúvidas, o Olavo de Carvalho é um gênio, e um homem de coragem, ele sabe como ninguém, “esculhambar” os pensadores que se dizem filósofos, mas, são uns embusteiros e, “mandá-los para a merda”, denunciando suas falcatruas filosóficas, retirando-lhes a máscara, e pondo-os em seus devidos lugares. Que são as ágoras do inferno! Inferno de verdade mesmo! Não me refiro ao de Dante! Que eles façam lá seus discursos e suas pregações, que os belzebus os ouvirão! Pessoas que tentam destruir a juventude de uma Nação! Não agem como humanos! Existem outros pensadores inteligentes, e que devem se pronunciar a respeito. Se me criticarem como filósofo, seria pura perda de tempo e burrice, já estou cansado de dizer que não sou um filósofo, e tão somente um aprendiz de ensaísta. Não adianta me criticar como filósofo, isto não me atinge! Me criticando como burro me enaltecem! Que fazer! A razão e a lógica se igualam numa só coisa, e que, se nos apresentam como uma única coisa tornando-se dicotômica, esta dicotomia da razão e da lógica se nos apresenta como a “verdade”, sendo irmãs gêmeas, elas sempre prevalecerão no mundo das ideias. Fiquei fã desse senhor brasileiro de memória prodigiosa, e de raciocínios precisos, lógicos e elaborados. Pode parecer puxa-saquismo! Mas, não é! Detesto puxa-saquismo! É puro reconhecimento mesmo. Olhe o Chateau! A verdade ainda vai aparecer, porque ele, a despeito de ser um homem de coragem e grande brasileiro, e ter enfrentado a camarilha sozinho e por conta própria! Merece o apoio das pessoas que perceberam o mal que o gramscismo poderia fazer e ainda vai fazer, a nossa sociedade, principalmente à nossa juventude. Não nos sentemos nem nos acomodemos adormecidos com os louros da vitória na testa! Continuemos alertas!

O RECONHECIMENTO
11* Os que foram salvos do caos e da burrice deveriam reconhecer o valor de sua luta e agradecer de joelhos ao brasileiro, chamado de Olavo de Carvalho. Somente a história reconhecerá seu inestimável valor e sua aprimorada “genialidade, sabedoria e perseverança” e, sobretudo sua coragem, pois, suas atitudes resultaram de um inenarrável e indiscutível valor para que a sociedade brasileira ainda pensante, conseguisse se salvar do caos. Graças a Deus ainda houve tempo para que ele pudesse “ainda em tempo”, acender as mentes apagadas pelo tempo. Nunca o vi, o conheço nos vídeos, nos artigos e através de seus livros, me interessei por sua filosofia, quando numa conversa com alguns amigos que naquela época se consideravam teóricos do marxismo, isto, há algum tempo atrás, quando o Olavo de Carvalho era somente um jornalista, creio que “free lancer”, percebi que ele era tratado com ódio! Aquilo me despertou a atenção, e procurei conhecer melhor suas ideias, me surpreendi! Passei a ficar atento a sua esmerada sabedoria e às filigranas de seus raciocínios. Entendi, que ele na surdina estava plantando suas ideias, diferentes e novas para muitos e para mim também, consegui entendê-lo com facilidade, vi que ele possuía uma mente aguçada, privilegiada e especial. Só os tolos e os néscios não perceberam isso! Sendo imenso o número de seus artigos nos jornais, onde ele criticava o socialismo abertamente, e não era combatido, só tempos depois tomei conhecimento através dele mesmo, que o “apagavam” na imprensa, propositadamente, não dando atenção a sua atuação! Isto, para que sua luz não acendesse as mentes adormecidas da direita.  Duas coisas salvaram o Brasil, o efeito reverso e não esperado quando se põe o gramscismo em prática, e o Olavo de Carvalho com sua luta incansável contra a burrice da esquerda que praticava a maldade do gramscismo contra o povo brasileiro, principalmente contra sua indefesa juventude. Ele, o Olavo de Carvalho foi o acendedor de mentes! Só quem batalhou inteligentemente e sem tréguas contra a burrice do gramscismo foi o Olavo de Carvalho. Para este senhor, eu tiro o chapéu! Nem o Gramsci, nem os teóricos do gramscismo contavam com isso, com o efeito reverso, e com o instinto de propriedade dos humanos! E vejam que a esquerda sempre foi vítima desse instinto de propriedade, desde suas primeiras revoluções, de fevereiro e de outubro de 1917. O saque desenfreado ao erário é histórico! A história nos diz que Lenin morreu em 1823 e que Stalin subiu ao poder em 1927, e comandou os expurgos de 1937 e 38 de forma violenta, havendo outros expurgos intermediários, e após o de 38 logo se seguiram outros, todas as revoluções socialistas/comunistas no planeta foram marcadas pelos expurgos, suas histórias nos dizem isso! O instinto de propriedade é como uma araldite, não larga os humanos. Os teóricos da esquerda brasileira vão passar o resto de suas vidas remoendo suas ideias a respeito dos efeitos reversos e inesperados do gramscismo. A única pessoa que percebeu a essência do que iria acontecer e aconteceu! Foi o Olavo de Carvalho, eu humildemente peço ao mesmo! Deixe as luzes apagadas, como sempre estiveram! Assim, eles continuarão eternamente nas trevas sem perceber tais sutilezas, pois, vivendo nas trevas, e nas trevas estarão sempre impedidos de entendê-las, e eternamente fadados ao fracasso nessas práticas. Se as propostas que aqui forem apresentadas, para a mudança da sociedade, um dia forem reconhecidas e implementadas como “coisas” inteligentes e exequíveis, se forem levadas a sério e aplicadas, debitem todo seu sucesso ao Olavo de Carvalho, pois me inspirei na sua ação, do (“um contra todos”). Ele é esfuziantemente simpático como filósofo! Seus escritos serão analisados por séculos, como os dos gregos o são!  Os seus adversários devem morrer de inveja de sua inteligência, sem nada poderem fazer! Sua lógica é imbatível, pois se fundamenta na verdade, arma maior dos seres humanos, e principal arma dos filósofos. Cabra da peste! Este Olavo de Carvalho. Meu muito obrigado, acompanhado de meus eternos, imorredouros e sinceros respeitos. Observem que estas palavras a que chamei (UM BRASILEIRO QUE HONRA A PÁTRIA), sobre o Olavo de Carvalho é parte do preâmbulo ao ensaio sobre a sociedade “sempro”.

12* Como disse antes! Os brasileiros que “pensam” devem lutar tenazmente contra as ideias malucas que tentaram impingir à nossa amada “terra brasilis”, “com o gramscismo”. O exemplo da Venezuela bate em nossa cara! O que fizeram com a Venezuela e tentaram fazer com o Brasil é de uma insensatez sem limites! E não pensem que sou de direita! Direita essa, que não passa de outra porcaria de insensatez! O que proponho no ensaio intitulado por mim de CARTAS DE VITÓRIA DA CONQUISTA (I). É o abandono pela nova sociedade que proponho criar, e que nomino de “sociedade sempro”, destes “ismos” que vem através dos últimos tempos deteriorando com o entendimento entre os homens! O que levará inevitavelmente a sociedade humana ao caos. Fora os outros caos previstos! No ensaio CARTAS DE VITÓRIA DA CONQUISTA (I), proponho o abandono paulatino do capitalismo, abandono dos governos democráticos elitistas, abandono do comunismo, abandono do socialismo, e dos governos das ditaduras (ditas proletárias). Para isto teremos que mudar a sociedade para uma sociedade “sempro”. 

13* A verdade é que no planeta Terra, nesse início de século XXI habita uma sociedade de malucos, são mais de 7,7 bilhões de enchedores de latrinas, morando em mais de duzentos países em guerra comercial permanente, alguns em guerras bélicas! Todos destruindo o meio ambiente amalucadamente! Nunca consegui entender para que serve um planeta sem um meio ambiente! Para aumentar a intranquilidade dos poucos homens de visão!  Estes habitantes malucos mantém armazenado em seus covis, e prontas para uso, mais de 17.000 (dezessete mil), bombas atômicas, e todos estes malucos, principalmente os manadas, vivem tranquilamente em festas, carnavais, shows, campos de esporte, se divertindo à larga! Tenho ou não tenho razão, para chamá-los de malucos?

Nota de rodapé:
14* Vou repetir! Tanto, que estou escrevendo há algum tempo, há coisa de uns seis meses, a proposta referida no marcador de leitura 12* para mudar a sociedade planetária! Para uma nova sociedade a que chamei de sociedade “sempro”, quando estiver pronta a proposta, remeto para o Olavo de Carvalho para ele opinar, e se for de sua vontade, corrigir alguns conceitos! Sei que esta proposta cujo fito é mudar completamente uma manada, uma empreitada de fôlego, mas, não impossível! A coisa tem se mostrado até bem mais simples e mais fácil, do que no início me aparentava.

Respeitosamente e atenciosamente

Edimilson Santos Silva Movér
Vitória da Conquista, Bahia,
17/04/2019
77-99197 9768
Revisado e atualizado em 07/05/2019 – 13,22hs

sábado, 16 de março de 2019

PORQUÊ OS HOMENS ABANDONARAM AS CAVERNAS? - ENSAIO





DA SÉRIE: ENSAIOS QUE NOS LEVAM A PENSAR
Subsérie: Contos de ficção! Assuntos em pauta: Cavernas, Antropoespeleologia, Espeleopoesia, Odores do Passado, Pinturas Rupestres, A Grande Síntese, Memória Akásica e a Evolução dos Espíritos, Um Vislumbre do Que Somos.

PORQUÊ OS HOMENS ABANDONARAM AS CAVERNAS?
O intelecto do homem comum, não se ampliará tão cedo!
Enquanto ele não abandonar a caverna da burrice!
(1). Pobres vadios, vaidosos e idiotas!

DEDUÇÕES LÓGICAS
1* Aqui, refiro-me às cavernas da Europa! Pois em cada parte do mundo! Na África, Europa, Ásia e Oceania e no Colar de Ilhas! Os homens num certo período utilizaram as cavernas como abrigo e como ateliês de pintura! Naturalmente todos estes povos possuem uma história pregressa diferente! Pois, diferentes são as culturas e os costumes de cada povo! Não importa, se povos antigos ou modernos! Suas culturas sempre serão diferentes. Este é um sucinto ensaio na forma de um conto de ficção! Ou elucubrações de uma mente criativa e itinerante! Quando uma história se perde no meio da existência dos homens! É obrigação das mentes férteis, encontrar esta história! De preferência nos papeis perdidos nos fundos das gavetas das evidências fósseis antropológicas, utilizando sempre a lógica e a razão, por serem estas as únicas companheiras e irmãs inseparáveis da verdade! Não existirá verdade, onde não encontrardes a razão e a lógica!

2*Há uns 30 trinta mil anos atrás. Pequenos grupos de humanos que utilizavam as cavernas, as abandonaram repentinamente, e completamente! Eles as utilizavam conforme a região! Se a região fosse pobre de caça, elas eram utilizadas como abrigos temporários, se ao contrário a região fosse rica e abundante de caça! Eram utilizadas como abrigos semipermanentes, mas, nunca permanentes, pois, na época a humanidade ainda era formada por pequenos grupos de caçadores/coletores, tendo que migrar constantemente, sempre, em busca de novos campos de caça quando essa escasseava, então partiam para novas regiões onde pudessem coletar alimentos. Pois era impossível viver exclusivamente da caça devido a dificuldade de se caçar em certos períodos. Estes grupos humanos ao aumentarem muito em número de indivíduos! Nos locais ricos de caça, seria natural que continuassem morando nas mesmas cavernas por longos períodos, o que ocasionaria grande poluição por excesso de excrementos depositados nas cavernas habitadas por nossos avoengos. Principalmente nas regiões onde ocorriam longos períodos de chuvas torrenciais. Que dificultava a saída para atender suas necessidades fisiológicas primárias. Sendo de se esperar que nessas cavernas, poluídas por dejetos, se desenvolvessem diversas cepas de bactérias extremamente nocivas ao organismo humano, ocasionando o abandono das quentes, protetoras, mas, fedorentas cavernas! O efeito disso foi tão devastador para os diversos grupos humanos, sem uma explicação para as doenças epidêmicas, principalmente as de pele! As mães vendo morrer seus filhos, sem os poder salvar! Ao longo do tempo criaram instintivamente em defesa da prole, várias lendas, considerando malditas as moradas nas benditas cavernas. Digo benditas! Sob a ótica, e fato dos homens terem abandonado as cavernas na época, com suas pinturas intactas, a história dos povos! Só tem a agradecer! Pois, assim ficaram preservadas as magnificas pinturas rupestres de nossos avoengos!

A CAVERNA DA PRATINHA EM SEABRA
3* As deduções a seguir foram feitas quando me questionei no ano 2000 sobre o porquê, dos homens pintores terem abandonado as cavernas para sempre! Como sempre sonhei com cavernas, minha profissão e a curiosidade provocada por meus sonhos! Sempre me levaram às proximidades e ao interior das cavernas. De certa feita, no fim da década de 1960! Numa aventura aurífera, nos preparamos, eu e tio Bilu, para entrarmos na caverna da Pratinha, em Seabra, só nos preparativos gastamos semanas, neles incluía: A confecção de uma balsa feita com uma câmara de ar bem cheia, de um trator 85, e muita corda, remos de madeira feitos por tio Bilu, rolos de cordões, alimentos enlatados, água em garrafas, lanternas, baterias de reserva, estojo de emergência, ferramentas, armas, pois, íamos entrar no desconhecido! E íamos entrar, navegando o rio da Pratinha, que emerge dessa caverna, ela é muito conhecida na Bahia, o Dimas e o Elomar nos impediu de entrar! Foi uma pena! Mais por cuidado com o seu pai e comigo, que por outra coisa! Ocasionando o fim da aventura! Teria sido memorável!

A POESIA DA CAVERNA
4* As cavernas sempre estiveram presentes em meus sonhos! Nunca consegui entender por que esta obsessão por cavernas. Creio que em tempos passados eu já tenha sido um cavernícola empedernido, estalagmites e estalactites sempre me foram muito familiares. Criei até uma forma mnemônica bem simples para diferença-las, “tites” de tetos, e “mites” de montes, as estalagmites quando novas se parecem com pequenos montes nos pisos das cavernas. Em torno de 1999 ou 2000, quando morava em Itacaré mantive uma conversa com um indiano, conversa esta, em que tratamos dos sonhos e das regressões, ele me fez ver que alguns sonhos se referem a coisas sem uma aparente lógica, e fora de nossa compreensão! Estes nunca são recorrentes, diferentemente dos meus sonhos com cavernas, que sempre foram recorrentes. Coisa de meses depois fiz a poesia do “Último Pintor Rupestre”, e a gravei num disquete num antigo computador, não encontrei mais o original manuscrito, me esqueci do disquete onde a gravei, ele estava entre minhas bagunças, meus trecos, que os escritores antigos chamavam de alfarrábios, e que chamo às vezes de minhas coisas, quando encontrei o disquete, o consegui ler na tela, mas não consegui imprimir a poesia, copiei os versos num papel e não dei atenção a data, coisa que faço com todas minhas poesias, eu sempre registro as datas. Coisa que os poetas não o fazem! Consegui uma explicação para este fato, ora, se os poetas não datam suas poesias! E eu as dato! Então eu não sou um poeta! Estou livre dessa pecha! Em 2009 encontrei a cópia da poesia, utilizei esta data para data-la! Vixe! Que bagunça “datal”. Quando fiz essa poesia, do “Último Pintor Rupestre”, a inspiração ou o motivo aventado foi outro, não me recordo bem, pelo pouco que consigo me lembrar, éramos um grupo grande havia muita gente, estávamos acuados numa grande caverna! Sei que sobrevivi, já relatei este fato noutro ensaio. Tudo está contido em minha memória akáshica, Eu não tinha como explicar para mim mesmo, como aqueles versos do pintor rupestre surgiram em minha memória! Eles ficaram em minha mente por um bom tempo, só algum tempo depois os escrevi e passei para o computador, talvez até um pouco modificados! Tinha uns versos que falavam em uns animais pintados no teto! Senti a falta desses, e de outros versos, o do Girau a balançar, é um deles! Por diversas vezes me via nas cavernas, noutras lembranças fugíamos dos moradores das cavernas! E estas duas condições! Eu já as tinha percebido desde o tempo do serviço militar, minha mente se abriu a respeito do que somos, quando li pela primeira vez, A Grande Síntese de Pietro Ubaldi, adiante continuaremos, vejamos antes a poesia do pintor rupestre...



POESIA


O ÚLTIMO PINTOR RUPESTRE
(Sonhos que nunca entendi!)
Donde vim?
Isto, eu não sei...
Para onde vou?
Isto, jamais saberei...

Vim/de eras remotas/por trilhas ignotas/eu percorri,
Arrostando mundos/de velhas lembranças/ali andei,
Carcaças antigas/de meus ancestrais/eu sei que vi,
Cavernas antigas/escuras/mal cheirosas/ali pintei.

Um couro antigo/como agasalho/a me proteger,  
Um estaleiro perigoso/desequilibrado/ali finquei,
Animais/bocas ferozes/escancaradas/ali notei,
O facho apagado/a escuridão/o medo de morrer.

Um ser acuado/um amigo ausente/a tinta na mão,
Um medo terrível/o roncar das feras/venha salvação!
O rugir na noite/o raiar do dia/já cansadoe sozinho,
Um gritar lá fora/um sorrir cá dentro/era o vizinho.

Outros chegaram/expulsando as feras/e eu rezando,
Deixei as pinturas/no coração da terra/alegre a sorrir,
Tintas da terra/e da casca do pau/as mãos sujando,
Saí da caverna/ainda vivo/e de novo/vi o sol luzir.

Pintar/ tetos/paredes/é escrever/para o mundo,
Deixando o recado/nas pinturas/por aqui passamos!
Somos seres/inteligentes/só vivemos/por um segundo,
De onde viemos/para onde vamos/nisso nem pensamos.

No coração da terra/eu juro/que não pinto mais,
Nem que o tempo apague/eu só pinto cá fora,
Vou pintar os campos/as aves/todos os animais!
Saí da caverna/tinta na mão/e de lá fui embora....

Por que os homens pintores,
Repentinamente abandonaram as cavernas?

Em Espanha: Altamira, El Castillo, Bustillo, Atxurra, La Pasiega e muitas outras principalmente na Cantábria. Em França: Lascaux, Chauvet, Les Eyzies, Montgnac, Niaux, Valon-Pont-d’Darc, é verdade que foram abandonadas para sempre, e que nalgumas não pintaram! Mas, ali, moraram.... Suas histórias estão ali guardadas para sempre! Foram nossos avôs! Nossos antepassados.

Ao espírito que dorme desde tempos imemoriais sob a escada.
Num passado distante do irmão Witemberg Pires Pereira

Vitória da Conquista, 10 de abril de 2009
Edimilson Santos Silva Movér

A GRANDE SÍNTESE
5* Quando li a Grande Síntese, embora, ainda muito jovem, eu já conhecia, não com profundidade, as ideias do grupo de Copenhague sobre a física quântica, embora o modelo padrão ainda não tivesse sido montado e proposto, pois, ainda faltava algumas partículas para dar solidez ao modelo, na época eu já absorvia algumas ideias sobre a física de Einstein, como disse, a Grande Síntese me abriu a mente, para fatos, na época,  pouco divulgados sobre o universo, e sobre a função da humanidade, principalmente sobre a existência da vida, de forma ampla, como o Pietro Ubaldi o fez! Só me faltava, na época interlocutores à altura da complexidade da essência dos pensamentos que eu lia na Grande Síntese. Mas o caminho estava aberto, na realidade, eu já tinha conseguido montar uma imagem da existência, com a leitura da Bíblia, embora, uma imagem parcial e distorcida, mas, já conseguia enxergar o universo, quem me iniciou nessa jornada, na realidade foi um professor muito inteligente de nome Everardo Públio de Castro, por ele tenho eterna gratidão e admiração! Ele me chamou a atenção para a grandeza e a beleza do universo, assim tornei-me um homem que busca. Mas, voltemos às cavernas.

ANTROPOESPELEOLOGIA
6* Depois que tive uns oníricos entreveros com uns moradores das cavernas, me propus entender melhor a ciência da espeleologia, ou o estudo das cavernas! Isto, se deu há muito tempo atrás. Procurei primeiro entender a relação das cavernas com a recente história do homem na Europa, (40 ou 60 mil anos atrás), época em ele adotou as cavernas da Europa, como ateliê de pintura, as pinturas são geniais, e talvez, tenham adotado suas partes menos profundas, no sentido horizontal, como local de moradia, isto alternadamente, normalmente as partes mais profundas, (horizontal e vertical), não foram habitadas, somente as entradas, principalmente,  pela ausência de luz, e foram habitadas por muitos milhares de anos, nas salas mais profundas, por esta ausência de luz foram os locais em que o homem exercitou tão bem sua arte pictórica, isto, os nossos avoengos, o fizeram em Altamira, Chauvet e Lascaux, Les Eyzies, Abri Celler, e tantas outras, isto, por muito tempo. Existem pinturas datadas pelo processo do “carbono 14”, de 60 até os 17 mil anos atrás. Embora, também existam pinturas menos importantes e menos numerosas e de variadas épocas em outras cavernas, todas na Europa. Mas existem pinturas rupestres em todo o mundo! Todas proporcionadas pelas antigas migrações dos “sapiens” facilitadas pela ligação terrestre entre a África, Europa e a Asia. Sendo a África o berço da humanidade, dali, se irradiaram. As nossas irmãs bactérias os expulsaram das cavernas há trinta mil anos atrás. O homem só ocupou por muito tempo as partes das entrada das cavernas, onde penetrava a luz do sol. As cavernas dentro das grandes florestas húmidas, pouco foram utilizadas. Primeiro, porque as cavernas são fixas, e os homens nômades, e segundo pelo motivo citado atrás, da poluição pelos dejetos, sem entendimento, não ligavam uma coisa à outra. O homem moderno se comporta como se fosse sem lógica, Há mais de 150 anos descobriram que os cérebros dos Neandertais possuíam de 1500 até 1700 cm³, portanto com possibilidade de serem mais aptos cerebralmente que os Cro-Magnons que possuíam somente 1400 cm³. Quando tomei conhecimento de que o Neanderthal, possuía um cérebro mais espetacular que o nosso! Não entendi, porque eles desapareceram e não nós, os Cro-Magnons! Aventei a hipótese deles serem mais mansos, mais dóceis e não afeitos à guerra! E de que portanto, eles poderiam ser pouco inclinados à violência, e assim, o planeta perdeu a oportunidade de ter uma sociedade mais humanizada, mais mansa e menos animalizada! Os Neanderthais foram suplantados ou em números, ou pela ferocidade dos Cro-Magnons, então, funcionou a velha lei, sobrevivendo o mais apto, ou o mais feroz!

ODORES DO PASSADO
7* Nas regressões pude ver o quando uma caverna ocupada pode ter de odor! Ou o que chamamos aqui no nordeste, de “mau cheiro arruinado”! Fedia mais que debaixo das saias da nobreza, nos séculos XVII e XVIII. Quando terminava a regressão eu continuava sentindo o odor! Depois, eu me concentrava e o fedor passava, mas já na rua eu continuava cheirando a manga da camisa! Para ver se eu não estava fedendo! Incrível, o que faz nossa mente! É impressionante. No dia seguinte, eu já sabia! À noite tinha sonho com caverna. Foi nessa época que comecei a compreender com mais profundidade e lógica de que nós não somos absolutamente, o que nós pensamos que somos. Passei a perceber que existiam coisas ou “percepções”, em nossa existência que cobriam um espaço de tempo que ultrapassava a duração de um número mito grande de existências. Lá vem os Vedas, com razão novamente.

A MEMÓRIA KÁRMICA
8* A vida! Esta coisa em si! É muito mais simples do que pensam os filósofos, os religiosos, os teólogos, os psicólogos e principalmente, os cientistas da neurociência! Somente os que nascem sábios e gênios de espírito! Não os que chamamos de sábios e gênios, por já nascerem gênios ou por se tornarem sábios! Somente os sábios de espírito compreendem a simplicidade da vida. Na existência, mesmo com grandes esforços para se alcançar algum entendimento das coisas simples que a vida, aparentemente às vezes nos expõe como coisas complexas! Sem evolução nunca as entenderemos como coisas simples. É praticamente impossível alcançar e reverter este entendimento! Somente estas pessoas sábias e gênios de espírito, possuem condições naturais, nunca criadas ou aprendidas, para alcançar e perceber estas nuances. Vi uma grande lógica na proposição de que somente pessoas especiais, conseguem atingir um estado de splen para fazer uma regressão profunda que abranja de uma só vez várias e múltiplas existências guardadas na nossa memória kármica! Os chamei de pessoas possuidoras de espíritos sábios e gênios, por falta de uma definição melhor! Conheço expressões indús substitutas! Mas, fugiriam ao entendimento da maioria dos ocidentais. Então, os chamei de sábios e gênios e de pessoas portadoras de espíritos especiais, ou evoluídos!  A separação existente entre as pessoas, é meio sutil e de difícil entendimento, isto eu sei, que é!  Só pessoas com espíritos especiais conseguem ver esta separação! Todos se ofendem e dizem que sabem fazê-lo! Mas, dizê-lo, não é fazê-lo! Pois algumas pessoas, minhas conhecidas e tidas como pessoas afeitas aos raciocínios complexos e elaborados, tentaram e não conseguiram fazer uma regressão profunda, e aqui não estou me referindo a escolaridade! Alguns eram até brilhantes demais nessa área! Esta genialidade e sabedoria do espírito se relaciona ao grau de evolução do espírito de cada um, não ao seu grau de conhecimento, conhecimento este, adquirido durante seu atual existir! Que naturalmente é parte integrante de sua personalidade, óbvio, formada durante este mesmo existir! Este é o limite que separa as existências, o limite é a evolução do espírito, e não cada existência em si! Eu nunca tinha percebido este fato, e limite, fiquei deslumbrado quando percebi, isto se deu em Itacaré, no final do século XX! Sempre me perguntei! O que separa as diversas existências dentro da memória akáshica maior? Seria o encarne e o desencarne? Na existência maior do espírito, isto é, na sua memória kámica maior foi que vi, quando tive um pequeno vislumbre da verdade. Ela, a memória de cada existência, não está ligada aos seus títulos acadêmicos, ou aos conhecimentos adquiridos, nem mesmos ao número dos seus dias de vida! Mas sim! Às suas ações e comportamentos perante os outros espíritos com os quais este espírito convive, direta ou indiretamente, isto é lei! Por isso é que as nossas más ações do passado não fazem parte de cada memória kármica menor, ou de cada existência, que constitui e faz parte da memória akáshica maior! Quanta sabedoria nisso! Donde advém a dificuldade para numa regressão rever toda uma existência, ou todas as existências já vividas! A lógica e a consequência disso, é não podermos nas regressões, vivenciarmos ou recordarmos atos ou fatos que gerem sentimentos espúrios, rancores, raivas, ódios, sentimentos de vingança, e etc.. Fatos narrados de acontecimentos como se fossem através das regressões, referentes a fatos que gerem ódio, são criações de pessoas mal intencionadas e maldosas! As maldades dos encarnados, simplesmente, não fazem parte de seus registros akásicos. Não faz sentido registrá-los, pois só causam mais maldades, na mesma encarnação e em reencarnações posteriores.

UM VISLUMBRE DO QUE SOMOS
9* Incrível! Somos algo, como se fôssemos somente nossos pensamentos na forma expandida de nossa pequena memória implícita, e nada mais! E assim, a psicologia pôde constatar em ambiente de laboratório, e numa certa condição onde: Você não sai de dentro de um ambiente, e percorre num minuto o mundo inteiro sem sair daquele ambiente, só posso dizer! Incrível. Você passa a se recordar de uma cidade onde nunca esteve antes, e que na maioria das vezes você não fica sabendo o nome, nem onde está localizada, quando acontece que você a vê num filme, ou vê uma foto, é tudo igualzinho, nos mínimos detalhes, quando você vê o filme não percebe isso de imediato, só alguns momentos ou dias depois, no meu caso, eu só que passei a perceber tais nuances depois! Então, fazemos a ligação, pelo menos foi o que algumas vezes ocorreu comigo. Como isso é possível? Que alguém possa fazer, o que chamei de “introspecção mental”, e se recordar de detalhes, antes desconhecidos. Na física quântica ocorre a mesma coisa! Como explicar a “não localidade”! Severamente confirmada em laboratório pelos próprios oponentes da proposição da “não localidade”. Há muito tempo, discuti isso, com um médico amigo de Elomar e de tio Valter, o Cana   Brasil, o mesmo Cana Brasil havia fundado a “Sociedade Esotérica Cavaleiros do Astral”, ela foi fundada por ele, e o inesquecível Yolando Fonseca, juntamente com saudoso Yolando Castro. Eu já sabia que ele praticava regressões. Ele tinha o consultório próximo a residência do Yolando Fonseca, na Rua do Espinheiro. O Cana Brasil me disse de primeira, que só me responderia se eu fizesse um teste! Antes de eu perguntar nada, ele me saiu com esta. Ele me disse que só poderia me responder se fizesse parte dessa sociedade, onde a pessoa teria que descobrir a palavra mágica, palavra esta, que estava gravada com caracteres de fogo nas carnes do coração! Isto, descobri num relance de um segundo! Fiquei intrigado, eu não tinha pedido para fazer parte de nada! O Cana Brasil era um “Ser” especial, muito especial mesmo. Discuti também, com o Manfrêdo e com o seu irmão Ragaço Nunes, e a uns dez anos atrás tive a oportunidade de abordar o tema com o Vitor Hugo Medici! Mas, não consegui chegar a um consenso, com nenhum deles, isto, com relação as regressões! E foram e são todos os quatro, pessoas especiais e três últimos, médiuns notáveis. O problema é que: Nós não somos o que pensamos que nós somos! Há tempos que comecei a ter uma pequena noção do que seja esta coisa simples, que nós tratamos como complexa, que chamamos de “vida”, e não vão acreditar! A primeira coisa que descobri, é que somos a “vida” se expressando na forma de entidades inteligentes, os tolos vão bradar! Isto todos sabem! Mas, só dizem que sabem, pois, na realidade não sabem! E assim, nada podem discorrer sobre o assunto! Não suportariam cinco minutos de escrutínio! Isto porque todos nós tentamos e tendemos a ver e entender a vida como algo complexo. Isto, puramente por vaidade! Ninguém escapa disso! Então ninguém sabe de nada! Não gostamos de pertencer a uma coisa tão simples o quanto a vida o é! E assim, tentamos vê-la, e fazê-la tão complexa o quanto gostaríamos que ela fosse! Para assim, vaidosamente fazermos parte de uma coisa complexa e importante na visão dos néscios. A falta de humildade do homem, somada à sua grande vaidade! O faz ver as coisas mais simples! Como se fossem as coisas mais complexas!
10* Pobres humanos feitos de: (grupos de células, feitas de moléculas, feitas de átomos, feitos de quarks e elétrons, feitos simplesmente de nada). E que hoje são chamados de “homo sapiens sapiens”! (1). Pauvres clochards, vaniteux et idiots.


Edimilson Santos Silva Movér
Camaçari-Bahia, 16/03/2019